ATA DA ASSEBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA DO DIRETÓRIO ACADÊMICO DE ECONOMIA, CONTÁBEIS E ATUARIAIS

Às dezoito horas e trinta minutos deu-se a primeira chamada para a assembleia, não tendo quórum mínimo previsto em estatuto, deu-se início em segunda chamada à assembleia geral extraordinária de 2015 na sede do Diretório Acadêmico de Economia, Contábeis e Atuariais da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, localizado à Avenida João Pessoa, 52. Foi composta a mesa pelo estudante Ricardo Minelli como presidente e o estudante Artur Waismann como secretário. Foram apresentadas as pautas pelo estudante Ricardo Minelli: 1) Informes gerais, 2) Prestação de contas parcial da gestão Catarse Coletiva, 3) Construção da Semana Acadêmica de 2015/2 e 4) Greve e Cortes de verbas para a educação. Uma vez que todos concordaram com a ordem da pauta, se deu continuidade à ordem do dia. Informes gerais:  O estudante Thiago Seibel deu informes sobre o torneio de futsal, que está sendo organizado pelo GT Cultural e deve ocorrer em Novembro. Informou que apenas solicitações de formandos e jubilandos estão sendo atendidas pela COMGRAD da Economia durante a greve. Informou que o ENECO, Encontro Nacional de Estudantes de Economia, de 2015 será na USP e sugeriu que já se comece a organizar uma delegação. Informou também que ficou sabendo de um professor de Economia Brasileira Contemporânea dois acusou o DAECA de não ter estado presente nas últimas reuniões do DERI.  Elbio Ozorio, representante do DAECA no DERI, assume o erro de ter faltado a algumas das ultimas reuniões do DERI, contudo, relata casos de abuso de autoridade por parte de professor que compõe o colegiado. Comparecerá na próxima reunião e relatará o caso ao colegiado. Sexta feira haveria reunião com a COMGRAD de Economia para a apresentação do projeto “Pensando o Curso de Ciências Econômicas”, projeto que apresenta os impactos da Resolução 19 para os estudantes de Economia. Contudo, a reunião foi adiada para data ainda não confirmada. Artur Waismann informou sobre a nova estrutura organizativa da gestão do DAECA, dividida em cinco grupos de trabalho, responsáveis por Formação, Atividades Culturais, Articulação Política, Finanças e Coordenação. Marsala Machado informou sobre a atividade de confraternização de recepção dos bixos que ocorrerá neste sábado, das 16 até às 23h no DAECA, estendendo o convite a todas e todos interessados. Não havendo mais informes, seguiu-se para o ponto de Prestação de Contas Parcial. O estudante Victor Gasperin (tesoureiro da gestão) apresentou as contas até agosto e deu breve relato sobre as movimentações do caixa. Após tempo de análise pelos presentes, foi aprovada por unanimidade a prestação parcial de contas da gestão Catarse Coletiva. Após, a mesa deu início ao ponto da Semana Academica. Foi apresentada uma proposta sugerida pela COMGRAD da Economia. O estudante Uriel Kveller ressaltou a importância dos estudantes serem protagonistas da organização da semana acadêmica e da importância da de refletirmos sobre o que desejamos apresentar como tema central da semana acadêmica. O estudante Alnilam Orga sugeriu que fossem feitas atividades não antes das 10h da manhã e que se pensasse em atividades para o período da tarde. Ricardo Minelli sugeriu que se realizasse uma atividade para discutir a importância da Semana Acadêmica. Foi sugerido pela estudante Marsala Machado que se organizasse uma comissão que ficasse responsável por organizar a semana. Todos os presentes tiveram acordo com a proposta. A comissão foi composta pelos estudantes Elbio Ozorio, Uriel Kveller, Caio Bruno, Francisco Santana, Alnilam Orga, Stefany Rodrigues, Thiago Seibel, Ricardo Minelli e Artur Waismann. A primeira reunião ficou marcada para terça feira, dia 1/9, as 11h15 na salinha do DAECA e é aberta aos demais estudantes interessados. Uma vez que concluído o ponto, Ricardo Minelli deu sequencia na assembleia. Iniciado o quarto ponto de pauta, referente à Greve e aos Cortes de verbas para a educação, a estudante Stefany Rodrigues relatou que sua cadeira de Algebra Linear está alocada no auditório da FABICO e rotineiramente a aula é cancelada por conta de outras atividades que ocorrem no auditório. Elbio comentou sobre a cadeira de Metodologia Básica de Custos, que chegou perto de ter seus dias trocados após o início do semestre e só após pressão dos estudantes matriculados e do DAECA houve recuo por parte da PROGRAD, ainda que a cadeira siga sem sala de aula, conforme os últimos relatos. Comentou também sobre a situação geral da UFRGS, onde houve corte de mais de 10% do orçamento e não foi divulgado pela reitoria em que rubricas haverá cortes. Há a informação de que serão cortadas as verbas de papel higiênico e de seguranças patrimoniais. Foi relatada a situação precária das casas do estudante, que estão se organizando em um movimento unificado para reivindicar suas pautas. Stefany relatou também que estava tendo aulas na FCE e no Colégio Júlio de Castilhos na mesma noite. Elbio comentou que os cursos pagos de especialização têm privilégios na utilização do espaço físico em relação aos cursos de graduação da FCE. Stefany comentou que ao mesmo tempo em que há turmas sem sala, há salas vazias na FCE. Caio propôs que se juntem as informações sobre estudantes sem salas ou em condições precárias e se apresente para as autoridades responsáveis os materiais compilados. Stefany propôs que se divulgasse nos meios que o DAECA possui os horários do ônibus que estão sendo disponibilizados para o transporte até o RU Saúde e que se divulgue a vitória judicial dos moradores das casas de estudante e demais beneficiários PRAE em relação ao ressarcimento dos dias em que o RU do centro ficou fechado. Foi encaminhado que os estudantes Caio, Elbio e Artur ficassem responsáveis por executar a proposta do estudante Caio e que a estudante Stefany enviará para o facebook do DAECA. Não havendo mais nada a tratar, a sessão foi encerrada e a presente ata foi redigida por mim, Artur Waismann, que assinarei junto do Coordenador Geral.

