Cinema

Sala Redenção recebe 15ª edição do Fantaspoa

A programação da Sala Redenção recebe, de 20 de maio a 1º de junho, o XV Fantaspoa – Festival Internacional de Cinema Fantástico de Porto Alegre e que se consolida cada vez mais como o mais relevante festival de cinema do gênero fantástico da América Latina e um dos mais relevantes do mundo. Parte do calendário cultural portoalegrense, o Fantaspoa oferece ao público uma programação repleta de debates, sessões comentadas, cursos e festas.

Com curadoria assinada por João Fleck e Nicolas Tonsho, a edição de número 15 do Fantaspoa conta com aproximadamente 100 filmes de mais de 20 países, sendo exibidos entre os dias 16 de maio e 02 de junho. O festival retorna à Sala Redenção – Cinema Universitário para apresentar sua mostra competitiva de curtas-metragens, além de uma seleção de filmes de animação. O Fantaspoa 2019 é uma apresentação do Ministério da Cultura e conta com patrocínios do BRDE e do Banrisul.

 

programação

INFORMAÇÕES

O Fantaspoa – Festival Internacional de Cinema Fantástico de Porto Alegre, em sua décima-quinta edição, consolida-se cada vez mais como o mais relevante festival de cinema de gênero da América Latina, e um dos mais relevantes do mundo. Parte do calendário cultural porto alegrense, o Fantaspoa oferece ao público uma programação repleta de debates, sessões comentadas, cursos e festas. Com curadoria assinada por João Fleck e Nicolas Tonsho, a edição de número 15 do Fantaspoa conta com aproximadamente 100 filmes de mais de 20 países, sendo exibidos entre os dias 16 de maio e 02 de junho. O festival retorna à Sala Redenção – Cinema Universitário para apresentar sua mostra competitiva de curtas-metragens, além de uma seleção de filmes de animação.

O Fantaspoa 2019 é uma apresentação do Ministério da Cultura e conta com patrocínios do BRDE e do Banrisul.

Mostra Competitiva de Curtas – XV Fantaspoa

Desde sua segunda edição, o Fantaspoa reserva um espaço para a exibição das mostras competitivas de curtas-metragens. São obras de grande importância na produção fílmica mundial que, infelizmente, são restritas, basicamente, ao circuito de festivais. No entanto, e talvez devido a isso, carregam menos a necessidade de êxito comercial, ampliando radicalmente a liberdade artística dos cineastas, favorecendo, assim, o surgimento de obras autênticas, consagrando o conhecido cinema de autor.

A edição deste ano do festival programou 42 curtas-metragens – 12 deles brasileiros – de mais de 15 países diferentes, numa seleção realizada a partir de pouco mais de 500 filmes inscritos. São filmes em animação e em live-action, explorando temáticas diversas, muitos deles exibidos em prestigiados festivais, como o de Veneza, Sitges, Fantasporto, Fantastic Fest.

A mostra contará com uma sessão comentada no dia 20 de maio às 19h, na qual o público terá a rara chance de debater com talentosos cineastas sobre suas obras, além de assistir em tela grande a um recorte com destaques da safra recente do cinema fantástico mundial.

Mostra Curtas I (111 min., classificação: 14 anos)

20 de Maio | 2ª-feira | 16h
23 de Maio | 5ª-feira | 19h

Médico de Monstro
Dir. Gustavo Teixeira | 11 min | Brasil

Dudu já escolheu sua futura profissão. Agora, terá que enfrentar seus medos para se tornar um médico de monstros.



The Visitor

Dir. Justin Olstein | 10 min | Alemanha

Na Melbourne da atualidade, Naomi é acordada por uma mulher em fuga, numa situação aparentemente irreal. Naomi deve decidir até onde vai para proteger a visitante.

 +

Lucienne Eats a Car

Dir. Couturiau Geordy | 30 min | França

O pai de Lucienne sempre preferiu seu carro a sua filha. Buscando encontrar o amor que nunca teve, Lucienne decide comer o amado automóvel.

 +

Tote Tiere

Dir. David Oesch, Remo Rickenbacher | 10 min | Suíça

Emocionalmente impossibilitado de se desfazer do cadáver de seu amado gato de estimação, um homem conhece uma misteriosa taxidermista.

 +

Selfies

Dir. Claudius Gentinetta | 4 min | Suíça

Uma exibição frenética de pessoas sorridentes que se perdem nos abismos da existência humana. Uma corrida de selfies pelo mundo.

 +

La Tinque Sacrée

Dir. Thomas Rodrigue | 13 min | Canadá

Procurando seu amigo Félix, Jonathan e Rosalie acabam num estranho bar e topam jogar uma partida de totó para ganhar um tanque sagrado. Se perderem, suas cabeças serão decepadas.

 +

Helsinki Mansplaining Massacre

Dir. Ilja Rautsi | 15 min | Finlândia

Uma mulher busca desesperadamente sobreviver a uma horda de homens de ego frágil que continuamente tenta explicar tudo a ela.

 +

Tommy Brilho

Dir. Sávio Fernandes | 18 min | Brasil

Seu nome no cartório é Kleberson, mas o artístico é Tommy Brilho: a primeira gay transparente do Brasil. O estilo impecável será suficiente para ser percebido por seu crush?

 

 

 

Mostra Curtas II

(117 min., classificação: 16 anos)

20 de Maio | 2ª-feira | 19h – Sessão comentada por diretores dos curtas em exibição.

24 de Maio | 6ª-feira | 14h

 

Imaginario

Dir. SAM | 3 min | Espanha

Fim de noite. É hora de fechar o bar, mas um cliente inconveniente continua consumindo.

+

Flotando

Dir. Frankie De Leonardis | 9 min | Espanha

Durante uma missão, na estação espacial, um astronauta sofre um acidente. Ao despertar, escuta batidas de fora. Seria alguém a lhe dar boas-vindas, ou apenas sua imaginação?

+

A Chest of Drawers

Dir. Maxwell Nalevansky | 13 min | Estados Unidos

O apicultor nunca retira sua máscara – nem para seu homem musculoso, aquele que uma vez o salvou da morte. Ele deve escolher entre revelar sua face ou perder seu amor.

+

Bailaora

Dir. Rubin Stein | 15 min | Espanha

Uma Guerra. Uma criança. Um sonho.

+

Uterus

Dir. Pedro Antoniutti | 15 min | Brasil

Eventos perturbadores – todos circunscritos no mesmo local – transformam as vidas de quatro pessoas.

+

O Sorriso de Felícia

Dir. Klaus Hastenreiter | 19 min | Brasil

No aniversário de um colega, Felícia, a nova estagiária de uma agência publicitária, descobre os estranhos hábitos de seus empregados da pior forma possível.

+

Pop Ritual

Dir. Mozart Freire | 20 min | Brasil

Padre João prende um vampiro e o visita para um regime de experimentos científicos e estranhezas – que se tornam uma alucinada relação entre erotismo e o sobrenatural.

+

Who’s That Man Inside My House?

Dir. Lucas Reis | 10 min | Brasil

Uma casa representa uma nação. Nicolas enxerga uma entidade que passa a habitar na sua residência.

+

Tu Último Día En La Tierra

Dir. Marc Martínez Jordán | 13 min | Espanha

Um homem vestido de lobo viaja ao passado para reviver momentos com sua falecida esposa. No entanto, ele esconde um plano complexo e ambicioso.

 

 

 

Mostra Curtas III

(107 min., classificação: 12 anos)

21 de Maio | 3ª-feira | 16h

24 de Maio | 6ª-feira | 16h

 

Widdershins

Dir. Simon P. Biggs | 11 min | Reino Unido

A vida de um cavalheiro abastado é perfeitamente automatizada por máquinas. Até que ele se enamora por uma mulher de espírito livre.

+

Robot Will Protect You

Dir. Nicola Piovesan | 10 min | Estônia

Num mundo ausente de emoções, em que realidade e ciberespaço se confundem, uma garotinha e seu robô procuram um significado.

+

L’ombra Della Sposa

Dir. Alessandra Pescetta | 11 min | Itália

Os últimos momentos de vida de soldados da Segunda Guerra estão dissolvidos no Mar Mediterrâneo. Ainda hoje, é possível escutar as lamentações de suas mulheres.

+

O Homem na Caixa

Dir. Ale Borges, Alvaro Furloni, Guilherme Gehr | 19 min | Brasil

Preso há décadas em uma prisão de segurança máxima, um velho mágico tenta reviver os seus dias de glória, colocando em prática um plano de fuga perfeito.

+

Bavure

Dir. Donato Sansone | 4 min | França

A evolução de um ser humano de sua criação até o momento em que passa a ter noção dos mistérios do universo.

+

Rain Catcher

Dir. Michele Fiascaris | 16 min | Reino Unido

Um jovem fotógrafo percebe que, em seus registros, a figura de um sinistro e misterioso homem aparece constantemente. Quem é essa pessoa que o persegue?

+

La Couleur de tes Lèvres

Dir. Annick Blanc | 18 min | Canadá

Tornou-se impossível respirar na atmosfera. Um mergulhador e uma mulher sobrevivem com suas reservas de oxigênio. Quando estas findarem, eles optarão pelo amor ou pela guerra?

+

ONI

Dir. Diogo Hayashi | 18 min | Brasil

A fazenda não é mais fértil. Tentando compreender o problema, o botânico Ichiro acabará chamando a atenção de seres há muito esquecidos.

 

 

 

Mostra Curtas IV

(99 min., classificação: 14 anos)

22 de Maio | 4ª-feira | 16h

24 de Maio | 6ª-feira | 19h

 

The Levers

Dir. Boyoung Kim | 9 min | Coréia do Sul

Um rapaz aceita um emprego simples: acionar alavancas enquanto escuta música nos fones de ouvido. Até que, um dia, sem os fones, ele nota sons bastante estranhos.

+

Fuse

Dir. Shadi Adib | 7 min | Alemanha

Uma ratoeira se fecha, um mercado desperta. Homens discutem como matar um rato. O jogo macabro se desdobra: tanto vítima como assassino sofrem o mesmo destino.

+

Cova Humana

Dir. Joel Caetano | 10 min | Brasil

Ele enterrou sua dor profundamente, mas ela insiste em voltar.

+

Anacronte

Dir. Raúl Koler, Emiliano Sette | 15 min | Argentina

Insensivelmente, Anacronte e os Bruxos do Mal põem a prova a atitude da humanidade, numa batalha que, em suma, nos torna vencedores e perdedores.

+

Almofada de Penas

Dir.  Joseph Specker Nys | 12 min | Brasil

Após a lua-de-mel, Alicia começa a sofrer de uma doença inexplicável. Enquanto mergulha numa realidade repleta de alucinações monstruosas, seu marido observa com indiferença.

+

Tangle

Dir.  Malihe Ghloamzadeh | 8 min | Irã

A vida de uma garota na Guerra: uma de muitas histórias de pessoas que têm de deixar suas casas devido a conflitos armados.

