Archive for setembro, 2012

tiagorublescki

Textos de Apoio Minicurso 1

Seguem os links para os textos de apoio referentes ao “Minicurso 1: O Desenvolvimentismo: teorias, história, o Estado e as Relaçoes Internacionais”

1. THIRLWALL, Anthony P. (2002). A Natureza do Crescimento Econômico: Um referencial alternativo para compreender o desempenho das nações. Brasília: IPEA, 2005. (disponível na biblioteca da FCE)

2. EVANS, Peter (1993). O Estado como problema e solução. In: Lua Nova, n.28-29.

3. FONSECA, Pedro Cezar Dutra. “The articulation regional-national and the origins of the ‘Revolution of 1930’”. In: RANINCHESKI, S, et alii. The Brazilian economy in historical perspective. Brasília, Verbena, 2011.

4. FONSECA, Pedro Cezar Dutra. Vargas: o capitalismo em construção. 2.ed. São Paulo, Brasiliense, 1999. (disponível na biblioteca da FCE)

tiagorublescki

Textos de Apoio Minicurso 2

Seguem os links para os textos de apoio para quem deseja participar do “Minicurso 2: Contribuições da dialética para uma compreensão mais complexa da razao econômica”, ministrado pela Profa. Gláucia Campregher.

1. PAULA, Márcio Gimenes de. A Dialética do Senhor do Escravo em Hegel e sua Repercussão no Marxismo e na Psicanálise Lacaniana

2. Vladimir Safatle – Aula 1/30 – ‘Fenomenologia do Espirito’, de Hegel (apenas o início, até a seção “Ler”)

tiagorublescki

Semana Acadêmica 2012/2 – A Questão da Terra

A Semana Acadêmica de 2012/2 será realizada nos dias 1 a 5 de outubro, conforme previsto no calendário da UFRGS. Esse semestre trazemos como eixo principal de debate A Questão da Terra, dada a importância e atualidade do tema no cenário brasileiro de desindustrialização e produção de commodities, produção de energia e despropriação de territórios indígenas e desenvolvimento e sustentabilidade.

As inscrições já estão abertas no DAECA (Campus Centro – Faculdade de Ciências Econômicas – Térreo)! O preço é R$5 (taxa de impressão de certificado) e dá acesso a todas as atividades.

Clique para ver a programação:

tiagorublescki

BUTECA – RESOLUÇÃO 19, QUE PORRA É ESSA?

buteca

Na última quinta-feira o DAECA promoveu seu tradicional BUTECA. Uma maneira descontraída de receber os calouros e calouras. Durante o BUTECA os integrantes do diretório acadêmico aproveitaram a movimentação para fazer um debate que tem chamado a atenção de todos na universidade: A Rsolução 19 do CEPE. Tal resolução traz novas normas relativas ao controle de matrícula e desempenho exigidos dos estudantes.

Para debater o assunto a integrante do DAECA, Débora Nunes, preparou uma série de slides onde trazia de forma mais prática os novos instrumento dessa normativa. O debate foi bem interessante e mostrou que há ainda muitas dúvidas sobre essas novas regras e o quanto isso mudará a vida dos estudantes trabalhadores. Segundo um dos participantes “A UFRGS ao aplicar essa regra esquece que muito dos seus estudantes são trabalhadores, essa resolução toma como axioma que todo estudantes rodam por não estudar ou ser ‘vagabundo’”. Mesmos os que defendem a resolução, acreditam que ela deveria ser melhor debatida com a comunidade acadêmica, tendo em vista que as próprias COMGRAD foram pegas de surpresa.

30082012205

30082012207

30082012206

Abaixo a apresentação da resolução elaborada pelo DAECA:

Slide1

Slide2

Slide3

Slide4

Slide5

Slide6

Slide7

Slide8

Slide9

Slide10

Slide11

Slide12

Slide13

Slide14

Slide15

Colocamos ainda o e-mail enviado para todos os estudantes pela COMGRAD ECO em 19 de março de 2012:

Prezados(as) estudantes de Economia,

A partir de 2012 passam a vigorar na UFRGS novas normas relativas ao
controle da matrícula e ao desempenho exigido dos estudantes para
que permaneçam na universidade. Tais normas foram estabelecidas pela
resolução 19/2011 do CEPE, que enviamos a todos vocês e cuja leitura
é indispensável. O objetivo dessa mensagem é apresentar de modo
simplificado os dispositivos principais dessa normatização.