 

___________________________

Artur Waismann

Secretário da Assembleia

___________________________

Ricardo Minelli

Coordenador Geral

DAECA

30 de Abril de 2015

Às dezessete horas deu-se a primeira chamada para a assembleia, não tendo quórum mínimo previsto em estatuto, deu-se início em segunda chamada à primeira assembleia geral extraordinária de 2015 na sede do Diretório Acadêmico de Economia, Contábeis e Atuariais da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, localizado à Avenida João Pessoa, 52. O aluno Ricardo Minelli (presidente da mesa) apresentou a ordem das pautas: informes gerais, prestação de contas da gestão Catarse Coletiva até o mês de Abril e Semana Acadêmica de 2015/1 e, estando todos de acordo, se deu continuidade à ordem do dia. O aluno Artur Waismann deu informes sobre as atividades realizadas pelos Grupos de Trabalho (GTs) do diretório: GT de Jogos realizou campeonato de poker e está articulando um campeonato de vôlei misto em conjunto com outros diretórios. GT de Cultura realizou a festa de recepção de bixos, iniciou contato com o salão de atos para festival no segundo semestre e relatou a impossibilidade de jam sessions pelo barulho. GT de Formação conduziu atividades com o instituto fiscal e organizou um cine-debate. GT de Gênero e Sexualidade teve atividade do dia das bruxas, colagem de cartazes pelo dia da mulher, articulação com alunas de Relações Internacionais acerca da segurança das alunas na FCE e na UFRGS e está em contato com o coletivo Trans de POA. GT de Ações afirmativas divulgou material sobre como acessar benefícios, quer promover atividades de discussão de acesso e permanência e está em contato com o sindicato ANDES para realizar análise do orçamento da universidade para ver quanto é gasto em assistência estudantil em relação a outras questões. GT de Articulação Política está em contato com outros diretórios para a realização da assembleia de estudantes do centro. GT de Comunicação organizou o Livro de empréstimos, chamadas das reuniões e divulgação das atividades. GT de Infraestrutura realizou a reforma da salinha, o recolhimento de móveis e está em contato com a SUINFRA para construção de rampa na entrada do DAECA. GT de Mobilidade Urbana está em contato com a FEE para elaborar atividades sobre o cálculo da tarifa do transporte coletivo de Porto Alegre. Não havendo mais informes, seguiu-se para o ponto de Prestação Parcial de Contas até o dia dez de abril. Os estudantes Andressa Klagenberg e Victor Gasperin (tesoureiros da gestão) apresentaram as contas até abril e deram breve relato sobre as movimentações do caixa. Após tempo de análise pelos presentes, foi aprovada por unanimidade a prestação parcial de contas da gestão Catarse Coletiva. Ricardo Minelli deu início ao terceiro ponto com uma fala ressaltando a importância de se realizar uma semana acadêmica por ser um espaço de formação fora da sala de aula e da necessidade de ampla participação dos alunos na mesma e abriu para falas. Surgiram as seguintes ideias: uma semana feita com apresentação de trabalhos de alunos, uma pesquisa sobre temas de interesse de alunos, tema central sendo um assunto da atualidade e um GT de construção da semana. Também surge o receio por alunas e alunos de que a não dispensa das aulas interfira na participação de estudantes, visto que a semana acadêmica do primeiro semestre não está prevista no calendário acadêmico. Após discussão se entra em consenso e se encaminha que: 1. Será criado um GT para organizar a semana acadêmica com presentes em assembleia e que estará aberto a qualquer outro aluno de economia, contábeis e atuariais que possa se interessar. As atribuições do GT são conduzir a pesquisa, entrar em contato com o diretor da unidade, com palestrantes e reservar salas; 2. A semana acadêmica tem indicativo de data para 25 a 29 de maio; 3. Terá uma atividade sobre mercado de trabalho; 4. Será realizado um formulário de consulta para os alunos sobre a semana acadêmica e com os seguintes temas a serem votados: ajuste fiscal, mobilidade urbana, terceirização e os impactos no mercado de trabalho, reforma tributária; 5. Primeira reunião do GT será terça feira, cinco de maio, às dezoito horas no DAECA. Não havendo mais nada a tratar, a sessão foi encerrada e a presente ata foi redigida por mim, Marsala Maciel Machado, que assinarei junto do Coordenador Geral.

