Cinemas em Rede expande ações com cinemas conveniados

Principal meio de troca de conhecimento entre redes de cinema universitário do país, o Cinemas em Rede, projeto ligado à Rede Nacional de Pesquisa, chega ao seu oitavo ano de parceria com a Sala Redenção ampliando as oportunidades de interação entre as salas de cinema e demais instituições participantes. A rede terá como principal novidade para este ano a oferta de produções às mais de 1300 localidades do país que recebem o projeto por meio de uma curadoria especialmente selecionada.

“Estamos em fase de seleção da curadoria. Mas, certamente, uma das coisas que pediremos é que o curador deverá ter experiência em mostras e festivais para nos ajudar nesse processo”, conta Alvaro Maluguti, coordenador do Cinemas em Rede.

Com o intuito de contornar um dos principais entraves para o desenvolvimento da produção audiovisual brasileira independente: a sua distribuição em massa, o projeto deverá ampliar o leque de títulos universitários neste ano. Uma das possibilidades apresentadas por Malaguti é estreitar os laços com as universidades e institutos federais em debates a nível nacional. Em 2019, oito títulos foram exibidos em sessões mensais nas salas conveniadas, dentre elas a Sala Redenção – Cinema Universitário da UFRGS.

“Estamos tentando trabalhar a dimensão da extensão universitária. Diversos exibidores universitários são projetos de extensão. Um exemplo é o Cine Tarumã da Universidade Federal do Amazonas, que tem 120 anos [nota: são 111 anos de existência]. Queremos aprofundar a relação com o Forproex (Fórum de Pró-Reitores de Extensão das Instituições Públicas de Educação Superior), tendo em vista que o muitos cinemas e exibidores universitários nasceram e são mantidos como projetos de extensão. Em 2018, fizemos a nossa chamada de qualificação no Forproex. Esse ano, queremos participar novamente”, explica.

O interesse em ampliar a articulação e o número de exibidores, inclusive salas públicas (em Porto Alegre, algumas das mais relevantes do tipo são as cinematecas Capitólio e Paulo Amorim), decorre da lacuna de centenas de municípios no Brasil com telas de projeção. “O parque exibidor brasileiro é pequeno, e é dominado pelas blockbuster”, argumenta Alvaro Malaguti.

Sobre o Cinemas em Rede

  • Circuito formado pela Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP) de cinemas universitários e institutos federais para a produção audiovisual brasileira

  • O Cinemas em Rede é uma iniciativa da Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP) em parceria com o Ministério da Cultura (MinC) e o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), que pretende contribuir para a criação de um circuito de exibição audiovisual nas Universidades e Instituições federais de todo Brasil.

  • Última produção exibida: documentário Substantivo Feminino, em novembro de 2019

  • Oito sessões realizadas em 2019

  • Parceria com a Sala Redenção ocorre desde 2013

  • 12 salas de cinema no país

    • 2 no Rio Grande do Sul – UFRGS e UFPEL

    • 3 em São Paulo

    • 9 Estados

    • Presente em 1300 localidades através de salas multiuso, cinemas universitários e outros projetos de extensão

  • Atividades realizadas:

    • Exibições simultâneas

    • Debates interativos com realizadores

    • Curadoria de conteúdos

    • Compartilhamento de conteúdos em rede

    • Sessões ao vivo

    • Testes de audiência

    • Festivais em rede

    • Mostras temáticas

  • Veja dados do levantamento realizado pela equipe do Cinemas em Rede sobre o projeto no país. Clique aqui para saber mais

Deixe uma resposta

X