+

Diversion

Dir. Mathieu Mégemont | 23 min | França

O jornalista policial Joël vai ao campo cobrir um caso. Após acidentalmente atropelar um cão na estrada, Joël se vê envolvido numa sinistra história, semelhante às que ele escreve.

+

Here There Be Monsters

Dir. Drew Macdonald | 15 min | Austrália

Após sofrer um episódio de bullying, uma garota é confrontada por um enorme e monstruoso ser. Para escapar com vida, ela terá que libertar seu próprio monstro.

 

 

Mostra Curtas V

 (114 min., classificação: 14 anos)

23 de Maio | 5ª-feira | 16h

25 de Maio | Sábado | 19h

 

La Noria

Dir. Carlos Baena | 12 min | Espanha

Um garotinho que ama desenhar e construir ferrovias de brinquedo é confrontado por estranhas criaturas que mudam sua vida.

+

Le Blizzard

Dir. Àlvaro Rodriguez Areny | 12 min | Andorra

Segunda Grande Guerra. Marie, uma refugiada francesa, acorda machucada e desorientada no meio de uma nevasca. À sua frente, uma misteriosa floresta a separa de sua filha.

+

Glitch

Dir. Bijiao Liu | 4 min | Estados Unidos

Uma garota descobre que não possui controle total sobre o seu próprio jogo.

+

Wild Love

Dir. Paul Autric, Quentin Camus, Léa Georges, Maryka Laudet, Zoé Sottiaux, Corentin Yvergniaux | 7 min | França

Num encontro romântico na floresta, Alan e Beverly causam um acidente fatal. O casal terá que pagar pelo crime.

+

Acide

Dir. Just Philippot | 18 min | França

Uma estranha nuvem surge e toma o centro do país, levando a população às estradas. Sua presença causa pânico, pois sua chuva é acida.

+

Soy Una Tumba

Dir. Khris Cembe | 13 min | Espanha

Toda noite, um garoto vê seu pai descarregando cargas contrabandeadas de tabaco. Porém, naquela noite a carga não é de tabaco…

+

A Caixa

Dir | Renata Jesion | 7 min | Brasil

Duas irmãs inseparáveis, trancafiadas numa casa decadente, disputam por uma pequena riqueza guardada há décadas.

+

Dragan’s Pack

Dir. Riccardo Bernasconi, Francesca Reverdito | 20 min | Suíça

Os desafios de um “cachorromem” chihuahua no mundo moderno.

+

Dead Teenager Séance

Dir. Dante Vescio, Rodrigo Gasparini | 21 min | Brasil

No limbo, um grupo de adolescentes mortos decide se vingar de seu assassino invocando-o para o seu mundo.

 

 

Mostra Competitiva de Animação – XV Fantaspoa

 

Sempre com o objetivo de exibir obras que dificilmente têm distribuição comercial, o Fantaspoa tem a honra de disponibilizar ao público a oportunidade de assistir a uma seleção de longas-metragens de animação: são cinco filmes oriundos de diversos países, que fazem uso de diferentes técnicas de filmagem e cuja característica comum é o forte cunho autoral.

Trata-se de um rico panorama da produção fílmica mundial em animação, bastante diverso das obras de grandes estúdios que, atualmente, ocupam a maioria das salas de cinema. São filmes repletos de simbolismos e metáforas que, embora não tão fáceis, certamente trarão experiências bastante enriquecedoras.

 

A Casa Lobo

Dir. Joaquín Cociña e Cristóbal León | 2018 | China/Alemanha | 75 min | 12 anos

Para evitar ser punida após deixar três porquinhos fugirem de uma colônia religiosa alemã, Maria Wehrle escapa para a floresta. Sabendo da existência de um perigoso lobo mal, ela se refugia numa estranha casa, onde encontra dois dos porquinhos fugitivos. Sua imaginação faz com que ela os veja como duas crianças carentes de seus cuidados.

 

27 de Maio | 2ª-feira | 19h

31 de Maio | 6ª-feira | 19h

 

Laika

Dir. Aurel Klimt | 2017 | República Tcheca | 88 min | 12 anos

Laika era uma cadela qualquer até ser forçada a se tornar pioneira em astronáutica. Logo após sua ida ao espaço, vários animais são enviados a partir de Houston e Baikonur. Eles colonizam um planeta com sucesso, e vivem harmoniosamente com os seres já existentes. Até que o primeiro cosmonauta chega, colocando a paz em risco.

 

28 de Maio | 3ª-feira | 19h

30 de Maio | 5ª-feira | 16h

 

S He

Dir. Shengwei Zhou | 2018 | China | 95 min | 12 anos

Após herdar a casa de seu avô que morreu repentinamente, Alysa retorna a seu lar de infância para prepará-la para venda. Não tarda para que ela perceba algo tentando assustá-la. Agora, Alysa explorará as salas secretas e esconderijos do subsolo da casa a fim de descobrir o mal que lá se esconde.

 

27 de Maio | 2ª-feira | 16h

29 de Maio | 4ª-feira | 19h

 

Seder-Masochism

Dir. Nina Paley  | 2018 |  EUA | 78 min |  14 anos

Seguindo levemente um tradicional Sêder de Pessach, os eventos do Livro de Êxodo são recontados por Moisés, Arão, o Anjo da Morte, Jesus e o próprio pai da diretora. Mas há um outro lado da história: das deusas, as divindades mais antigas da humanidade. A Grande Mãe ressuscita numa trágica luta contra as forças do patriarcado.

 

30 de Maio | 5ª-feira | 19h

31 de Maio | 6ª-feira | 16h

 

Seleção Animakon Festival

95 min | classificação 16 anos

 

Animakom é um festival de animação que ocorre anualmente em Bilbao, sob direção do

mestre e herói da animação Pedro Rivero, cujas obras “A Crise Carnívora”; “Sangue de

Unicórnio” e “Psiconautas, As Crianças Esquecidas” foram exibidas, premiadas e aclamadas em

diversos festivais do mundo – inclusive o Fantaspoa. Esta seleção, exclusivamente montada

para o Fantaspoa, conta com os vencedores das últimas edições do Animakon.

 

Decorado (Dir.: Alberto Vázquez, 11 min., Espanha)

Catherine (Dir.: Britt Raes, 12 min., Bélgica)

Pussy (Dir.: Renata Gasiorowska, 8 min., Polônia)

The Empty (Dir.: Dahee Yeong, 9 min., França)

Viacruxis (Dir.: Ignasi López, 11 min., Espanha)

Enough (Dir.: Anna Mantzaris, 2 min., Reino Unido)

Buddy Joe (Dir.: Julien David, 13 min., França)

The Brave Heart (Or The Day We Enabled The Sleepwalking Protocol) (Dir.: Luca Schenato,

Sinem Vardarli, 10 min., Reino Unido)

Soy Una Tumba (Dir.: Khris Cembe, 13 min., Espanha)

Egg (Dir.: Martina Scarpelli, 12 min., Dinamarca, França)

 

– Sessão apresentada pelo diretor Pedro Rivero

 

 

01 de Junho | Sábado | 16h00

 

Violence Voyager

Dir. Ujicha | 2018 | Japão | 83 min | 12 anos

Os garotos Bobby e Akkun decidem ir às montanhas, buscando um lugar para uma base secreta. No caminho, encontram um misterioso parque de diversões. Lá, eles se divertem, até que sofrem um ataque. Logo descobrem que o local é uma armadilha criada por Koike, que captura crianças para alimentar seu filho Takashi.

 

28 de Maio | 3ª-Feira | 16h

01 de Junho | Sábado | 19h

INFORMAÇÕES

“Dr. Mabuse, o Jogador” (parte 1 de Dr. Mabuse)

Dir. Fritz Lang | Alemanha | Drama | 1922 | 154min

Filme icônico do director Fritz Lang, conta a estória de uma organização criminal liderada por Mabuse (Rudolf Klein-Rogge), um misterioso psicanalista, cuja diversão é brincar com homem ricos através de técnicas de hipnose. Ele joga cartas com os ricos, hipnotiza-os e faz com que apostem todo o dinheiro que tem.  Para um último crime, eles selecionam o milionário Edgar Hull (Paul Richter). No entanto, o comissário Wenk (Bernhard Goetzke) começa uma investigação para descobrir quem é o Dr. Mabuse.

21 de maio | 3ª-feira | 19h

INFORMAÇÕES

O Zenit – Parque Científico e Tecnológico da UFRGS foi criado em 2012 surge com o intuito de fomentar o sistema de pesquisa, inovação e empreendedorismo da universidade através de novas ideias que transformem o setor produtivo e levem produtos e serviços inovadores à sociedade. Com o objetivo de sensibilizar o público sobre temas tão importantes, propõe-se o projeto INOVAÇÃO NAS TELAS, com a exibição de um filme aclamado pela crítica, seguido de um debate com um especialista no tema. Em cada encontro será abordado um tema diferente, tendo esta primeira edição o foco na fase inicial de criação de um negócio.

Joy: O nome do Sucesso

Dir. David O. Russel | 2015 | EUA | Drama/Ficção histórica | 2h 4m

Joy é uma jovem brilhante, mas leva uma vida pessoal extremamente complicada. Ela é divorciada e tem dois filhos. Seu ex-marido mora no porão de sua casa, enquanto sua mãe vive no andar de cima e passa o dia todo assistindo a novelas. E seu pai, divorciado de sua mãe há 17 anos, também vive na mesma casa. Criativa desde a infância, Joy inventa um esfregão de limpeza milagroso que se transforma em fenômeno de vendas e faz dela uma das empreendedoras de maior sucesso dos Estados Unidos.

22 de maio | quarta-feira | 19h

Foto- Gisele Endres/Unimúsica - UFRGS Música

Elza Soares vai receber Honoris Causa da UFRGS: distribuição…

Uma das lendas da música popular brasileira e bandeira da luta da mulher negra em um país preconceituoso contra o gênero e contra a cor da pele, Elza Soares, 81 anos, receberá uma devida homenagem pelo conjunto de sua obra na Universidade Federal do Rio Grande do Sul: o título de Doutora Honoris Causa. Em sessão na manhã desta sexta-feira, 17, o Conselho Universitário da UFRGS aprovou a entrega do título em 26 de maio às 20h, com entrada gratuita, no Salão de Atos. A proposição foi feita pelo Departamento de Difusão Cultural da UFRGS em conjunto com o Instituto de Artes.

A distribuição de ingressos ocorrerá a partir de segunda, 20 de maio, das 9h às 18h, na recepção do Centro Cultural da UFRGS. O limite de ingressos disponibilizados – comunidade interna e externa à UFRGS – é de dois por pessoa.

A entrega do reconhecimento a Elza Soares é um momento histórico também para a cultura brasileira, em razão de ser a primeira vez que uma artista mulher e negra, ligada à música popular, recebe a distinção. Somente Maria Bethania recebera tal título pela Universidade Federal da Bahia, em 2016.

