Vamos relembrar informações sobre a DENGUE?

O Departamento de Atenção à Saúde (DAS/SUGESP), juntamente com o Departamento de Meio Ambiente e Licenciamento (DMALIC/SUINFRA), vem através deste informe conscientizar sobre a importância de medidas de combate à dengue.

O principal vetor da dengue é o mosquito Aedes aegypti e o vírus é transmitido por mosquitos fêmea. Os ovos de Aedes aegypti resistem a ambientes secos por mais de um ano, o que ajuda a espécie a sobreviver e se disseminar. Vale lembrar que o mesmo mosquito pode ser transmissor também de chikungunya e zika.

O Aedes aegypti é mosquito doméstico (que vive dentro e perto das casas) e se reproduz em qualquer recipiente artificial ou natural que contenha água parada. O mosquito mede menos de um centímetro, tem cor café ou preta e listras brancas no corpo e nas pernas. Ele é mais ativo no início da manhã e ao anoitecer, fazendo com que esses sejam os períodos de maior risco de picadas, mas isto não impede que ele atue em outros horários também. O uso de repelente ajuda a manter os indivíduos protegidos do ataque do mosquito.

Existem quatro sorotipos do vírus da Dengue. A infecção com um sorotipo seguida por outra com sorotipo diferente aumenta o risco de dengue grave e morte. A suspeita de Dengue ocorre quando há febre alta e pelo menos dois dos sintomas a seguir: dor de cabeça intensa, dor atrás dos olhos, musculares e articulares, náusea, vômito e erupções na pele.

A prevenção e controle da dengue dependem de medidas efetivas de combate ao mosquito que a transmite.

Acompanhe no card como você pode contribuir neste combate dentro e além da UFRGS

Nas últimas semanas mutirões foram realizados em Porto Alegre com o objetivo de continuar o combate ao mosquito Aedes aegypti, removendo focos de proliferação.

A cidade, entretanto, ainda contabiliza transmissão do vírus da Dengue e a atitude de cada um continua sendo valiosa e essencial neste processo de combate ao Aedes aegypti. Por isso, a Divisão de Promoção da Saúde (DPS/DAS) vem relembrar algumas informações sobre o assunto.

Saiba que o Aedes aegypti apresenta um ciclo de vida que passa por quatro fases:

  1. O ovo: que é depositado em paredes internas de recipientes, próximos às superfícies com água. Ele é capaz de resistir a prolongados períodos de dessecação e eclode com a água.
  2. A larva: cuja evolução depende da temperatura, número de larvas existentes e alimentação disponível no criadouro.
  3. A pupa: fase de metamorfose do estado larval para o estado adulto do mosquito. A pupa se mantém, em geral, na superfície da água e este estado dura em média três dias.
  4. O mosquito adulto: que emerge do estágio pupal e, após 24 horas, está apto ao acasalamento. A fêmea grávida é atraída por recipientes de cor escura e que estejam à sombra, com água de preferência limpa. Ela deposita ovos em diferentes locais na mesma postura.

Agora que sabe um pouco mais sobre o Aedes aegypti, É HORA DE REVISAR AMBIENTES e ser ativo no combate ao mosquito!

  • Proteja seu corpo do mosquito usando roupas mais grossas.
    Mantenha calhas desobstruídas.
  • Uso repelente, conforme orientação médica, quando expor partes do corpo.
  • Não acumule água nos vasos de plantas e limpe com escovação as paredes deles.

Faça sua parte, elimine focos de mosquito (água parada) na sua Unidade! Comunique ao DMALIC focos de mosquito na área externa da sua Unidade (dmalic@ufrgs.br).

Saiba identificar o mosquito da DENGUE

Saiba mais nas nossas redes sociais

Informações sobre sintomas e atendimento pelo SUS

Referências