Archive for maio, 2011

O Diretório Acadêmico de Economia, Contábeis e Atuariais vem manifestar-se acerca da expansão de disciplinas à distância em cursos presenciais. Julgamos necessário prestar esse esclarecimento, tendo em vista a ideia de se implementar disciplinas com esse caráter em nossos cursos. Achamos importante a expansão de cursos por vias não tradicionais quando há  um empecilho em relação à acessibilidade do ensino por parte da população, possibilitando assim um alargamento no total das pessoas que podem usufruir dos benefícios do ensino técnico e superior, apesar da distância. Porém, em nossa unidade, não é isso que parece ocorrer. Com a Reforma Universitária (ReUni), que prevê contratação de professores e algum investimento em estrutura física, vagas foram criadas, mas, até agora, parte dos professores prometidos ainda não foram contratados e os prazos das obras continuam sem ser cumpridos, sendo o corte de 3,1 bilhões no orçamento desse ano para educação pelo Governo Federal um agravante para sua implementação. Nesse contexto, o mecanismo de “ensino a distância” passou a ser utilizado como mero redutor de custos, gerando um dano irreparável para nós, estudantes: um decréscimo agudo na qualidade das disciplinas ofertadas. Assim sendo, nos posicionamos DE FORMA CONTRÁRIA à criação de disciplinas à distância nos cursos presenciais, dado que, no ingresso, prestamos vestibular para um curso presencial, tendo direito a aulas, professores e salas de aula, e não a um curso ministrado via internet. Além disso, entendemos que a ampliação de vagas nesse cursos deve se dar de maneira concreta, com investimento em estrutura física e contratação de professores, e não através de bolsistas para o CPD (centro de processamento de dados).

tiagorublescki

Semana Acadêmica Alternativa DAECA

cartazNo período da semana acadêmica o DAECA estará realizando atividades alternativas.

Na quarta-feira dia 25 de maio estaremos exibindo as 19h o documentário Inside Job com comentários da professora Glaucia Campregher. Teremos Pipoca e quentão, e após a exibição o tradicional buteca pró eneco, já tratando sobre o principal encontro de estudantes de economia no ano.

Na quinta-feira daremos continuidade ao nosso ciclo de palestras Economia, Sociedade e Meio Ambiente, a realizar-se às 19h no IEPE, João Pessoa, 31 (Ao lado do DCE na frente da Faculdade de Ciências Econômicas) o tema da palestra é: “Possíveis alterações no Código Florestal Brasileiro: Impactos e Perspectivas.”

A Palestra será ministrada por Antonio Carlos Bueno e Souza e Valério de Patta Pillar.

Não deixem de participar das atividades e da confraternização no DAECA.

Lembrando que esta é a segunda palestra do Ciclo e os estudantes que tiverem 3/4 de presença ganharão certificados.

tiagorublescki

Pós-Graduação

Pós-graduação se manifesta contra corte de bolsas pela Capes e Cnpq

Redação Carta Capital16 de maio de 2011 às 18:30h

Em 2010, uma portaria emitida pela Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior) e pelo Cnpq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) definiu que bolsistas de pós-graduação poderiam acumular outras fontes de renda além do financiamento das respectivas fundações.

O entendimento, porém, durou cerca de um ano. No início de maio, a Capes divulgou um ofício dizendo que seriam cancelados os financiamento para alunos que tivessem adquirido vínculo empregatício antes de conseguir a bolsa “em face à interpretação equivocada da portaria por parte de algumas instituições de ensino superior”.

A medida gerou críticas de associações de pós-graduação das universidades do país, pois teria imposto uma nova regra sem discussão e conhecimento das pessoas envolvidas.

A Associação Nacional de Pós-Graduandos (ANPG) se posicionou contra a devolução de bolsas dos alunos considerados irregulares pela Capes. Segundo o documento, “a medida (portaria de 2010) veio atender a uma demanda reprimida de centenas ou até milhares de pós-graduandos pelo país”. A associação atribui a confusão à própria portaria. “A nota de esclarecimento publicada em 02 de maio se configura, na prática, como uma nova regulamentação da portaria, pois lhe impõe uma nova regra: só é aceitável vínculo empregatício após o recebimento da bolsa” afirma o manifesto.

Além da Associação Nacional da Pós-Graduação, a Associação da Pós-Graduação de da UnB também divulgou textos contra o cancelamento de benefícios. Segundo o manifesto da APG-UnB, não foi encaminhado a eles nenhum comunicado oficial referente aos cancelamentos das bolsas.

“Os bolsistas nessa situação estão sendo lesados sem direito a defesa prévia”. No texto, a nota da Capes teria causado uma “caça às bruxas” aos bolsistas que passou a considerar “irregulares”. “A impressão é a de que a Capes/CNPq voltou atrás na decisão de ampliação do leque de critérios de concessão das bolsas”, diz.

A Capes foi procurada para esclarecimentos, mas não se manifestou até a publicação da matéria.