Outros artistas da música brasileira também receberam o título, como Gilberto Gil (Universidade de Aveiro, Portugal – 2006); Luiz Gonzaga (in memoriam – UFRPE, 2012); Milton Nascimento (UEMG, 2012, e Berklee, Estados Unidos – 2016); Waltel Branco (UFPR, 2012); Sebastião Tapajós (UFOPA, 2013); Naná Vasconcelos (UFRPE, 2015); Geraldo Azevedo (UPE e UNIFASF, 2016); Nei Lopes (UFRGS, 2017); Martinho da Vila (UFRJ, 2017); Hermeto Paschoal (New England Conservatory, Estados Unidos -2017) e Egberto Gismonti (UNIRIO, 2017). É a primeira honraria de tal grau concedida pela UFRGS a um músico. O último doutor honoris da UFRGS foi dado ao educador peruano Oscar Jara, no ano passado.

Lançamento de biografia

Logo após o honoris causa, no mesmo Salão de Atos da UFRGS, Elza Soares recebe para uma conversa o escritor e músico José Miguel Wisnik. Os dois darão o seu testemunho e debaterão sobre as Coisas Essenciais da Vida, projeto desenvolvido pelo Departamento de Difusão Cultural da UFRGS até 2003, e que tem uma sessão especial com os convidados no dia 26 de maio.

A última etapa da programação do dia dedicado à rainha Elza Soares ocorrerá no hall de entrada do Salão de Atos da UFRGS. No local, Elza vai lançar ao público a sua nova biografia, Elza, realizada em parceria com o jornalista Zeca Camargo. Haverá sessão de autógrafos no local. O preço sugerido da obra é de R$ 59,90.

Sobre Elza Soares

Com 35 álbuns gravados (afora os compactos e coletâneas) e mais de 60 anos de carreira, Elza Soares é uma das maiores personalidades da história da música popular brasileira. Eleita a Melhor Cantora do Milênio pela BBC de Londres em 1999, Elza viu seus trabalhos serem aclamados pelo público e pela crítica. Um de seus discos mais recentes, A mulher do fim do mundo (2015) recebeu o Grammy Latino na categoria de Melhor Álbum de Música Popular Brasileira e o prêmio de Melhor Álbum pela Associação Paulista de Críticos de Artes (APCA).  Com um percurso sempre pautado pela ousadia, a artista se mantém atual e aberta a novas tendências, transitando também pelo rap e pelas experimentações com música eletrônica e incorporando temas relacionados ao preconceito étnico-racial, ao empoderamento feminino e à valorização das religiões de matriz africana.

Sobre o projeto Coisas Essenciais da Vida

A frase ‘coisas essenciais da vida’, mote da Série Depoimentos desenvolvida pelo Departamento de Difusão Cultural em 2002 e 2003, foi inspirada na obra Walden, do escritor americano Henry Thoreau, publicada em 1854. Nesse texto, o autor conta como viveu isolado durante dois anos. Ao deixar a cidade afastando-se do convívio social, Thoreau buscava, antes de mais nada, uma radical reflexão sobre o sentido de viver bem a vida. Naquele momento, marcado por uma rápida urbanização e industrialização, em que a tensão entre os confortos e os desconfortos do mundo moderno começava a surgir, Thoreau questionava a ideia de que uma vida bem vivida é sinônimo de acúmulo excessivo de bens materiais.

A partir da obra de Henry Thoreau, concebemos o projeto ‘coisas essenciais da vida’, que tinha como proposta central o questionamento sobre o que pode ser considerado essencial na vida de hoje, marcada não só pelo excesso – e pelo desperdício – de tudo que é palpável, como alimentos e objetos, mas também pelo excesso de estímulos e informações. O consumo exacerbado, de um lado, e uma aguda carência, de outro, perceptível também no que se refere aos bens culturais, às produções simbólicas, tornava fundamental a possibilidade de um pensamento plural sobre o estado das coisas no mundo contemporâneo.

Assim, artistas e pensadores das mais diferentes áreas foram convidados a dar o seu testemunho sobre o tema em encontros mensais em diferentes espaços da universidade. Participaram da Série Depoimentos: ‘coisas essenciais da vida’ o cineasta Beto Brant, cujo depoimento esteve associado à pré-estreia de seu último filme, O Invasor; o filósofo Nelson Brissac, criador do Arte/Cidade; o pesquisador e professor da ECA-USP, Teixeira Coelho; as artistas plásticas Elida Tessler e Maria Lucia Cattani; o psicanalista Contardo Calligaris; o jornalista Ruy Carlos Ostermann; e o escritor Armindo Trevisan. Em 2003, ano em que a programação voltou-se para a produção realizada por mulheres, participaram a cantora Elza Soares (acompanhada pelo compositor e professor e ensaísta Zé Miguel Wisnik), a poeta Alice Ruiz (acompanhada pela compositora Alzira Espíndola), as cineastas Liliana Sulzbach e Ana Luiza Azevedo, a filósofa Olgária Matos, a psicanalista Maria Rita Kehl e a diretora teatral Maria Helena Lopes.

Hoje, passados mais de quinze anos, o tema continua atual e urgente. Por isso a ideia de reeditar um dos mais marcantes depoimentos da série: aquele realizado pela cantora e compositora Elza Soares ao lado de seu parceiro de inúmeros projetos, o ensaísta e compositor Zé Miguel Wisnik.

SERVIÇO

Sobre: Distinção de Doutora Honoris Causa a Elza Soares + Conversa com José Miguel Wisnik – projeto Coisas Essenciais da Vida + Lançamento da biografia ‘Elza’ e sessão de autógrafos.

Data: 26/05

Horário: a partir das 20h

Local: Salão de Atos da UFRGS (Av. Paulo Gama, 110, Porto Alegre-RS)

Ingressos: Distribuição a partir de 20/05 das 9h às 18h na recepção do Centro Cultural da UFRGS (Rua Eng. Luiz Englert, 333, Porto Alegre-RS). Limite de dois ingressos por pessoa – comunidade interna e externa à UFRGS.

Palestras

Infinitas Ideias estreia com palestras sobre política cultural na…

O mais recente projeto de palestras, seminários e encontros do Departamento de Difusão Cultural da UFRGS estreia nesta sexta-feira, 17/05, às 15h. O projeto Infinitas Ideias traz para as dependências do Centro Cultural José Tasat, professor da Universidad Nacional Tres de Febrero, da Argentina, e coordenador geral do Programa Pensamento Americano, das ‘Jornadas O Pensamento de Rodolfo Kusch’. O tema abordado pelo estudioso será Políticas Culturais para Pensar a América na Universidade.

Além da palestra de estreia, o Infinitas Ideias continua o debate sobre política cultural universitária no dia 05 de junho com o encontro com os pesquisadores Paul Heritage e Leandro Valiati. A dupla irá abordar o debate sobre impactos multidimensionais, valor das atividades de arte e cultura e como produzir evidências que orientem políticas de cultura de diferentes instituições. Será abordado, como estudo de caso, o projeto Relative Values, que produziu – e produz – um conjunto de indicadores para a política cultural baseada em evidências aplicados a dez organizações culturais brasileiras e britânicas.

Ambos os encontros são gratuitos, abertos ao público e a entrada será por ordem de chegada.

Palestra com José Tasat
Data: 17/05
Hora: 15h
Tema: Políticas Culturais para Pensar a América na Universidade

Palestra com Paul Heritage
Data: 05/06
Hora: 19h
Tema: Relative Values: evidências em políticas públicas de arte e cultura 

Cursos

Ernildo Stein ministra Curso História da Filosofia e a…

Com 84 anos e diversos pós-doutorados no currículo, um dos maiores nomes da filosofia contemporânea do Brasil ministra o curso História da Filosofia e a Questão da Interpretação no Centro Cultural da UFRGS, na Sala Abacateiro. Ernildo Stein receberá os participantes em quatro datas: 21/05, 04/06, 18/06 e 02/07. Todas as aulas acontecerão das 16h30 às 18h30.

Autor de diversas obras sobre filosofia, Ernildo Stein, em seu curso, ofertará aulas em módulos de caráter introdutório ao estudo dos temas abordados. Seu principal objetivo é desfazer o tabu entre o pensar e o gesto do estético – este possuindo a marca do lugar no qual se encontra.

Público alvo: Estudantes de graduação, pós-graduação, servidores e comunidade em geral.

Distribuição das vagas: máximo de 60 pessoas

  • 25 vagas para o público em geral
  • 20 vagas para grupos de pesquisa dos professores Raimundo Rajovac, Luiz Carlos Bombassaro e Marília Stein
  • 15 vagas para servidores através do portal da Escola de Desenvolvimento do Servidor

Datas: O curso será desenvolvido em quatro módulos, em encontros presenciais de duas horas de duração (16h30 às 18h30);

  •  21/05 – I. Das origens até o começo. 2. Da Modernidade até a pós-modernidade. – Inscreva-se
    Lista de participantes confirmados (divulgado em 20/05): lista – Ciclo de debates
  • 04/06 – II. A Escola Histórica. 4. A Filosofia Hermenêutica. – Inscreva-se
  • 18/06 – III. Hermenêutica Filosófica. “Verdade e Método” (Gadamer). 6. Os principais métodos na História da Filosofia. – Inscreva-se
  • 02/07 – IV. A questão da linguagem e a dupla estrutura –  Escolas e correntes filosóficas. O conhecimento e a verdade. – Inscreva-se

Sobre o curso

O curso abre um ciclo de debates que culminará na relação Arte e Filosofia. Tem como objetivo pensar diversos modos como a História da Filosofia evoluiu em direção do conhecimento e da linguagem no horizonte do paradigma hermenêutico. Entre os diversos modos de pensar na História da Filosofia, se desenvolveu aquele que dá preferência à História, Linguagem, Arte e Interpretação. Não se deixa de lado o aspecto epistemológico, mas se procura perguntar mais pelo modo como se desenvolve a Historicidade do pensamento. Há uma experiência histórica da Filosofia que tem mais amplitude que sua simples comparação com as ciências em geral. No século 20 foi tomando então forma o que podemos chamar de Paradigma Hermenêutico.

Sobre o professor

O Palestrante Ernildo Stein possui graduação em Filosofia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1964), graduação em Direito pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1965) e doutorado de Filosofia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1968). Pós-Doutorado na Universidade de Erlangen-Nürnberg (1969-1972), na Universidade Livre de Berlim (1981), na Universidade de Freiburg (1989), e outros, igualmente na Alemanha. Atualmente é Professor Titular na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, onde coordena o grupo de pesquisa Linguagem e Hermenêutica, junto ao Programa de Pós-Graduação em Filosofia – Mestrado e Doutorado.

Cinema

6ª edição do Cine Caramelo começa dia 13 na…

Um dos eventos de maior destaque no circuito do cinema infanto-juvenil no Brasil chega a sua sexta edição de 13 a 17 de maio, na Sala Redenção – Cinema Universitário. O Cine Caramelo – Festival infanto-juvenil de cinema de Porto Alegre ocorre, além da Sala Redenção, na Sala Paulo Amorim e Instituto Ling. Embora a programação durante a semana da mostra seja preferencialmente voltada às escolas (diariamente às 14h as escolas terão sessão exclusiva), às 16h e às 19h as sessões serão abertas ao público. 

