Democracia digital: consultas públicas interativas

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Adriana Veloso Meireles
Tiago Barros Pontes e Silva
Rogerio José Camara

Resumo

Apresenta-se neste artigo uma síntese da análise de consultas públicas interativas realizadas online a partir do Marco Civil da Internet. O trabalho investiga plataformas de participação social, mediadas pela tecnologia, que surgem como ferramentas para a promoção de diálogo entre governo e cidadãos. O objetivo geral da pesquisa é identificar variáveis relevantes na elaboração de ambientes digitais de participação social a partir de uma investigação acerca das consultas públicas interativas já realizadas no Brasil. Para destacar elementos que devem ser levados em conta ao elaborar ambientes de participação social, foram realizadas entrevistas com gestores de consultas interativas. Em seguida, foi realizada uma avaliação de inspeção, que consistiu em um mapeamento com análise documental deste tipo de iniciativa com o recorte do Governo Federal Brasileiro. De forma a complementar a investigação realizou-se um teste da interface, que envolveu pessoas interagindo com sistemas de consulta e sua análise a partir do método de avaliação de comunicabilidade, compreendido como a capacidade do designer de transmitir às pessoas, por meio da interface, o design tal como foi concebido. Para verificar a percepção das pessoas com relação à interface e estrutura de interação de consultas promovidas pelo Governo Federal, optou-se por realizar testes com usuários. Assim, ao longo deste trabalho foram agregados diversos pontos de vista sobre a promoção de consultas públicas interativas no Brasil. Com isso, foi possível elaborar recomendações para a promoção de consultas interativas, que agregaram diversas dimensões, desde a estratégia de promoção e divulgação até os prazos.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
Meireles, A. V., Silva, T. B. P. e, & Camara, R. J. (2018). Democracia digital: consultas públicas interativas. Design E Tecnologia, 8(15), 81-95. https://doi.org/10.23972/det2018iss15pp81-95
Edição
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Adriana Veloso Meireles, Universidade de Brasília (UnB)

Doutoranda em Ciência Política (UnB) e bolsista Capes. É mestre em Design de Interação pela Universidade de Brasilia (2014) e Especialista em Design de Interação pela PUC Minas (2011) e bacharel em Comunicação Social - Jornalismo - pelo Centro Universitário de Belo Horizonte (2008). Trabalhou como consultora de cultura digital para o Ministério da Cultura (MinC) durante a implementação do Programa Cultura Viva, entre 2005 e 2009. Atuou localmente em Minas Gerais no Plug Minas (2010) e Escritório de Prioridades Estratégicas (2012), ambos do governo estadual de MG. Em 2014, foi consultora do MinC, na Secretaria da Economia Criativa, e do Ministério da Justiça, na Secretaria de Assuntos Legislativos, cobrindo a aprovação do Marco Civil da Internet e as atividades do Projeto Pensando o Direito. Foi coordenadora do MinC (2015-2016) na Secretaria de Articulação Institucional e na Secretaria de Políticas Culturais.

Tiago Barros Pontes e Silva, Universidade de Brasília (UnB)

Professor do Departamento de Design e membro do Programa de Pós-Graduação em Design da Universidade de Brasília, atua nas áreas de Design de Interação e ergonomia com foco em sistemas complexos, interfaces para web, portabilidade, ubiquidade, redes sociais e jogos.

Rogerio José Camara, Universidade de Brasília (UnB)

Graduado em comunicação visual pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1990), mestre em Comunicação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1999) e doutor em Comunicação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2004). Professor adjunto da Universidade de Brasília. Tem experiência profissional nas áreas de Design e Educação. Participa como docente do programa de pós-graduação em Artes e do ppg design, ambos da Universidade de Brasília. Realiza pesquisas sobre as relações entre escrita e cidade com ênfase na poesia visual e nas novas tecnologias.