Os principais dispositivos são três:

1) limitação automática do número de créditos em que o estudante
pode se matricular, sempre que for reprovado em mais de uma
disciplina (ou atividade de ensino) no semestre anterior;

2) criação do Regime de Observação de Desempenho, condição em que o
estudante recairá sempre que, ao final de um semestre, seu
Coeficiente de Desperdício (reprovações) for superior ao Número de
Créditos Aprovados (com base no desempenho desde o início do curso); e

3) estabelecimento de novas possibilidades de desligamento, além do
jubilamento, por insuficiência de desempenho, especialmente no caso
de estudantes que estiverem em Regime de Observação de Desempenho.

O dispositivo (1) passará a ser aplicado a partir dos resultados
obtidos pelos estudantes no semestre 2012-1. Sempre que houver mais
de uma reprovação, a matrícula subseqüente ficará automaticamente
limitada a um certo número de créditos, definido pelo maior dentre
três números: créditos aprovados no semestre anterior, média dos
créditos aprovados nos últimos dois semestres ou metade da TIM (Taxa
de Integralização Média, conforme seriação aconselhada).

O dispositivo (2) será aplicado a partir dos resultados do semestre
2012-2, quando passarão a ocorrer as avaliações de desempenho,
processo automático apurado ao final de cada semestre. A avaliação
consiste em comparar o Coeficiente de Desperdício (CD) com o Número
de Créditos Aprovados (NCA), considerando o desempenho do estudante
desde o início do curso. O NCA é obtido diretamente pela soma dos
créditos com aprovação, enquanto o CD soma os créditos com
reprovação, porém multiplicados pelos seguintes pesos: peso 1 para
conceito D na primeira ou segunda vez na mesma disciplina (ou
atividade de ensino); peso 1,5 para conceito D da terceira vez em
diante; peso 2 para conceito FF na primeira ou segunda vez; peso 3
para conceito FF da terceira vez em diante.

O estudante poderá entrar ou sair do Regime de Observação de
Desempenho, sempre automaticamente, ao final de cada semestre,
recebendo uma comunicação via mensagem no Portal do Aluno. Ao
ingressar no Regime, o estudante fica sujeito à possibilidade de
desligamento já no semestre seguinte, caso não obtenha um certo
desempenho mínimo, conforme estabelecido pelo dispositivo (3).

O dispositivo (3) acrescentou ao jubilamento outras possibilidades
de desligamento, com base nas avaliações de desempenho que terão
lugar a partir dos resultados de 2012-2. São três as possibilidades de

desligamento: primeira, se o NCA desde o início do curso for zero e
todas as reprovações sejam por conceito FF; segunda, se a TIP (Taxa
de Integralização Pendente) for maior que o dobro da TIM. A terceira
possibilidade aplica-se aos estudantes que estiverem em Regime de
Observação de Desempenho, passando a ter efeitos práticos portanto
apenas em 2013-1. O estudante que já estiver nesse regime será
desligado se o seu CD for maior que o NCA simultaneamente para dois
períodos de cálculo: nos dois últimos semestres efetivamente
cursados e desde a entrada no regime de observação de desempenho.

Em decorrência dessas normas, a UFRGS espera que os estudantes sejam
compelidos a realizar uma matrícula responsável, condizente com suas
possibilidades reais de obter aprovação nas disciplinas (ou
atividades de ensino). Espera-se também que a permanência na
universidade pública e gratuita seja facultada apenas àqueles
estudantes que apresentam um efetivo compromisso com seus estudos. O
estudante deverá sempre evitar seu ingresso no Regime de Observação
de Desempenho, pois esse representa a “ante-sala” para o
desligamento. Se já estiver nesse regime, o estudante deverá tomar
todas as precauções para evitar ou minimizar novas reprovações, pois
estas poderão implicar no seu desligamento. Para os estudantes
vinculados ao novo currículo (ingresso a partir de 2010),
recomenda-se cuidado especial para evitar reprovação, especialmente
por conceito FF, no Trabalho de Diplomação, pois esse está definido
como atividade de ensino com 240 horas, o que equivale a 16 créditos
para fins do cálculo do CD ou do NCA.

A COMGRAD-ECO coloca-se à sua disposição para outros esclarecimentos
sobre essas normas, bem como para apoiar os estudantes que precisam
de maior orientação em sua trajetória acadêmica no curso de Economia.

Atenciosamente,

Prof. Ronaldo Herrlein Jr.

Coordenador da Comissão de Graduação em Ciências Econômicas