Além do Cine Caramelo, haverá sessão especial do documentário “Exteriores – Mulheres Brasileiras na Diplomacia”, no dia 13 às 16h, com debate ao final. O Cinemas em Rede apresenta nesta semana o filme brasileiro Paraíso Perdido em 16/05 às 19h.

programação

INFORMAÇÕES

Sejam todos muito bem-vindos à sexta edição do Cine Caramelo – Festival infantojuvenil de cinema de Porto Alegre, que acontece de 13 de maio à 15 de junho na Sala Redenção, Sala Paulo Amorim e Instituto Ling, com itinerâncias em escolas da rede municipal e também no Centro de Cultura de Três Coroas.

Neste ano o Cine Caramelo vem consolidar seu compromisso com o cuidado, o respeito e a valorização da infância. Propõe para isso um espaço de convívio privilegiado com exibições de filmes, sessões comentadas e cinema para bebês, permeado por diversas atividades lúdicas, culturais e pedagógicas integradas, tais como performance musical, roda de conversa, interação de palhaçaria e oficina de animação em flipbook. Tudo isso aberto ao público e gratuito.

De 13 a 17 de maio, na Sala Redenção – Cinema Universitário da UFRGS, espaço tradicional das cinco edições anteriores do Cine Caramelo – acontecem, durante o dia, sessões infantojuvenis abertas às escolas e ao público em geral. Duas destas sessões terão tradução para Libras, garantindo o acesso de deficientes auditivos. À noite, sessões para adultos, exibindo uma seleção especial de filmes que refletem sobre a inclusão de crianças e adultos com deficiência na escola, no convívio social, no mercado de trabalho e na arte.

Assim, enquanto as sessões infantojuvenis são marcadas pela diversidade de temas, trazendo contos que vão do épico ao futurista, histórias de aventura que divertem e ao mesmo tempo estimulam a memória e a reflexão, as sessões adultas apresentam obras marcantes na abordagem da diferença e da inclusão nos dias de hoje. Um dos destaques é o documentário “Meu nome é Daniel”, realizado por um jovem cineasta que nasceu com uma deficiência que nenhum médico foi capaz de diagnosticar. Através de imagens de arquivo da família e de cenas gravadas nos dias atuais, ele leva o público a passear por suas histórias e reflexões.

O diretor Daniel Gonçalves é o homenageado desta edição do Cine Caramelo e conversará com o público após a sessão. “Meu Nome é Daniel” ganhou recentemente o prêmio “Documental Calificado Oscar” do Festival Internacional de Cine de Cartagena, realizado na Colômbia, qualificando o filme para disputar o Oscar da categoria Melhor Documentário em 2020. Será exibido ainda um programa de curtas metragens realizados pelo diretor antes do longa.

Outra sessão comentada imperdível acontecerá logo após a exbição do documentário “Dançando com a Diferença – ROAD”, que trata do tema da Dança Inclusiva. Marcio Pizarro Noronha, professor no curso de Dança na UFRGS, e pesquisador na área de dança e deficiência, interartes e transmidialidades, estará presente na sessão para falar de suas experiências.

A sexta edição do Cine Caramelo é uma realização da Véspera Visual Media. Conta com apoio do Sistema Fecomércio SESC-RS, Instituto Ling, Cinemateca Paulo Amorim, Prefeitura de Três Coroas, Departamento de Difusão Cultural (UFRGS), Sala Redenção – Cinema Universitário (UFRGS), Videocamp e Financiamento do Fundo de Apoio à Cultura (PRÓ-CULTURA RS FAC), Lei nº 13.490/10.

Andreia Vigo

Curadora e Diretora geral do Cine Caramelo

 

 

Sessões infanto-juvenis

 

Peixonauta – O filme
Dir. Kiko Mistrorigo e Célia Catunda | Brasil | 2016 | 87min | 3 a 5 anos

Peixonauta, Marina e Zico saem do Parque em busca do Dr. Jardim e dos primos Pedro e Juca, mas ao chegarem na cidade grande percebem que as pessoas encolheram. Intrigados e correndo contra o tempo, Peixonauta e seus amigos precisam salvar a população do desaparecimento completo.
13 de Maio | 2ª-feira | 14h

 

Bruxarias
Dir. Virginia Curiá | Espanha | 2015 | 78min | Sessão com Libras | 7 a 10 anos
Malva tem 10 anos a ajuda a avó na venda de produtos medicinais, cuja fórmula vem de seus ancestrais. Quando a avó é raptada por Rufa, uma fabricante de cosméticos que quer roubar os ingredientes secretos, Malva parte numa busca que a conduzirá pela história mágica de seus antepassados.
14 de Maio | 3ª-feira | 14h

 

Uma viagem ao mundo das fábulas

Dir. Tomm Moore e Nora Twomey | Bélgica/Irlanda/França | 2009 | 80min | 9 a 12 anos

Em pleno século IX, Brendon, um jovem de 12 anos de idade, vive no mosteiro de uma remota vila medieval que está sob o cerco de invasões bárbaras. Ele recebeu a importante e misteriosa missão de concluir e apresentar para o mundo o mais fantástico dos livros, o chamado Livro de Kells.

15 de Maio | 4ª-feira | 14h

 

Historietas Assombradas – O filme

Dir. Victor-Hugo Borges | Brasil | 2017 | 90min | Sessão com Libras | 9 a 12 anos

Aos 12 anos, Pepe mora com sua avó, uma bruxa-empresária e descobre que é adotado. Ao saber que seus pais estão vivos ele parte em uma aventura para encontrá-los. O menino atrai a atenção de Edmundo, um vilão biomecânico que precisa da energia de crianças para se tornar imortal.

16 de Maio | 5ª-feira | 14h

 

 

Programa de curtas, 50min [6 a 8 anos] *

 

Lipe, Vovô e o Monstro
Dir. Felippe Steffens e Carlos Mateus | RS | 2016 | 9min

Um menino vai passar o final de semana no sítio dos avós. Durante uma pescaria, ele conhece um segredo de seu avô, e acaba fazendo uma nova e inusitada amizade.

17 de Maio | 6ª-feira | 14h

Meu tio que me disse

Dir. Vanusa Angelita Ferlin | SC | 2015 | 10min

Tatiana é uma menina curiosa e está intrigada com a euforia de todos pela data de Natal. Até que um dia a mãe se depara com a pergunta: Papai Noel existe mesmo? A partir da resposta da mãe, a “pergunta” vai ao quintal brincar com os amigos, que respondem com muita imaginação.

17 de Maio | 6ª-feira | 14h

Astrogildo e a astronave
Dir. Edson Bastos | CE | 2016 | 18min

Astrogildo anuncia para jornalistas do mundo inteiro que o seu mais novo invento, uma Astronave, vai voar dentro de um dia. Com a ajuda de Finício, um menino que sonha em conhecer seu pai, que foi para o céu com a ajuda de um avião, Astrogildo terá de enfrentar seus medos para conseguir voar.

17 de Maio | 6ª-feira | 14h

O melhor som do mundo

Dir. Pedro Paulo de Andrade | SP | 2015 | 13min

Vinicius não coleciona figurinhas, nem carrinhos, nem gibis. Ele coleciona sons. Mas será possível encontrar o melhor som do mundo?

17 de Maio | 6ª-feira | 14h

 

Sessões adultos

Outro olhar – Convivendo com a diferença

Dir. Renata Sette | Brasil | 2015 | 34min

O documentário que conta a história de um indivíduo em busca do universal. O indivíduo, no caso, é Charbel Gabriel, um senhor de 60 anos que ainda trabalha, exercita-se, cuida-se, estuda, interage diariamente com a família e a comunidade e tem síndrome de Down. Charbel é uma prova de que a síndrome não o afasta nem o limita no convívio com a comunidade, família e amigos.

13 de Maio | 2ª-feira | 19h

17 de Maio | 6ª-feira | 16h

Outro olhar – Uma nova Perspectiva

Dir. Renata Sette | Brasil | 2014| 26min

A história da estudante gaúcha Renata Basso, que tem síndrome de Down e acaba de concluir o ensino médio, é o fio condutor de um retrato impressionante sobre a educação inclusiva no Brasil. Por meio de entrevistas com professores, colegas de classe, familiares e a própria Renata, o filme mostra que o esforço coletivo torna possível oferecer uma aprendizagem de qualidade a estudantes especiais.

13 de Maio | 2ª-feira | 19h

17 de Maio | 6ª-feira | 16h

 Quem são elas?

Dir. Debora Diniz | Brasil | 2006 | 20min

Em julho de 2004, a Justiça brasileira autorizou que mulheres grávidas de fetos sem cérebro interrompessem a gestação. Durante quatro meses, dezenas de mulheres foram amparadas por essa decisão e optaram pelo aborto. O filme conta a história de quatro dessas mulheres durante dois anos. Protagonistas de suas próprias vidas, elas são as narradoras de suas escolhas em um filme que impressiona pela força e resignação diante do luto precoce.

14 de Maio | 3ª-feira | 16h

Habeas Corpus

Dir. Debora Diniz e Ramon Navarro | Brasil | 2005 | 20min

O documentário acompanha Tatielle, uma jovem mulher do interior de Goiás. Grávida de 5 meses de um feto que não sobreviveria ao parto, um habeas corpus apresentado por um padre que sequer a conhecia impediu Tatielle de interromper a gestação. Já sentindo as dores do parto, Tatielle foi mandada embora do hospital onde estava internada. De volta para casa, Tatielle agonizou cinco dias as dores de um parto proibido pela Religião e pela Justiça.

14 de Maio | 3ª-feira | 16h

Meu nome é Daniel

Dir. Daniel Gonçalves | Brasil | 2018 | 82min | Classificação 10 anos

O cineasta Daniel Gonçalves apresenta este documentário sobre sua própria vida: ele nasceu com uma deficiência que nenhum médico foi capaz de diagnosticar. Por meio de imagens de arquivo, vídeos de família e cenas atuais, o diretor propõe um passeio por sua história e suas reflexões. Selecionado e premiado em importante festivais de cinema como 42ª Mostra Internacional de Cinema de São PauloFestival do Rio 2018 (Menção Honrosa Direção de Documentário), Mostra de Cinema de Tiradentes 2019 (Melhor Longa Metragem Júri Popular), Festival Internacional de Cine de Cartagena de Índias 2019 (Documentário qualificado ao Oscar 2020), entre outros.

14 de Maio | 3ª-feira | 19h - Sessão comentada com Daniel Gonçalves

Formado em jornalismo pela PUC-Rio e pós-graduado em cinema documentário pela Fundação Getúlio Vargas, trabalhou durante três anos na TV Globo e hoje é sócio da produtora SeuFilme. Dirigiu os documentários tem bala aí? (2008); Luz Guia (2012); Como Seria? (2014); e Pela Estrada Afora (2015), documentário para o programa Sala de Notícias do Canal Futura. Meu nome é Daniel é seu primeiro longa-metragem.

