Fazendo Amigos

A fim de realizarmos uma discussão teórico-conceitual e crítica de várias questões que podem envolver a pesquisa e a prática em Psicologia, buscamos alguns intercessores e suas articulações possíveis. Desse modo, procuramos as linhas de mistura entre a clínica, o corpo, os modos de criação e as ressonâncias com a arte, com o intuito de ampliarmos nosso pensamento e tecermos um olhar transdisciplinar sobre os nossos percursos. Nesse sentido, a teoria pode caminhar juntamente com as problemáticas criadas, na tentativa da composição de agenciamentos e hibridizações entre ambas. Assim, a articulação com alguns autores da Filosofia, tais como Nietzsche, Gilles Deleuze, Michel Foucault e Félix Guattari, pode complexificar muitos pontos e provocar certas reviravoltas em nossos questionamentos. Além disso, o estudo de alguns teóricos contemporâneos, tais como: José Gil, Peter Pál Pelbart e Suelly Rolnik, também pode ser de grande valia, para levar-nos a outros jeitos de problematização e a novas maneiras de pensar a Filosofia da Diferença e a Psicologia.

Portanto, estudar um pouco da trajetória de tais autores, de seus percursos conceituais e de suas invenções, pode ser interessante, para colocarmos nossa linha de pesquisa em movimento de dúvida, desmanche e produção de novos rumos.