(O documento original encontra-se assinado no DAECA).

A comissão eleitoral vem comunicar à comunidade discente da Faculdade de Ciências Econômicas – FCE, que as chapa 1 “Catarse Coletiva – integrando caminhos” e a chapa 2 “O Daeca pode mais” foram homologadas com a seguinte composição, CHAPA 1: Coordenadoria Geral: Giovanna Scholz Rodrigues Fiorentinni (137531) – Ciências Econômicas, Ricardo Minelli Bockmann (206621) e Marco Aurelio Pereira Silva (170833) – Ciências Contábeis,Secretaria Geral: Gabriela Coelho (242469) – Ciências Contábeis, 2ª Secretaria: João Pedro Collato da Silva (219498) – Ciências Atuariais, Tesouraria: Andressa Klagenberg (242556) – Ciências Econômicas, 2ª Tesouraria: Rafael Geliski (242435) – Ciências Contábeis, Comissão Acadêmica – Priscila von Dietrich – Ciências Econômicas, Andressa Klagenberg (242556) – Ciências Econômicas, Milton Luiz Soares Lupchinski (242548) – Ciências Econômicas, Rafael Geliski (242435) – Ciências Contábeis, Leonardo Oliveira Fiad (231206) – Ciências Contábeis, Élbio Maier Ozório (229666) – Ciências Econômicas, Gabriela Coelho (242469) – Ciências Contábeis, Gabriela Werlang (242453) – – Ciências Contábeis, João Pedro Collato da Silva (219498), Alexandre Gottfried (178980) – Ciências Econômicas, Jessica dos Santos Guedes (242451) – Ciências Contábeis, Mauricio Nunes Victorino (220192) – Ciências Econômicas, Pietro Homem da Silva (220180) – Ciências Econômicas, Rodolfo Fuchs dos Santos (193147) – Ciências Econômicas, Rodrigo Pereira Correa da Silva (194054) – Ciências Econômicas, Thiago Seibel da Rosa (229132) – Ciências Econômicas, Vinicius Hespanhol Rodrigues (208540) – Ciências Econômicas, Walter de Vargas (217315) e Caue Assis Bráz – Ciências Econômicas, Comissão de Movimento Estudantil – Lucas Nogueira – Ciências Econômicas, Ricardo Minelli Bockmann (206621) – Ciências Econômicas, Gabriel Pereira de Souza (228668) – Ciências Econômicas, Rafael Caminha Pahim (250362) – Ciências Econômicas, Gabriel Vinicius Vieira (218304) – Ciências Econômicas, Marsala Maciel Machado (193826) – Ciências Econômicas, Giovanna Scholz Rodrigues Fiorentinni (137531) – Ciências Econômicas, Marco Aurelio Pereira Silva (170833) – Ciências Contábeis e Artur Peluso Waismann (221151) – Ciências Econômicas e Tatiana Borin (142393) – Ciências Econômicas, Comissão de comunicação – Ana Clara Cossetin Ferreira de Lima (231201) – Ciências Econômicas, Angela Virti Bozzetto (219298) – Ciências Econômicas, Gabriela da Silva Zilio (242481) – Ciências Contábeis, Victor Gasperin Ribas (242456) – Ciências Contábeis e Arthur Ahrens Haag (220191) – Ciências Econômicas. CHAPA 2: Coordenadores: Matteus Laux (242549), Alexandre Alves (242347), Eriton Acosta Alves (191303); Tesoureiro Geral: Tiago Rousselet (242534), 2º Tesoureiro: Luana Rocha (210048), Secretario Geral: Cristiano Soares Da Cãmara Soares (229192), 2º Secretário: Carlos Marcelo Velloso Wendt (213654), Comissão Acadêmica: Alexandre Alves (242347), Comissão De Movimentos Sociais: Cristiano Soares Da Cãmara Soares (229192), Comissão de Comunicação: Tiago Rousselet (242534).