Mediação Lau Patron

Lau Patrón nasceu em Porto Alegre em 1988, metade uruguaia e metade brasileira. Trabalhou como produtora audiovisual e publicitária, antes de se tornar mãe de João Vicente, um menino corajoso portador de uma síndrome raríssima autoimune. Em 2015, criou a página Avante Leãozinho, onde divide suas reflexões sobre inclusão, além de acolher outras famílias. Desenvolvendo novos projetos na linha da inclusão, é palestrante TEDx e acredita na mudança que passa pelo afeto. É autora de 71 Leões, livro que reúne histórias, poesias e crônicas que estavam na gaveta há vários anos.

Como Somos

Dir. Naira Soares e Mirella de Souza | Brasil | 2015 | 30 min

Como Somos é um documentário que conta a história de doze famílias com algo especial em comum: a convivência com um familiar autista e/ou com síndrome de Down. Partindo do pressuposto de que instituições públicas e privadas dizem não estar preparadas para receber essas pessoas, o questionamento que fica é: E as famílias? Será que foram preparadas?

15 de Maio | 4ª-feira | 16h

Pessoas com Eficiências

Dir. Ricardo Chut | Brasil | 2016 | 10min

Depoimentos reais de 19 pessoas com deficiência, que vivem em São Paulo, sobre os desafios e expectativas sobre o mercado de trabalho. Apesar da existência de uma lei federal que vigora há 25 anos e que determina que empresas a partir de 100 funcionários tenham um percentual de funcionários com alguma deficiência, menos de 10% das empresas cumprem a exigência.

15 de Maio | 4ª-feira | 16h

Dançando com a diferença – Road

Dir. Zito Marques | Brasil | 2016 | 42min

A convite do Teatro Viriato, o diretor artístico do Grupo Dançando com a Diferença, Henrique Amoedo, desenvolveu um trabalho de sensibilização para a inclusão através da dança com diversas instituições da região de Viseu. Foram promovidos encontros entre Henrique e diferentes profissionais relacionados com a área e com pessoas interessadas na temática da inclusão.

15 de Maio | 4ª-feira | 19h - Sessão comentada com o Marcio Pizarro Noronha

Professor no curso de Dança na UFRGS, atua no campo de pesquisa interartes e transmidialidades, com estudos dos processos de subjetivação na contemporaneidade. É doutor em Antropologia (USP) e em História (PUC-RS), mestre em Antropologia (UFSC), com especializações em Jornalismo e História.

Escute

Dir. Manoela Meyer | Brasil | 2015 | 25min

A experiência de um cineasta cego. O casal com deficiência visual que segue frequentando salas de cinema. A sensibilidade para sonorizar filmes sem enxergar. Este é um documentário sobre pessoas com deficiência visual e suas percepções a respeito de estética, imaginação e sentimentos no cinema.

17 de Maio | 6ª-feira | 19h

Luiza

Dir. Caio Baú | Brasil | 2017 | 15min

“Luiza” trata da delicada relação entre uma jovem deficiente e o universo que a cerca, tendo a sexualidade como fio condutor para abordar questões como preconceito, relações entre pais e filhos, super-proteção da família, autonomia, diferenças e amor.

17 de Maio | 6ª-feira | 19h

 

 

Programa de curtas Daniel Gonçalves, 45min
- 17 de Maio | 6ª-feira | 16h

Tem bala aí?

Dir. Daniel Gonçalves | RJ | 2008 | 17min

“Tem bala ai?” A partir dessa pergunta e de sua própria experiência, o diretor apresenta as festas rave para quem nunca esteve em uma. Livre de estereótipos e do tradicional preconceito em relação à música eletrônica, o filme mostra a rave como ela é.

Luz Guia

Dir. Daniel Gonçalves | RJ | 2012 | 12min

No final de 2011, uma equipe de ceramistas e instrutores de reciclagem – formada por deficientes visuais do Instituto Benjamin Constant, desenvolveu e executou o presépio Luz Guia.

Como Seria?

Dir. Daniel Gonçalves | RJ | 2014 | 3min

Aos trinta, chegou a hora de mais pessoas saberem que sim, que é possível levar uma vida normal com a paralisia cerebral que faz meus movimentos diferentes dos demais. Mas, por favor, não me venham com essa pieguice de superação, ok?!

Pela Estrada Afora

Dir. Daniel Gonçalves | RJ | 2015 | 13min

Pela Estrada Afora percorreu os 5800 quilômetros da maior linha regular de ônibus do mundo, de São Paulo a Lima. Em mais de 100 horas de viagem, passamos por 5 estados brasileiros, cruzamos a Cordilheira dos Andes, no Peru, e conhecemos Enrique, Júlio Cesar e Pedro.

INFORMAÇÕES

O documentário “Exteriores – Mulheres Brasileiras na Diplomacia” é um projeto do Grupo de Mulheres Diplomatas, coletivo criado em 2013 e que hoje reúne mais de um terço das diplomatas brasileiras. Foi produzido em 2018, no contexto da celebração do centenário de ingresso na carreira diplomática de Maria José de Castro Rebello Mendes, a primeira diplomata brasileira e a primeira mulher a ser aprovada em concurso público no país.

“Exteriores” é uma realização independente e fruto de financiamento coletivo realizado entre junho e julho de 2018. Na ocasião, o Grupo de Mulheres Diplomatas reuniu cerca de R$ 45 mil por meio de doações voluntárias para financiar a produção do documentário, que levou seis meses para ser concluído. O projeto também contou com o apoio da Associação dos Diplomatas Brasileiros (ADB).

O documentário não tem qualquer vinculação institucional com o Ministério das Relações Exteriores (MRE). As opiniões nele expressas não devem ser interpretadas como opiniões do MRE.

A veiculação desse documentário na UFRGS é uma parceria entre o projeto de Extensão LAB-PEB (Laboratório de Análise de Política Externa Brasileira), Divisão Cultural e o Grupo de Mulheres Diplomatas.

“Exteriores – Mulheres Brasileiras na Diplomacia”
13 de maio | segunda-feira | 16h | Sessão com debate

Ficha técnica:

Exteriores – Mulheres Brasileiras na Diplomacia (53min)
Direção: Ivana Diniz
Produção: Argonautas
Direção de arte: Marcia Roth
Edição e finalização: Marisa Rabelo
Roteiro: Ana Beatriz Nogueira e Ivana Diniz

INFORMAÇÕES

Paraiso Perdido
Dir. Monique Gardenberg | 2018 | Brasil | Musical | 110min

Paraíso Perdido é um clube noturno gerenciado por José (Erasmo Carlos) e movimentado por apresentações musicais de seus herdeiros. O policial Odair (Lee Taylor) se aproxima da família ao ser contratado para fazer a segurança do jovem talento Ímã (Jaloo), neto de José e alvo frequente de homofóbicos, e aos poucos o laço entre o agente e o clã de artistas românticos vai se revelando mais e mais forte – com nós surpreendentes.

16 de Maio | Quinta-Feira | 19h

Após a sessão haverá debate em rede com a diretora Monica Gardenberg.

Newsletter

Richard Serraria organiza oficina Poéticas Urbanas e Artivismo no…

O premiado multi-instrumentista e agitador cultural Richard Serraria, em parceria com o Departamento de Difusão Cultural da UFRGS, organiza de 20 de maio a outubro deste ano uma série de encontros com o propósito de discutir o papel da arte na realidade urbana e dos problemas recorrentes no país e no mundo em relação às lutas feministas, de igualdade de gênero, transfobia e diversos outros temas. Todas as oficinas acontecem na Sala Laranjeira do Centro Cultural (Rua Eng. Luiz Englert, 333, Porto Alegre-RS). 

Sobre o projeto

A produção artística em diálogo indissociável com o ativismo no século XXI (por isso o termo “artivismo”), partindo da noção de espaço público, compreendido em sua territorialidade urbana, cultural e social. O objetivo é enfocar a produção artística contextualizada com a cidade. A poética da metrópole em que a cidade é matéria prima, conjunto de circunstâncias nas quais se insere um fato e que estão em situação de interação. Enfocam-se assim criações baseadas em circunstâncias urbanas contemporâneas e que compõe textos (tecidos) distintos na atualidade.

Richard Serraria (organizador)

É músico, compositor, poeta e agitador cultural da cena porto-alegrense há mais de 20 anos. Como compositor, ganhou o Prêmio Açorianos de 2002 por seu trabalho atrelado à Bataclã FC. Recebeu o prêmio de Melhor Arranjo no Festival de Música de Porto Alegre em 1999 e novamente o Prêmio Açorianos de Melhor Compositor em 2006. Em 2005 e 2006, ganhou o prêmio de Melhor Letrista do VIII Festival de Música de Porto Alegre, também com a Bataclã FC, banda que recebeu o Prêmio Açorianos ainda em outras duas oportunidades. Em 2010, a banda ganhou o Selo Cultura Viva do Ministério da Cultura por sua articulação envolvendo comunicação, arte e cultura, difundindo o tambor de sopapo em pontos de cultura do RS e Brasil.

Richard lançou seu oitavo disco em 2017, intitulado Mais Tambor Menos Motor, em que avançou em sua peculiar mescla de poesia no formato canção, juntando a negritude afro gaúcha com a musicalidade do Atlântico Negro. Em 2019, recebeu três prêmios Açorianos de Música (Melhor Disco MPB, Melhor Arranjador MPB e Melhor Projeto Gráfico) referentes a este seu último lançamento, que também foi objeto de estudo em sua tese de doutorado em Estudos de Literatura do Programa de Pós-Graduação em Literatura Brasileira da UFRGS.

Ciclo de oficinas

1) Atena Beauvoir – Oficina Transantropologia poética

Data: 20/05
Horário: 14h às 18h
Duração: 4h
Inscrição: https://forms.gle/uKRN7jAq9j86tqYF7
Lista de Selecionados: LISTA DE PARTICIPANTES CONFIRMADOS DO ENCONTRO

Ministrada por Atena Beauvoir Roveda, natural de Porto Alegre, escritora, poetisa, professora e filósofa. Em 2016, recebeu Menção Honrosa pela atuação em defesa e promoção da dignidade humana de LGBTs na cidade de Canoas/RS. É colaboradora da Rede Trans Brasil e Red Latinoamericana y del Caribe de Personas Trans. Enfocará a Poesia de Rua, Slam e Transantropologia. Falará ainda da construção poética de 2 dos seus livros “Libertê” e “Phóda” mais exercícios práticos de escrita coletiva com grande grupo.

2) Diego Kurtz – Oficina Poética dos Objetos

Data: 27/05
Horário: 14h às 18h
Duração: 4h
Inscrição: https://forms.gle/92GnrgJhKKpYgrtB8

Ministrada por Diego Kurtz, bonequeiro da Caixa de Elefante, músico, rapper e ativista social. A oficina está baseado na Imaginação, curiosidade e conhecimento dos participantes, que serão estimulados a partir de jogos e improvisações individuais e coletivas. A oficina objetiva desenvolver o potencial criativo e imaginativo dos participantes a partir do teatro de animação com objetos; apresentar os princípios técnicos indispensáveis para a realização dessa arte; experimentar possibilidades de animação dos objetos pesquisados.

