Memória e ancestralidade negra são tema de encontro da Confraria da Ilustração

Artes Visuais | Primeira edição presencial do projeto desde o início da pandemia recebe Mitti Mendonça no dia 2 de maio no Centro Cultural da UFRGS

*Foto: Mitti Mendonça/Acervo pessoal

Ilustradora, artista têxtil, arte-educadora e produtora cultural, Mitti Mendonça acredita que cada pessoa pode partir de suas memórias pessoais e vivências para torná-las fonte de inspiração para projetos criativos. “Venho de uma família de bordadeiras, então minha técnica de ilustração é o bordado”, explica.

A partir do tensionamento provocado por Mitti, o bordado sai do âmbito do artesanato, da dimensão doméstica, e alcança outras possibilidades de atuação no universo da indústria criativa, sempre tematizando questões de memória e ancestralidade negra. Em 2017, com a criação do selo Mão Negra, a artista começou a estruturar as possibilidades de trabalho com artes visuais e, desde então, vem marcando presença no circuito de exposições e feiras de arte.

Mitti Mendonça (Foto: Daniel Herrera)

Em 2020, Mitti foi contemplada com o segundo lugar do Prêmio Aliança Francesa de Arte Contemporânea e realizou a intervenção artística “Quem disse que não somos bem-vindas aqui”, no Instituto Goethe. Como ilustradora e arte-educadora, tem trabalhado com instituições, marcas e projetos, como Festipoa Literária, Fundação Iberê Camargo, Instituto Tomie Ohtake, MARGS, Hershey’s, Natura e Renner. Além disso, algumas de suas obras integram os acervos das entidades privadas Coleção Calmon-Stock (RJ) e Fundação Vera Chaves Barcellos (RS).

É para compartilhar sua trajetória e abordar os circuitos em que atua que a artista participa do encontro da Confraria da Ilustração na segunda-feira, dia 2 de maio, às 19h, no Centro Cultural da UFRGS. Coordenadora da ação, a professora do Instituto de Artes Laura Castilhos frisa que Mitti é uma artista multimídia com importante contribuição no cenário cultural local e nacional.

Mitti ressalta que espaços de troca como a confraria são fundamentais, já que fomentam a formação de uma rede de pessoas que atuam no universo criativo. “A arte existe apenas a partir da conexão com o outro”, comenta.

“A gente vem dessa temporada de pandemia e distanciamento. Acredito muito na força do diálogo e da proximidade e troca com artistas e público”

Mitti Mendonça

Os encontros da Confraria da Ilustração, que durante a pandemia ocorreram de modo remoto e agora voltam a ser presenciais, iniciaram suas atividades em março de 2018 no Instituto de Artes. Sua proposta é aproximar a ilustração do ambiente acadêmico e agregar profissionais, estudantes e público interessados em atualizar seus conhecimentos e trocar experiências.

Poster a3, papel couche 250 (Acervo pessoal Mitti Mendonça)

Em 2021, aproveitando a modalidade remota, ocorreram quatro encontros com artistas de fora do circuito local. Os convidados foram Eloar Guazzelli (SC), Marília Pirillo (RJ), Rosinha Queiróz (Pernambuco) e Leandro de Assis (Portugal). Para este ano, além de Mitti, já está confirmada a edição do dia 25 de julho com o ilustrador Nik Neves.

SERVIÇO:
CONFRARIA DA ILUSTRAÇÃO CONVIDA MITTI MENDONÇA
Dia 02 de maio de 2022, segunda-feira, às 19h
Centro Cultural da UFRGS (Rua Eng. Luiz Englert, 333)
Entrada franca