Atenciosamente,
___(o original encontra-se assinado no DAECA)__
Mariana Garcia
Presidente da Comissão Eleitoral

debora

Inscrição de chapa

No dia trinta e um de Outubro de dois mil quatorze, às dezessete horas na sede do Diretório Acadêmico de Economia, Contábeis e Atuariais da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, no endereço rua João Pessoa número cinquenta e dois foi realizada a inscrição de chapas para concorrer à gestão de 2014/2015 do Diretório Acadêmico de Economia Contábeis e Atuariais. Às dezessete horas e cinquenta minutos o representante da chapa Catarse Coletiva – Integrando caminhos, Artur Waismann, entregou os documentos requeridos para a inscrição. Faltaram os documento dos integrantes Priscila Von Dietrich, Lucas Nogueira e Caue Assis Braz, que deverão ser entregues na sede do DAECA na segunda-feira, dia três de novembro, ás quatorze horas. A chapa um, se inscreveu com a seguinte composição:Coordenadoria Geral: Giovanna Scholz Rodrigues Fiorentinni (137531) – Ciências Econômicas, Ricardo Minelli Bockmann (206621) e Marco Aurelio Pereira Silva (170833) – Ciências Contábeis,Secretaria Geral: Gabriela Coelho (242469) – Ciências Contábeis, 2ª Secretaria: João Pedro Collato da Silva (219498) – Ciências Atuariais, Tesouraria: Andressa Klagenberg (242556) – Ciências Econômicas, 2ª Tesouraria: Rafael Geliski (242435) – Ciências Contábeis, Comissão Acadêmica – Priscila von Dietrich – Ciências Econômicas, Andressa Klagenberg (242556) – Ciências Econômicas, Milton Luiz Soares Lupchinski (242548) – Ciências Econômicas, Rafael Geliski (242435) – Ciências Contábeis, Leonardo Oliveira Fiad (231206) – Ciências Contábeis, Élbio Maier Ozório (229666) – Ciências Econômicas, Gabriela Coelho (242469) – Ciências Contábeis, Gabriela Werlang (242453) – – Ciências Contábeis, João Pedro Collato da Silva (219498), Alexandre Gottfried (178980) – Ciências Econômicas, Jessica dos Santos Guedes (242451) – Ciências Contábeis, Mauricio Nunes Victorino (220192) – Ciências Econômicas, Pietro Homem da Silva (220180) – Ciências Econômicas, Rodolfo Fuchs dos Santos (193147) – Ciências Econômicas, Rodrigo Pereira Correa da Silva (194054) – Ciências Econômicas, Thiago Seibel da Rosa (229132) – Ciências Econômicas, Vinicius Hespanhol Rodrigues (208540) – Ciências Econômicas, Walter de Vargas (217315) e Caue Assis Bráz – Ciências Econômicas, Comissão de Movimento Estudantil – Lucas Nogueira – Ciências Econômicas, Ricardo Minelli Bockmann (206621) – Ciências Econômicas, Gabriel Pereira de Souza (228668) – Ciências Econômicas, Rafael Caminha Pahim (250362) – Ciências Econômicas, Gabriel Vinicius Vieira (218304) – Ciências Econômicas, Marsala Maciel Machado (193826) – Ciências Econômicas, Giovanna Scholz Rodrigues Fiorentinni (137531) – Ciências Econômicas, Marco Aurelio Pereira Silva (170833) – Ciências Contábeis e Artur Peluso Waismann (221151) – Ciências Econômicas e Tatiana Borin (142393) – Ciências Econômicas, Comissão de comunicação – Ana Clara Cossetin Ferreira de Lima (231201) – Ciências Econômicas, Angela Virti Bozzetto (219298) – Ciências Econômicas, Gabriela da Silva Zilio (242481) – Ciências Contábeis, Victor Gasperin Ribas (242456) – Ciências Contábeis e Arthur Ahrens Haag (220191) – Ciências Econômicas. Às dezoito horas e vinte minutos o representante da chapa O DAECA pode mais, Matheus Laux, entregou os documentos requeridos para a inscrição. A chapa dois se increveu com a seguinte composição: Coordenadores: Matteus Laux (242549), Alexandre Alves (242347), Eriton Acosta Alves (191303); Tesoureiro Geral: Tiago Rousselet (242534), 2º Tesoureiro: Luana Rocha (210048), Secretario Geral: Cristiano Soares Da Cãmara Soares (229192), 2º Secretário: Carlos Marcelo Velloso Wendt (213654), Comissão Acadêmica: Alexandre Alves (242347), Comissão De Movimentos Sociais: Cristiano Soares Da Cãmara Soares (229192), Comissão de Comunicação: Tiago Rousselet (242534). Foram informadas que a campanha eleitoral inicia no dia cinco de novembro de dois mil e quatorze. Sem mais nada a declarar, concluo a ata ás dezoito horas e quinquenta minutos.