3) Ana dos Santos – Oficina Mulher Negra: Meu Corpo, Minha Voz

Data: 10/06
Horário: 14h às 18h
Duração: 4h
Inscrição: https://forms.gle/LCcxWABFYfmvwMZf6

Formada em Letras na UFRGS com diversos títulos publicados e premiações em concursos literários. Abordará formas de poesia negra feminina na oficina, ainda oportunizando o conhecimento de diversas autoras negras brasileiras, discutindo a representatividade da mulher negra na Literatura e priorizando o trabalho prático na produção de poesias com o grupo.

4) Diego Dourado – Oficina Topografias Poéticas

Data: 17/06
Horário: 14h às 18h
Duração: 4h
Inscrição: https://forms.gle/99CmVRejDgSe26wn9

Artista plástico maranhense com mestrado em Artes Visuais na UFRGS, ministrará oficina abordando convergências entre Arte e Literatura expondo as intersecções das Artes plásticas com a Literatura. Pretende ainda levantar alguns questionamentos sobre os limites da linguagem, com ênfase em estratégias poéticas que dialoguem ativa e criticamente com o espaço público da cidade. Para isso, propõe reflexão sobre as relações entre artes visuais e literatura, tomando a cidade como matéria-prima e/ou suporte do processo de criação. Nessa medida, a oficina visa uma nova ordem de leitura na qual a linguagem poética não está apartada da linguagem do mundo e se constitui como um lugar de experiência sensível.

5) Dany Lopez – Oficina Composição de Canção

Data: sem data confirmada
Horário: 14h às 18h
Duração: 4h
Inscrição:

Cancionista de Montevidéo, Uruguai, com inúmeros discos Produzidos junto a outros artistas uruguaios (Daniel Drexler, Samantha Navarro, Ana Prada, etc) e brasileiros (Marcelo Delacroix, Richard Serraria, Angelo Primon, etc) assim como em carreira solo. Dany López trabalha como professor de piano e teoria da composição desde 1997. Atualmente, se dedica exclusivamente, na área do ensino, a Oficina de Composição de Canções, trabalhando tudo aquilo que está relacionado à criação musical e poética, explorando novas perspectivas em composição para esse objeto composto de poesia e melodia. Apresentará uma introdução básica à estrutura e dinâmica da psiquê a partir da perspectiva freudiana e junguiana e tratará do tema da criação musical, com foco no universo da canção, dentro desse contexto.

6)  Leandro Anton – Oficina Sensibilização do Olhar

Data: 08/07 e 09/07
Horário: 14h às 18h
Duração: 8h
Inscrição: https://forms.gle/qeCJBQEDiQVfwPzR9

Fotógrafo, geógrafo e educador popular no Quilombo do Sopapo, Leandro ministrará atividade enfocando viés fotográfico e poesia imagética a partir de câmeras pinhole e sua experiência ainda com projetos Imagens Faladas assim como em Mais Tambor Menos Motor (cartões postais poéticos para disco/livro de Richard Serraria e Sensibilização do Olhar, projeto de fotografia e rap com jovens da FASE em 2019).

7) Lorena Sanchez – Oficina Poéticas Femininas na Contação de Histórias

Data: 19/08
Horário: 14h às 18h
Duração: 4h
Inscrição: https://forms.gle/5et1Tgt8TiFbf39v9

Atriz e educadora popular, percussionista e integrante do grupo de percussão feminina Iyalodê Idunn no Ponto de Cultura Quilombo do Sopapo. Ministrará Oficina de a partir De pesquisa literária com seleção de textos da Professora Liliam Ramos (Letras UFRGS; Literatura Hispano Americana). Desenvolvendo técnicas de leitura de livro, leitura em roda, contação de histórias em público, uso de objetos em cena, formas de imposição de voz e adequação a diferentes faixas etárias. Criação de roteiro para contação de história e apresentação final dos oficinandos.

9) Josiane França – Oficina Poéticas Não-visuais

Data: 26/08
Horário: 14h às 18h
Duração: 4h
Inscrição: https://forms.gle/xLuxJ9d95cv2B36cA

Mulher com deficiência visual cega há 11 anos adquirida por uma meningite, mãe de um casal. Integrante da Coordenação executiva do movimento brasileiro de mulheres cegas e com baixa visão. arte em diferentes dimensões junto a pessoas com deficiência. Ministrará a oficina enfocando a ausência da visão e o aguçamento dos sentidos. Olhos vendados e percepção sonora na paisagem ao redor com inserções poéticas verbais.

10) Nati Gaspa – Oficina Poética dos Slams

Data: 14/09
Horário: 14h às 18h
Duração: 4h
Inscrição: https://forms.gle/zA8UqxL1katBSaFA8

Poeta, slammer, slam master, professora da Rede Municipal de Porto Alegre, Licenciada em Letras Mestra em Estudos da Linguagem pela UFRGS. A partir da leitura e de vídeos de slammers, a oficina se organiza em torno da análise de poesias e da escrita de histórias de vida transformadas em metáfora para compor poesias faladas. Ritmo, imagem, expressão corporal e narrativa em verso são abordados através do despertar poético a partir da pergunta que move slammers: o que faz ser quem eu sou e como mostro para meus ouvintes a maneira como experiencio o mundo?

11) Xadalu – Oficina Poética Visual Urbana e Indígena

Data: 07/10
Horário: 14h às 18h
Duração: 4h
Inscrição: https://forms.gle/tcdmCih7r5mPGLmX9

Stêncil, arte gráfica e cidadã, pós grafite, mediada por um dos principais artistas plásticos gaúcho, Dione Martins conhecido como Xadalu Brasil. Centra seu trabalho na arte de rua em diálogo com as Artes Visuais. O artista atua ainda constantemente em aldeias guaranis entendendo a arte em sua função política, arte participativa, artivismo.

12) Nanda Barreto – Oficina Webpoéticas Urbanas

Data: a confirmar
Horário: 14h às 18h
Duração: 8h
Inscrição:

Nanda Barreto é jornalista, instrutora de yoga e feminista. Fez pós-graduação em comunicação pública (IESB) e especialização em comunicação e gênero (Instituto Internacional de Periodismo José Martí). Também estudou Psicologia Transpessoal (Unipaz-Sul). Integra os coletivos Nexo Grupal, de Brasília, e Sarau das Deusas Mundanas, de Porto Alegre. Publicou o livro Manual de Incertezas (Patuá, 2018) e é coautora do livro 50 anos em seis: Brasília, prosa e poesia (Teixeira, 2010). Publicou 12 edições do fanzine ZenBuZINE, em 2015. Sua poesia está presente no álbum Bataclã FC e Mastigadores de Poesia, da banda Bataclã FC, e no discoLinguardente, de grupo homônimo. Nas redes sociais, é @transitivaedireta. Na vida real, é poeta. A oficina propõe um encontro entre a criação analógica e a digital como forma de ativismo poético. Partiremos de uma reflexão sobre a relação com a cidade e a vizinhança na era das comunidades virtuais. Das redes para as ruas & vice-versa, nos uniremos para erguer imaginários e desmoronar o concreto. Trocaremos experiências sobre aplicativos e utilizaremos recursos disponíveis em smarthphones para criar lambes e pequenos vídeos. Produziremos cartazes manuscritos e um fanzine coletivo para oferecer a transeuntes e espaços públicos da cidade.

Parcerias

Parceiro do DDC, Pacto Alegre tem palestra sobre inovação…

O Dito Efeito, projeto do Pacto Alegre, evento de desenvolvimento tecnológico e transformação nas cidades debate, em seu novo episódio, a inovação. Em parceria com o Departamento de Difusão Cultural da UFRGS, o Pacto Alegre divulgou os últimos episódios (ou palestras/workshops) da série deste ano no Centro Cultural da UFRGS.

Agora, o episódio Cidades, da Série Transformações Globais acontece no próximo dia 9 de maio na uMov.me Arena e debate de que forma os movimentos de inovação e desenvolvimento tecnológico impactam nas transformações das cidades. Simone Stülp é a curadora da série e os painelistas convidados são Ghissia Hauser e Francisco Saboya (que participa online). O evento é gratuito com arrecadação de livros.

Esta série tem como propósito discutir aspectos ligados às transformações globais que tenham como pano de fundo a inovação e o desenvolvimento de tecnologias. A curadoria dessa série fica por conta de Simone Stülp, que é professora titular da Universidade do Vale do Taquari – Univates, foi Pró-Reitora de Pesquisa, Extensão e Pós-Graduação da Univates (2005-2008) e atual diretora de Inovação e Sustentabilidade e diretora administrativa do Parque Científico e Tecnológico do Vale do Taquari – TECNOVATES. Atualmente é também presidente do Conselho Superior da Fundação de Amparo à Pesquisa do Rio Grande do Sul – Fapergs (2016-2019) e diretora administrativa e financeira da REGINP.

Os facilitadores do episódio Cidades são: Ghissia Hauser – Arquiteta, Doutora em Educação em Ciências e Especialista em Marketing pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Mestre em Desenvolvimento Econômico e Social pela Université Paris 1. Atuou como Secretária Adjunta de Ciência, Inovação e Desenvolvimento Tecnológico do Rio Grande do Sul no período 2011-2014, como diretora do CEITEC e Supervisora de Desenvolvimento Tecnológico na Prefeitura de Porto Alegre. Atualmente é Diretora de Incentivo ao Desenvolvimento da Fundação de Planejamento Metropolitano e Regional – METROPLAN.  Francisco Saboya – Economista e mestre em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Pernambuco-UFPE. É atualmente superintendente do Sebrae/PE, vice-presidente da Anprotec – Associação Nacional de Empreendimentos Inovadores, e também, coordenador da Câmara Nacional de Tecnologia da Informação da CNC – Confederação Nacional do Comércio. Na gestão pública, ocupou cargos de secretaria e direção superior nos níveis estadual e municipal. Foi membro do júri do Cannes Lions Festival of Creativity (2013) e, neste mesmo ano, foi considerado uma das 100 personalidades mais influentes do país pela revista Época Negócios, um dos principais periódicos brasileiros.

SERVIÇO:

O quê: “Cidades” – episódio da série Transformações Globais.

Quando: 09 de maio, das 13h30 às 16h30

Onde: uMov.me Arena – Rua Professor Cristiano Fischer, 464 / Porto Alegre

Inscrições e maiores informações sobre os palestrantes, acesse: https://bit.ly/2PJpsZX

Evento gratuito com arrecadação de livros. Faça sua parte colaborando.

Informações: ditoefeito@umov.me

Vale lembrar que o propósito do Dito Efeito é oferecer conhecimento a um grande número de pessoas e engajá-las nesse propósito de transformação digital e humana. Todas as edições do Dito Efeito têm entrada franca, com doações e contarão com transmissão ao vivo em locais como Tecnopuc, UFRGS, Unisinos, Tecnovates, Feevale Techpark, Unijuí, FURG e Fábrica do Futuro, dentre outros, e posteriormente, disponibilizadas na web. A estimativa é de que ao final do primeiro ano acumulem-se mais 400 conteúdos distintos para a sociedade.  

