Histórico

Criado em 1970, a pedido da Organização das Nações Unidas (ONU), mais especificamente UNESCO, o Curso Técnico em Hidrologia é uma ação de educação desenvolvida pelo IPH há 48 anos. A primeira turma de hidrotécnicos foi formada em 1971. Em 1974, o Curso teve o reconhecimento do Conselho Federal de Educação, com a emissão do parecer nº 1629/74, publicado no Diário Oficial de 5 de agosto de 1974.

Ao longo deste tempo, o IPH manteve, pelo seu esforço próprio, o Curso Técnico em Hidrologia, sendo, em muitas ocasiões, a única instituição latino-america a oferecer esta formação. Com a promulgação da nova LDB, em 1996, abriu-se a possibilidade de transformar o CTH em curso superior, de caráter sequencial, sendo que um projeto específico para tanto foi formulado.

O CTH formou, em suas turmas, mais de 450 hidrotécnicos que encontram-se em atividade em empresas como CPRM, PETROBRÁS, CORSAN, DMAE, ITAIPU BINACIONAL, secretarias de estado, prefeituras e empresas privadas, além de vários terem tornado-se empresários na área. Até 2014, 626 alunos passaram pelo IPH, sendo 504 gaúchos, 108 de outros estados e 14 de outros países, o que demonstra a penetração do Curso Técnico em Hidrologia. Os 202 alunos reprovados, desistentes ou ainda não diplomados demonstram o grau de exigência do Curso e, muitas vezes, as dificuldades de manutenção dos alunos para realizar um curso de aproximadamente 40 horas semanais, uma vez que grande parte deles são oriundos de famílias de baixa renda ou do interior do Estado.

O curso tem duração de dois semestres, em tempo integral, com disciplinas teóricas e práticas, incluindo trabalhos em campo e laboratório, mais a necessidade de realização de um estágio de 360 horas.

Para ser um Técnico em Hidrologia o aluno tem que obter aprovação na totalidade de disciplinas, além de realização de um estágio de 360 horas que poderá ser feito no próprio IPH ou em uma empresa privada.

Os técnicos formados possuem conhecimentos nas áreas de: hidrologia, hidrometeorologia, saneamento e qualidade de água, hidráulica, hidrogeologia, sedimentometria, topografia, estruturas e máquinas hidráulicas, irrigação e drenagem, etc. tendo assim capacidade de realizar as seguintes funções: levantamento topográfico, análise preliminar e compilação de dados de hidrometria e hidrologia, medição de sedimentos, levantamentos físico-hidricos e hidrogeologicos, instalação e operação de rede de medição de vazão e das variáveis meteorológicas, operação de redes de distribuição de água, estações de tratamento de água e de esgotos, coleta de dados hidrometeorológicos, manutenção e operação de equipamentos fluviométricos e meteorológicos, análise de laboratório nas áreas de física de solos e qualidade de água entre outros.

Encontra campo de atuação preferencial na área de ciências exatas e da terra, junto a profissionais das engenharias ambiental, hídrica, civil, de minas, cartográfica, florestal e de produção, da agronomia, da geologia, da geografia, da biologia, da oceanografia, da meteorologia, da ecologia, entre outras.

Em termos profissionais, a atividade do hidrotécnico é reconhecida e regulamentada pelo Sistema CREA/CONFEA de acordo com a lei n. 5524 de 1968 que dispõe sobre o exercício da profissão de Técnico Industrial de nível médio.

Destaca-se na sua formação a sólida base conceitual e o caráter aplicado das aulas, que utilizam os laboratórios, equipamentos, experimentos e instalações do IPH. Uma parcela significativa dos egressos realiza seu estágio junto aos projetos de pós-graduação, em uma integração favorecida pelo ambiente de pesquisa proporcionado pelo programa de pós-graduação em Recursos Hídricos e Saneamento Ambiental.

Entre os equipamentos utilizados em trabalhos no campo estão: aparelhos topográficos (estação total, GPS, distanciômetro, teodolito, nível topográfico, etc.), ADCP, ecobatímetros, molinetes, barcos equipados com motor, linígrafo, pluviógrafo, ondógrafo, correntógrafo, simulador de chuva, teleférica, amostrador de sedimentos, piezômetros, medidor de multi-parâmetros, GPR, entre outros.

É interesse deste Instituto a manutenção do referido Curso Técnico em suas dependências, configurando-se como uma ação educativa perfeitamente integrada na missão da unidade, necessária para o desenvolvimento das atividades de pesquisa, extensão universitária e ensino de pós-graduação e co-responsável pelo reconhecimento do IPH como centro de referência nacional e continental na área de recursos hídricos. A infraestrutura do IPH em laboratórios de hidrometria, hidráulica, engenharia de água e solo, hidrogeologia, saneamento ambiental e sedimento possibilitam a aquisição dos conhecimentos teóricos e práticos necessários ao hidrotécnico.

Deixe uma resposta