Critérios para avaliação da sustentabilidade em marcas de moda

Main Article Content

Bruna Lummertz Lima Cariane Weydmann Camargo Denise Rippel Araújo Barp Evelise Anicet Rüthschiling

Resumo

O presente trabalho apresenta uma proposta de avaliação de sustentabilidade para marcas de moda, levando em consideração as dimensões ambiental, social, e econômica. Os critérios para avaliação foram baseados nas abordagens desenvolvidas pelas autoras Fletcher e Groose (2012), Gwilt (2014) e Salcedo (2014) e na teoria e certificação Cradle to Cradle desenvolvida pelos autores Braungart e McDonough (2013). Após a revisão de literatura e tratamento dos dados, foi possível elencar os principais critérios para avaliar os níveis de desenvolvimento sustentável em uma marca de moda. A dimensão ambiental apresenta os seguintes critérios: Materiais não nocivos; Baixo desperdício; Reutilização de materiais; Uso consciente da água na produção; Uso eficiente de Energia; e Manutenção de baixo impacto. A dimensão social leva em consideração o Design para o bem-estar; o Design para empatia; a Produção local; e a Condição de trabalho digno. A dimensão econômica avalia o Comércio justo; se é Micro ou pequena escala; o Modelo de negócio; e a Sustentabilidade como estratégia. Cada um desses critérios é desmembrado em itens que podem ser vistos detalhadamente ao final deste artigo. Os níveis de sustentabilidade são divididos em: Nível 1, considerado Ingressante; Nível 2 – Básico; Nível 3 – Intermediário; e Nível 4 – Desejável. Este estudo busca, portanto, auxiliar designers e profissionais da moda a repensarem e aprimorarem continuamente seus processos e produtos.

Article Details

Como Citar
LIMA, Bruna Lummertz et al. Critérios para avaliação da sustentabilidade em marcas de moda. Design e Tecnologia, [S.l.], v. 7, n. 14, p. 59-68, dez. 2017. ISSN 2178-1974. Disponível em: <https://www.ufrgs.br/det/index.php/det/article/view/403>. Acesso em: 20 nov. 2018. doi: http://dx.doi.org/10.23972/det2017iss14pp59-68.
Edição
Seção
Artigos