As edições anteriores do Dito Efeito – Pacto Alegre foram: Educação, Futuro do Trabalho e Protagonismo  Feminino. Acesse nosso Flickr para conferir as imagens dos eventos https://www.flickr.com/photos/umovme_arena/

Conheça a iniciativa do Dito Efeito, do Pacto Alegre.

Embaixadores e Temas

A iniciativa tem como embaixadores o pró-reitor de Inovação da Unisinos, Alsones Balestrin, o superintendente de inovação e desenvolvimento da PUCRS, Jorge Audy, e o secretário de Inovação, Ciência e Tecnologia do RS, Luís Lamb, os quais definiram os 11 temas do Dito Efeito: Liderança 4.0 | X-Tech | Protagonismo Feminino | Futuro do Trabalho | Inteligência Artificial | Design/Marketing | Histórias de Vida | Sucesso e Fracasso |Transformações Globais | Educação | Economia Criativa | Cultura e Artes – sendo essa uma série transversal realizada em paralelo aos eventos com acústicos, exposições de arte, lançamentos de livro e recitais, entre outros.

Curadores

Para compor o grupo de cocriadores, o projeto conta com personalidades que são curadoras das séries acima mencionadas: Gustavo Borba, Cesar Paz, Jonatas Abbott, Monica Timm, Rafael Prikladnicki, Simone Stulp, Rafael Roesler, Patrícia Knebel, Flávia Fiorin, Cristina Bonorino, Jane Tutikian, além de centenas de profissionais, empresas e entidades que estão apoiando na construção dos primeiros eventos.

Apoiadores

O Dito Efeito foi idealizado e liderado pela uMov.me (plataforma líder nacional no desenvolvimento de apps sem programação), conta com patrocínio da AWS, Exoplay Femsa Coca-cola Brasil e Startse, em parceria com PUCRS, UFRGS, Unisinos, Tecnopuc, Tecnovates, Feevale Techpark, Mosaico – Hub de Inovação da Uniritter, FSG, IEL, Unijuí e FURG, que somam esforços com diversas entidades e coletivos locais como: AbradiRS, ABRH-RS, ADVB, AGS – Associação Gaúcha de Startups,  AHK – Câmara Alemã de Comércio, Amcham Porto Alegre, AssesproRS, BS Project, CIEE, Conrerp-RS, ConexõesRS, FAPERGS, Farol Hub de Negócios, Founder Institute, GUCIO RS, RGE (Rede Global de Empreendedorismo), Reginp, Seprorgs, Poa.Hub, Poa Inquieta, Pais do Coração, SingularityU, Softsul, SUCESU, Ventiur, Wow e apoio das empresas Action, Grupo Amanhã, Baguete, Conta Pra Mim Filmes, Cris Ferronato, Dinamize, Exo Hub, Fábrica do Futuro, Jornal do Comércio, Fritsch Consulting, Intelichat, Otimifica, Onda Web, Postmetria, Wildtech. É uma iniciativa que está apenas começando e que ainda vai envolver a comunidade local na sua transformação humana.

Idealizador – uMov.me

A uMov.me é plataforma líder nacional em criação de apps B2B no code, que inaugurou em setembro de 2018 a uMov.me Arena, que é um espaço fomenta a inovação transformadora em Porto Alegre. A iniciativa surgiu como forma de colaborar com a valorização do conhecimento e troca de experiências entre aqueles que acreditam na transformação digital e humana. O ambiente recebe práticas que apoiam o ecossistema empreendedor como palestras, workshops, debates e reuniões promovidas por coletivos, empresas, entidades de classe, universidades, aceleradoras e centros de formação. Em 4 meses de funcionamento, a Arena recebeu 50 iniciativas promovidas por parceiros empresas, entidades setoriais e universidades. Ao todo, mais de 2000 pessoas trocaram conhecimento em eventos na uMov.me Arena em 2018. Você pode conferir o vídeo produzido pela uMov.me para resumir o ano. As fotos das iniciativas podem ser conferidas no flickr da empresa. Para ficar por dentro de tudo que acontece no espaço, confira a agenda no site

Newsletter

Cenas Mínimas tem nova apresentação com Experiências Epiphônicas

O novo projeto de teatro e performances em geral do Departamento de Difusão Cultural da UFRGS, o Cenas Mínimas, tem, nos dias 20 e 21 de maio, às 19h, sua segunda apresentação. Após a bem sucedida apresentação ao público da peça El Juego de Antonia, em abril, Fabio Mentz e Laura Backes realizam a performance Experiências Epiphônicas.

No dia 21, após a performance, Fabio e Laura recebem a instrumentista, cantora, compositora e educadora musical Simone Rasslan para uma conversa. Embora gratuito e aberto ao público, como uma maneira de retribuição aos artistas, os espectadores poderão doar espontaneamente.

Fabio Mentz é músico, compositor, multi-instrumentista, produtor e astrólogo, estudou flauta transversal com Isolde Franck e fagote com Gunter Kramm. Atualmente, é fagotista da Ospa – Orquestra Sinfônica de Porto Alegre e Orquestra do Sesc.

Laura Backes é uma artista e educadora que transita por diferentes terrenos das artes em que há o encontro efêmero diante do outro, particularmente focada na experimentação vocal. Foi professora de corpo e voz na UFRGS e na Ufpel, e hoje dá aulas de voz e movimento pro Grupo Experimental de Dança da prefeitura, assim como na oficina Dança, Educação Somática e Criação, que acontece aqui no Centro Cultural da UFRGS, com coordenação de Cibele Sastre. Sua pesquisa tem como referências práticas o campo da Educação Somática entrelaçado com o campo das Vozes Estendidas, no qual a voz visita territórios experimentais a partir da percepção do corpo. Mestre e bacharel pelo DAD-UFRGS, defendeu a dissertação Voz e emoção – provocações a partir de Roy Hart, Wolfensohn e Pantheatre. Como cantora, integrou o Baxtale, grupo de pesquisa musical romaní.

Serviço

CENAS MÍNIMAS | EXPERIÊNCIAS EPIPHÔNICAS
Data: 20 e 21 de maio, às 19h
Ingresso: por ordem de chegada – gratuito e aberto ao público
Local: Sala Pitangueira | Centro Cultural da UFRGS (Av. Luiz Englert, 333)

Sobre o Cenas Mínimas

Cenas Mínimas é o novo projeto idealizado para a Sala Pitangueira do Centro Cultural da UFRGS, e tem como foco – como o próprio nome já indica -produções de pequeno formato. Para além dos desafios que surgem em atuações de elencos reduzidos e na não-espetacularidade dos recursos, o que está em jogo aqui é a própria relação entre atores e espectadores na situação da performance. Possibilidades de contato, afetação e proximidade com ênfase na presença viva dos gestos humanos no contexto das artes cênicas: teatro, performance-arte, dança, arte circense e música. As apresentações acontecerão mensalmente às segundas e terças-feiras e, ao final do segundo encontro, haverá ainda uma conversa entre artistas, público e um convidado ou convidada especial.

Lígia Petrucci, coordenadora e curadora do projeto

Sobre a performance Experiências Epiphônicas

O som, especialmente o musical, tem em si um papel conectivo: liga, comunica, contextualiza, estabelece pontes intrapsíquicas, vinculando o dentro e o fora, o natural e o estrangeiro, os tempos e suas memórias, carrega em suas formas os diferentes constructos culturais, étnicos, tecnológicos, reflete e articula o profano e o sagrado.

O som traz em si uma dimensão arquetípica fundadora: Big Bang! O Verbo fez-se luz!

Nessa perspectiva, podemos pensar que estamos numa grande onda, que os orientais chamam de Divina Canção, somos partículas vibrantes da espuma ressoando na natureza rítmica da vida: nuvens de elétrons, moléculas digerindo moléculas, corações pulsantes, respiração, caminhamos pelos ritos do dia a dia, pensando e sentindo recorrentemente, participando de ciclos cósmicos…

Não é à toa que o som simboliza essa dimensão cosmológica. Não temos pálpebras nas orelhas, escutamos antes de nascermos, enquanto dormimos, estamos envolvidos por um campo sonoro que não tem começo nem fim, vivemos através dele, somos constantemente atravessados por algo que é e passa e ao mesmo tempo é incorpóreo. E nesse movimento se revela a natureza profunda e substancial dos meios e coisas, ressoa a estrutura harmônica.

Nossa voz ressoa nosso corpo, reflete todas suas (ex)tensões, todas as forças e movimentos que o compõem. Nosso corpo ressoa nossa voz em toda sua amplitude.

Podemos escutar o corpo da nossa voz? De que formas podemos escutar a voz em nossos corpos?

Fabio Mentz e Laura Backes têm se encontrado semanalmente nos últimos dois anos para entoar vogais e perceber a corporeidade de suas diferentes ressonâncias, deslizar por intervalos e modos, praticar improviso. Fazem desta prática um processo de investigação criativa que poderia se alinhar à educação somática, ao mesmo tempo em que tocam na base de tradições como o nada yoga (yoga do som), o canto harmônico, as práticas xamânicas e populares.

Agora surge a oportunidade de compartilhar estas Experiências Epiphônicas no projeto Cenas Mínimas, na acústica viva do Centro Cultural, como celebração musical.

Cinema

Sala Redenção promove mostra sobre africanos na era da…

A semana na Sala Redenção – Cinema Universitário trará um cardápio recheado de cultura africana entre 6 e 10 de maio. A mostra Deslocamentos, Memórias e Identidades Afrodiaspóricas traz quatro documentários e dois filmes que retratam o processo de adaptação de comunidades do continente africano à globalização. A série é uma parceria entre o Departamento de Difusão Cultural e o Departamento de Educação e Desenvolvimento Social da UFRGS.

Além da africanidade, a Sala Redenção exibe, na tradicional sessão do CineDhebate Direitos Humanos o filme Alien, o Oitavo Passageiro – 08/05 às 19h. Na sessão Unapi-UFRGS (Universidade Aberta para Pessoas Idosas), a discussão ocorrerá em torno do documentário sobre a vida de Ingrid Bergman – Eu Sou Bergman, do cineasta Stig Björkman, dia 10/05 às 14h. O 11º Festival Escolar de Cinema encerra nesta semana com uma programação imperdível. 

programação

INFORMAÇÕES

Marcada por intensa mobilidade de pessoas, objetos, bens, estilos, crenças e ideias, a África contemporânea estabelece com o mundo relações complexas e originais, profundamente desiguais.  Os filmes selecionados neste ciclo têm em comum argumentos e roteiros que tematizam os diferentes processos de interação cultural e social vividos em deslocamentos de africanos(as) e/ou seus descendentes na era da globalização –  quando os sentimentos de identidade, pertencimento e transculturação encontram-se profundamente afetados pelas condições impostas em situação de diáspora. A mostra é uma parceria entre o DDC-UFRGS e o Departamento de Educação e Desenvolvimento Social da UFRGS.

de 06 a 10 de maio de 2019

 

O outro lado do Atlântico.