(a original encontra-se assinada no DAECA)
_______________________________
Mariana Hansen Garcia
Presidente Comissão Eleitoral

REGIMENTO ELEITORAL PARA AS ELEIÇÕES DO DAECA PARA A GESTÃO 2014/2015
Capítulo I – Das Eleições
Art. 1º – O presente regimento regulamenta as eleições estudantis para o Diretório Acadêmico de Economia, Contabilidade e Atuariais, denominado DAECA, para a gestão de 2014/2015.
Art. 2º – A gestão eleita para o DAECA será aquela que obtiver o maior número de votos válidos.
Parágrafo único – O quórum mínimo para validar o processo eleitoral será de 3% do número total de estudantes de graduação regularmente matriculados nos cursos de Atuarias, Ciências Econômicas e Ciências Contábeis, no período letivo 2014/02.
Art. 3º – O processo eleitoral obedecerá ao seguinte calendário:
a) Inscrição de chapas: dia 31 (sexta-feira) de outubro de 2014, das 17h às 18h30 na sede do Diretório Acadêmico de Economia, Contábeis e Atuariais;
b) Período para homologação de chapas: até as 24 horas do dia 3 (segunda-feira) de novembro de 2014;
c) Período de campanha: a partir da homologação das chapas, de 5 (quarta-feira) a 25 (terça-feira) de novembro de 2014
d) Eleições: dias 26 e 27 de novembro de 2014, quarta e quinta-feira respectivamente.
Parágrafo único – Só poderão fazer campanha as chapas já homologadas e/ou que não tiverem respondendo a quaisquer tipos de recursos impetrados em prazo legal.
Art. 4º – São considerados eleitores e elegíveis todos os alunos regularmente matriculados até o período letivo 2014/02 nos cursos de graduação de Ciências Atuarias, Ciências Econômicas e Ciências Contábeis consideradas todas as ênfases.

