A Madeira Redesenhada: Considerações Sobre o Design de Superfície no Mobiliário Planejado Brasileiro

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Fernando Cecchetti
Dalton Razera

Resumo

O Design de superfície no setor moveleiro é uma área relativamente pouco estudada pelos designers. Também se observa que na indústria de móveis planejados, a mudança de acabamentos das matérias-primas tem um papel fundamental na inovação dos produtos. Porém, os designers que atuam nas indústrias deste segmento não têm oportunidade de intervir totalmente em sua criação, optando por materiais ofertados na cadeia produtiva, direcionados pelo mercado e inspirados em tendências globais. O presente artigo tem o objetivo de interpretar, classificar, descrever e analisar o emprego e desenvolvimento do Design de Superfície no segmento de móveis planejados no Brasil. Metodologicamente tem como procedimentos a pesquisa bibliográfica, com base em referências de estudos da indústria moveleira, dos processos de criação do design de superfície, do estudo das espécies de madeiras e dos processos de fabricação e impressão existentes. Também se optou por pesquisa documental, principalmente em catálogos e ambientes virtuais de empresas do setor de máquinas e matérias-primas para móveis, além de pesquisa de campo no polo moveleiro mais especializado e importante do país, o de Bento Gonçalves no Rio Grande do Sul. Buscou-se apresentar a interpretação do Design de Superfície na indústria moveleira e para tanto, os padrões amadeirados fornecidos pelos fabricantes de painéis de madeira reconstituída foram analisados de acordo com os fundamentos do Design de Superfície. Verificou-se que os padrões utilizados para fabricação dos móveis apresentam características similares, determinadas por empresas globais que fornecem papeis decorativos para o setor, predominantemente inspirados em espécies de madeiras europeias como o carvalho e a nogueira. Constatou-se que a participação dos designers no desenvolvimento dos produtos é limitada, porém existe campo para ampliar esta participação no desenvolvimento e no controle do Design de Superfície dos seus produtos. Para que isto ocorra, torna-se necessária a ampliação dos conhecimentos técnicos a respeito dos processos de impressão utilizados pela indústria, e de metodologias de projeto voltadas para a criação dos padrões amadeirados, adaptados aos devidos processos e de acordo com as respectivas matérias-primas.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
Cecchetti, F., & Razera, D. (2019). A Madeira Redesenhada: Considerações Sobre o Design de Superfície no Mobiliário Planejado Brasileiro. Design E Tecnologia, 9(19), 77-86. https://doi.org/10.23972/det2019iss19pp77-86
Edição
Seção
Artigos