Dir. Daniele Ellery e Márcio Câmara | Brasil | Documentário | 2017 | 90 min

Gravado parcialmente em Cabo Verde, o documentário registra depoimentos de cabo-verdianos que viveram ou vivem no Brasil, em sua maior parte como estudantes. Os entrevistados revelam suas impressões acerca do modo de ser dos brasileiros, os pontos de convergência e de divergência cultural entre os respectivos países.

06 de Maio | 2ª-Feira | 09h30

10 de Maio | 6ª-Feira | 19h

 

Cartas para Angola

Dir. Coraci Ruiz e Julio Matos | Brasil | Drama | 2011 | 75 min

Através de cartas trocadas, sete duplas de interlocutores de origem brasileira, angolana e portuguesa compartilham afetos, histórias e memórias construídas nos dois lados do Oceano Atlântico.

06 de Maio | 2ª-feira | 14h

09 de Maio | 5ª-feira | 19h

 

Alda e Maria, por aqui tudo bem

Dir. Maria Esperança Pascoal | Portugal | Drama | 2011 | 94min | Legendado

No verão de 1980, duas jovens angolanas  emigram para Lisboa para escapar da guerra civil que divide o seu país.  Em meio ao isolamento e a incerteza, ambas procuram encontrar os meios para sobreviver em uma cidade onde tudo lhes parece difícil.

06 de Maio | 2ª-feira | 16h

08 de Maio | 4ª-feira | 16h30

 

As Cores da Serpente

Dir. Juca Badaró | Brasil/Angola | Documentário | 2019 | 70min

O documentário registra a história do Coletivo Murais da Leba, a maior intervenção de grafite da África, com o objetivo de abordar a motivação dos artistas. A Serra da Leba tem um histórico de 30 anos em guerra, e para se relacionar com o passado, alguns artistas angolanos pintam mais de seis mil metros quadrados dos paredões que envolvem a região.

06 de Maio | 2ª-feira | 19h

09 de Maio | 5ª-feira | 16h30

 

Barcelona ou a morte (Barcelone ou la mort).

Dir. Idrissa Guiro | Senegal | Documentário | 2007 | 49min | Legendado

Documentário ambientado nos subúrbios de Dakar, capital do Senegal, onde diversas pessoas sonham em partir, a qualquer custo, para Barcelona. Um pescador, privado de seu ganha-pão pela globalização, é empurrado ao perigoso negócio do transporte de clandestinos para a Espanha, porta de entrada do continente europeu.

07 de Maio | 3ª-feira | 16h30

 

Sotigui Kouyaté, Um griot no Brasil

Dir. Alexandre Handfest | Brasil | Documentário | 2014 | 57min

O documentário, dirigido por Alexandre Handfest, traz o ator, diretor e griot africano, que trabalhou com Peter Brook, falando da missão de passar adiante seus conhecimentos, a memória do continente e da importância da escuta para arte, comunicação e vida.

07 de Maio | 3ª-feira | 19h

10 de Maio | 6ª-feira | 16h30

O Festival Escolar de Cinema é uma ação do Programa de Alfabetização Audiovisual que, desde 2008, já levou mais de 80 mil estudantes e professores das redes públicas de ensino às salas de cinema. Como nos anos anteriores, o Festival Escolar de Cinema conta com a parceria e o acolhimento da Sala Redenção para receber crianças e jovens da educação básica para assistirem a uma variada programação de filmes escolhidos de acordo com cada faixa etária - de 23 de abril a 10 de maio. São cinco semanas de sessões voltadas a grupos escolares, que acontecem de terça a sexta–feira, nos turnos da manhã e da tarde, e que abrangem estudantes da educação infantil ao ensino médio. Este ano a programação do Festival é composta de curtas e longas-metragens e trechos de filmes, que vão de clássicos como os curtas-metragens de George Meliès a filmes brasileiros contemporâneos como Café com Canela (2018), de Glenda Nicácio e Ary Rosa, passando por sucessos atuais, como a premiada animação dos Estúdios Pixar, Viva: A Vida é uma Festa (2017), e o vencedor do Oscar, Ilha dos Cachorros. 

Veja mais aqui.

INFORMAÇÕES

Alien, o Oitavo Passageiro Alien )

Dir. Ridley Scott | Horror, Ficção Científica | Reino Unido, Estados Unidos | 1979 | 116 min.

 

 Uma nave espacial, ao retornar para Terra, recebe estranhos sinais vindos de um asteroide. Ao investigarem o local, um dos tripulantes é atacado por um estranho ser. O que parecia ser um ataque isolado se transforma em um terror constante, pois o tripulante atacado levou para dentro da nave o embrião de um alienígena, que não para de crescer e tem como meta matar toda a tripulação.

DATA

(Quarta) 19:00 - 22:00

 

08 de maio | quarta-feira | 19h

INFORMAÇÕES

EU SOU INGRID BERGMAN

Dir. Stig Björkman| Suécia | Documentário | 2015 | 114min

Usando os diários íntimos de Ingrid Bergman, além das cartaz enviadas às suas amigas, o documentário traça todo o percurso pessoal e profissional da atriz, incluindo seus diversos casamentos, a relação controversa com os filhos, o escândalo de adultério, as mudanças para os Estados Unidos, França e Inglaterra os principais filmes e prêmios recebidos na carreira.

29 de Maio | Quarta-Feira | 14h

 

DATA

(Sexta) 14:00 - 16:00

Cinema

Sala Redenção recebe FestiPoa Literária e finaliza mostra de…

A Sala Redenção finaliza na próxima semana – 29 de abril a 3 de maio – a Mostra de Terror Giallo e tem novidades para o público fiel do espaço. O FestiPoa Literária, em parceria com o Departamento de Difusão Cultural da UFRGS, exibe nos dias 2 e 3 de maio, às 16h e 19h, dois filmes com debates. 

No dia 2 de maio, o FestiPoa Literária coloca em pauta a questão indígena com a participação da pesquisadora Julie Dorrico, organizadora do livro “Literatura indígena brasileira contemporânea: criação, crítica e recepção” (Editora Fi – distribuição gratuita), e exibição de filmes. Veja a programação do dia:

16h – Sessão de Cinema: “Ex-pajé” na Sala Redenção
17h – Palestra de Julie Dorrico: “A literatura indígena brasileira contemporânea: conhecendo as vozes da origem” no Centro Cultural da UFRGS
19h – Sessão de Cinema: “Chuva É Cantoria na Aldeia dos Mortos” na Sala Redenção

No dia 3 de maio, a Sala Redenção recebe a rapper Negra Jaque e a slammer Shaiana Souza para uma sessão de cinema com debate dos filmes “As minas do Rap” e “Slam – Voz de levante”.

16h – Sessão de Cinema: “As minas do Rap” e “Slam – Voz de levante”. Debate com Negra Jaque e Shaiana Souza
19h – Sessão de Cinema (extra): “As minas do Rap” e “Slam – Voz de levante”

As atividades são gratuitas e o acesso à Sala Redenção será por ordem de chegada. A Sala Redenção estará fechada no dia 1º/5 em razão do feriado do Dia do Trabalhador.

programação

  • FestiPoa Literária - questão indígena

    FestiPoa Literária - questão indígena

    Sala Redenção recebe sessão de cinema sobre a causa indígena e debate. Participação da pesquisadora Julie Dorrico, organizadora do livro Literatura indígena brasileira contemporânea: criação, crítica e recepção (Editora Fi - distribuição gratuita).

  • 02/05 - 16h - Sessão de Cinema: “Ex-pajé” na Sala Redenção
  • 02/05 - 17h - Palestra de Julie Dorrico: "A literatura indígena brasileira contemporânea: conhecendo as vozes da origem" no Centro Cultural da UFRGS
  • 02/05 - 19h - Sessão de Cinema: “Chuva É Cantoria na Aldeia dos Mortos” na Sala Redenção
  • FestiPoa Literária - As minas do Rap e Slam - Voz de levante

    FestiPoa Literária - As minas do Rap e Slam - Voz de levante

    No dia 3 de maio, a FestiPoa Literária recebe a rapper Negra Jaque e a slammer Shaiana Souza para uma sessão de cinema com debate dos filmes "As minas do Rap" e "Slam - Voz de levante" na Sala Redenção da UFRGS.

  • 03/05 - 16h - Sessão de Cinema: “As minas do Rap” e “Slam - Voz de levante”. Debate com Negra Jaque e Shaiana Souza
  • 03/05 - 19h - Sessão de Cinema (extra): “As minas do Rap” e “Slam - Voz de levante”

mostra de terror giallo

  • Tenebre

    Tenebre

    Dir. Dario Argento | Italia | Mistério | 1982 | 110min | Legendado O escritor Peter Neal chega à cidade de Roma para promover seu último livro, “Tenebre”, mas descobre que alguém está usando seus romances como inspiração para cometer assassinatos. Logo, ele se vê envolvido nos crimes e passa a tentar descobrir o provável assassino.

  • 29/04 - 16h
  • Uma lagartixa em corpo de mulher

    Uma lagartixa em corpo de mulher

    Dir. Lucio Fulci | Espanha, França, Itália |1971 |104 min | Legendado A filha de um respeitado político tem frequentes pesadelos com sua vizinha, uma mulher que passa suas noites em orgias. Certo dia, em um de seus pesadelos, a moça sonha que matou a vizinha. Quando esta aparece morta no dia seguinte, ela se torna a principal suspeita.

  • 29/04 - 19h
  • 30/04 - 19h
  • No quarto escuro de Satã

    No quarto escuro de Satã

    Dir. Sergio Martino | Itália | 1972 | 96 min | Legendado Baseado livremente no conto “ The Black Cat” de Edgar Allan Poe , o filme segue a tradição dos filmes italianos de horror dos anos 1970, misturando o sobre natural , com assassinatos, Luxúria e uma espetacular direção de fotografia barroca. A diva sueca do horror Anita Strindberg interpreta um dos seus personagens mais intensos.

  • 30/04 - 16h
  • 11º Festival Escolar de Cinema

    O Festival Escolar de Cinema é uma ação do Programa de Alfabetização Audiovisual que, desde 2008, já levou mais de 80 mil estudantes e professores das redes públicas de ensino às salas de cinema. Como nos anos anteriores, o Festival Escolar de Cinema conta com a parceria e o acolhimento da Sala Redenção para receber crianças e jovens da educação básica para assistirem a uma variada programação de filmes escolhidos de acordo com cada faixa etária - de 23 de abril a 10 de maio. São cinco semanas de sessões voltadas a grupos escolares, que acontecem de terça a sexta–feira, nos turnos da manhã e da tarde, e que abrangem estudantes da educação infantil ao ensino médio. Este ano a programação do Festival é composta de curtas e longas-metragens e trechos de filmes, que vão de clássicos como os curtas-metragens de George Meliès a filmes brasileiros contemporâneos como Café com Canela (2018), de Glenda Nicácio e Ary Rosa, passando por sucessos atuais, como a premiada animação dos Estúdios Pixar, Viva: A Vida é uma Festa (2017), e o vencedor do Oscar, Ilha dos Cachorros. CLIQUE NA IMAGEM AO LADO PARA MAIS INFORMAÇÕES.

Facebook
Twitter
YouTube
Instagram
X