Capítulo II – Das Chapas
Art. 5º – Cada chapa deverá compor-se de uma executiva e de comissões de acordo com o Art. 11 do Estatuto do DAECA.
§ 1º – A executiva poderão ser composta sob a forma presidencialista ou de colegiado.
I – na forma presidencialista, a diretoria compõe-se:
a) Presidente e 1º e 2º Vice-Presidente;
b) Secretário-Geral;
c) 2º Secretário;
d) Tesoureiro-Geral;
e) 2º Tesoureiro;
II – na forma de colegiado, a diretoria compõe-se:
a) Três coordenadores;
b) Secretário-Geral;
c) 2º Secretário;
d) Tesoureiro-Geral;
e) 2º Tesoureiro.
III – Deverá haver pelo menos um estudante de cada curso representado na
Executiva.
§ 2º – Serão comissões obrigatórias:
I – Acadêmica
II – Movimento Estudantil
III – Comunicação
Art. 6 º– As chapas homologadas apenas poderão despender em recursos a quantia máxima de R$ 1000,00 (um mil reais), sendo que as doações de materiais não fazem parte deste limite.
Parágrafo único – O valor máximo permitido para doações de materiais será de R$ 500,00 (quinhentos reais), mas a prestação de contas deverá indicar a origem dos materiais doados e suas quantidades.
Art. 7º – No final do processo eleitoral as chapas precisam prestar contas de seus gastos à Comissão Eleitoral, através de notas fiscais, recibos ou comprovantes de compras, e em caso de irregularidades em relação ao Art. 6 deste Regimento a chapa poderá ser impugnada.

Capítulo III – Da Comissão Eleitoral
Art. 8º – A Comissão Eleitoral será composta por integrantes escolhidos em Assembleia Geral e posteriormente por um representante de cada chapa inscritos na condição de observadores.
Art. 9º – Compete à Comissão Eleitoral:
a) Homologar ou não a inscrição de chapas;
b) Garantir o cumprimento deste Regimento Eleitoral;
c) Ter sob guarda toda a documentação relativa ao processo eleitoral;
d) Ser mesário(a), caso haja necessidade;
e) Realizar a apuração dos votos através do escrutínio;
f) Informar aos estudantes da Faculdade de Ciências Econômicas os nomes que formarão a gestão 2014/2015 do DAECA;
g) Julgar ofícios ou ponderações encaminhadas com relação a práticas ilegais da(s) chapa(s), podendo advertir de forma verbal ou escrita, sendo que três advertências escritas resultarão na automática impugnação da(s) chapa(s) advertida(s).
Art. 10 – Compete aos representantes das chapas na Comissão Eleitoral:
a) Os dispostos nas alíneas (b) e (e) do Art. 9 deste Regimento;
b) Fiscalizar o bom andamento do processo eleitoral;
c) Indicar os fiscais de chapa;
d) Participar das reuniões da Comissão Eleitoral;
Parágrafo único – Os representantes das chapas na Comissão Eleitoral podem fazer parte de alguma chapa até da sua nominata.

Capítulo IV– Das Inscrições
Art. 11 – As inscrições obedecerão aos artigos 3 e 5 deste Regimento, sendo exigida a seguinte documentação:
a) Cópia do comprovante de matrícula no período letivo 2014/02 (deve ser o comprovante autenticado da internet);
b) Cópia de documento de valor legal nas dependências da UFRGS, contendo foto (pode ser cartão de identificação) ou cópia de documento de identidade legal no país;
Art. 12 – A ordem de numeração, caso se inscrevam mais de uma chapa, será outorgada por ordem de inscrição, ficando reservado o número 1 para a chapa que se auto-declara de situação.

Capítulo V – Do Processo de Votação
Art. 13 – No primeiro e segundo dia de votação a urna será fixa na Faculdade de Ciências Econômicas, obedecendo aos seguintes horários:
a) Das 9h às 12h30min durante o turno da manhã;
b) Das 17h30 às 22h no turno da noite;
c) A urna pode ser aberta por pedidos das chapas em outros horários desde que haja um representante da Comissão Eleitoral, um fiscal por chapa homologada e um(a) mesário(a) (sendo o representante da Comissão Eleitoral apto a isso).
d) Se necessário for, ou a pedido de uma das chapas, será aberta uma urna em outro prédio onde alunos dos cursos representados tiverem aulas.
e) Caso 60% do quorum eleitoral não seja atingido até o final do turno da manhã do último dia da eleição, será permitido, em comum acordo entre as chapas concorrentes e os membros plenos da Comissão Eleitoral, o uso de urnas volantes, conforme o Art. 17 deste regimento.
Art. 14 – Serão mesários membros da Comissão Eleitoral, conforme dispostos nos artigos 8 e 9 deste Regimento, ou quaisquer outros alunos indicados pela Comissão Eleitoral que não estejam concorrendo a qualquer cargo nas eleições.
Art. 15 – Não será permitida propaganda eleitoral num raio de 3m da urna.
Parágrafo único – Nenhum mesário(a) poderá exercer qualquer tipo de propaganda eleitoral durante os seus trabalhos na mesa de votação.
Art. 16 – Compete ao mesário(a), que é membro da Comissão Eleitoral:
a) Abrir e fechar a urna, registrando o fato em ata;
b) Rubricar, no ato da votação, o verso da cédula de cada votante;
c) Fazer constar em ata quaisquer observações ou irregularidades da votação;
d) Lacrar a urna no momento de seu fechamento, sendo que o lacre só poderá ser removido na apuração. Quando da interrupção da votação, colocar um novo lacre sobre o já existente;
e) Rubricar o lacre junto com os presentes, no momento de sua colocação;
f) Registrar em ata mudança de mesário;
Art. 17 – Em caso de necessidade, conforme o Art. 13, poderá ser aberta urna volante. Esta será regida pelas seguintes regras:
a) Sua abertura segue o procedimento comum a das urnas fixas;
b) A urna volante deve ser sempre acompanhada de um membro pleno da Comissão Eleitoral, Mesário e um representante de cada chapa concorrente;
c) Será vedado aos representantes de chapa campanha eleitoral enquanto estes acompanharem a urna volante;
Art. 18 – Não poderão participar do processo eleitoral pessoas não vinculadas à Universidade Federal do Rio Grande do Sul.
Art. 19 – Em caso de nulidade do processo eleitoral, nova Assembleia Geral deverá ser convocada, num prazo máximo de trinta dias letivos, com o objetivo único de convocar nova eleição. A nova eleição deverá ocorrer em até sessenta dias letivos a partir da realização da Assembleia Geral. Enquanto não houver a posse da nova gestão, a Comissão Eleitoral ficará responsável pelo DAECA.
Art. 20 – Os eleitores, no ato de votar, deverão apresentar qualquer documento com foto que seja válido nas dependências da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.
Art. 21 – A cédula de votação terá fundo branco com um campo definido para cada chapa, devidamente rubricadas por um membro da comissão eleitoral.
Parágrafo único – A ordem das chapas nas cédulas será de acordo com a ordem numérica entre as chapas, conforme disposto no artigo 12º.
Art. 22 – No caso de haver apenas uma chapa concorrente a votação será em forma de plebiscito, que será validado apenas de acordo com o parágrafo único do art. 2º deste Regimento.
Parágrafo único – No caso da única chapa concorrente não ser aceita será aplicado o disposto no artigo 19º deste Regimento Eleitoral.

Capítulo V – Da Apuração
Art. 23 – A apuração dos votos será realizada, nas dependências do DAECA, imediatamente após o término das eleições, no dia 27 de novembro de 2014, pela Comissão Eleitoral.
Art. 24 – Será considerado voto válido aquele em que o eleitor houver assinalado apenas um campo de votação ou votar em branco.

Capítulo VI – Da Divulgação dos Resultados e Posse
Art. 25 – A Comissão Eleitoral divulgará os resultados assim que o escrutínio estiver encerrado, nas dependências do DAECA.
Art. 26 – As chapas poderão interpor recurso do resultado, junto à Comissão Eleitoral, no prazo máximo de 48h da divulgação dos resultados do pleito.
Parágrafo único – O julgamento dos recursos, caso hajam, será feito imediatamente ao recebimento dos mesmos pela Comissão Eleitoral, não podendo participar do julgamento os representantes das chapas na comissão.
Art. 27 – A posse da nova diretoria do DAECA, gestão 2014/2015, ocorrerá no dia 2 de dezembro de 2014.
Art. 28 – Casos omissos neste Regimento serão resolvidos pela Comissão Eleitoral.

Porto Alegre, 20 de outubro de 2014

A comissão eleitoral vem através deste edital comunicar a comunidade discente da Faculdade de Ciências Econômicas – FCE que a inscrição e homologação das chapas ocorrerá no dia 31 de outubro de 2014 na sede do DAECA com início as 17h e final 18h30 (horário de Brasília). A votação ocorrerá em dois dias, tendo início no dia 26 de novembro de 2014 e final dia 27 de novembro de 2014. A apuração se dará ao término da votação no dia 27 de novembro de 2014. O regimento eleitoral se encontra no diretório acadêmico e no blog deste .

___(o original encontra-se assinado no DAECA)__
Mariana Hansen Garcia
Presidente da Comissão Eleitoral

publicação original: http://www.cartamaior.com.br/?%2FEditoria%2FEducacao%2FAcademicos-apoiam-alunos-em-protestos-contra-o-ensino-de-economia%2F13%2F29662

 

Acadêmicos apoiam alunos em protestos contra o ensino de economia

 

Em carta ao The Guardian, professores argumentam contra o “compromisso intelectual dogmático” em favor da ortodoxia e contra a diversidade intelectual.

 

Um grupo proeminente de acadêmicos da área de economia passou a dar respaldo aos protestos de estudantes contra o ensino de economia neoclássica, engrossando a pressão para que as universidades mais importantes façam reformas em cursos que, segundo críticos, são dominados por teorias de livre mercado que ignoram o impacto da crise financeira mundial.

Acadêmicos de algumas das instituições de ensino de maior prestígio no Reino Unido, incluindo as universidades de Cambridge e de Leeds, declararam que alunos têm sido enganados por seus cursos, e acusaram os organismos de financiamento à educação superior de serem uma barreira a reformas.

Em ataque surpreendente às agências que provêm bolsas de estudo e pesquisa, eles disseram que uma “monocultura intelectual” é reforçada por um sistema de financiamento estatal baseado na avaliação de revistas científicas “que são muito enviesadas em favor da ortodoxia e contra a diversidade intelectual”.

Em carta ao The Guardian, os acadêmicos declararam que um “compromisso intelectual dogmático” com teorias de ensino baseadas na racionalidade de consumidores e trabalhadores com demandas ilimitadas “contrasta agudamente com a abertura de ensino em outras ciência sociais, que frequentemente apresentam paradigmas divergentes”.

Eles disseram: “alunos podem, atualmente, obter um diploma de economia sem jamais terem sido expostos às teorias de Keynes, Marx ou Minsky, e sem terem aprendido nada sobre a Grande Depressão.”

As críticas fazem coro aos protestos na Universidade de Manchester. Os alunos de lá, responsáveis por formar a Post Crash Economics Society, disseram que seus cursos pouco se empenharam em explicar a razão dos economistas terem falhado em alertar sobre a crise econômica, mas tiveram grande foco na formação de profissionais para integrar o mercado financeiro.

No início deste mês, um grupo internacional de economistas, respaldados pelo Institute for New Economic Thinking, de Nova York, prometeram revisar os programas de ensino econômico e oferecer às universidades um curso alternativo.

Em congresso realizado pelo Tesouro Britânico, em seus escritórios em Londres, eles prometeram oferecer um programa de ensino de primeiro ano pronto para ser ministrado no ano acadêmico de 2014 e 2015, contemplando o ensino de história econômica e um conjunto mais amplo de teorias econômicas concorrentes.

O debate sobre o futuro do ensino econômico é resultado de vários anos de discussão sobre o papel da academia, sobretudo nos Estados Unidos, no provimento de uma base intelectual para a farra dos empréstimos e dos negócios que levou à crise econômica de 2008.

O volume de empréstimos pessoais bateram recordes em vários países, e os negócios dos estranhos derivativos, frequentemente financiados com instrumentos de dívida, subiram a um nível em que pouco executivos de bancos entenderam sua vulnerabilidade no momento de uma estagnação de crédito.

Muitos economistas, incluindo o vencedor do prêmio Nobel em 2013, Robert Shiller, afirmam que as correntes ortodoxas de economia ensinam, erroneamente, teorias baseadas na manutenção de mercados abertos competitivos e na ideia de que compradores e vendedores bem informados eliminam o risco dos preços dos ativos crescerem para além de um nível sustentável por um período prolongado.

Os acadêmicos, liderados pelo professor Engelbert Stockhammer, da Universidade de Kingston, disseram: “Nós entendemos a frustração dos estudantes com a maneira como a economia é ensinada na maioria das instituições no Reino Unido.”

“Há uma comunidade vibrante de economistas pluralistas no Reino Unido e em toda parte, mas esses acadêmicos foram marginalizados dentro da profissão. As deficiências na maneira como a economia é ensinada estão diretamente relacionadas a uma monocultura intelectual, que é reforçada por um sistema de financiamento universitário baseado em revistas acadêmicas fortemente enviesadas em favor da ortodoxia e contrárias à diversidade intelectual”, declararam.

 

Tradução de Caio Hornstein.

Próximo »