Fotojornalista na época áurea do Jornal do Brasil, viu com os olhos curiosos de quem sonhava em conhecer outras culturas nos anos 1970 e 1980 locais como a Cuba de Fidel Castro, a República Democrática Alemã de Erich Honecker e a dura batalha na Nicarágua entre revolucionários e contras em meio a Revolução Sandinista. A carreira do antigo militante de esquerda mudou radicalmente ao virar professor do Instituto de Artes da UFRGS em 1994. De freelancer de periódicos em contato permanente com guerrilheiros e dirigentes partidários a tutor de alunos que pouco ou nada sabiam da complexidade da geopolítica internacional. Agora, a solidariedade que Luiz Eduardo Achutti sempre buscou em sua vida política será devolvida ao patrimônio público para a posteridade. 

O professor doou uma coleção de 12 peças de azulejo de 20 cm x 20 cm ao Centro Cultural da UFRGS. Unidos, os itens feitos em cerâmica retratam uma fotografia feita em 1977 por Achutti na Praça da Alfândega de Porto Alegre. A obra Menina-Monumento será inaugurada em 28 de abril, às 18h30, na entrada principal do Centro Cultural, e será mais um motivo para celebrar os 45 anos de carreira do irreverente e carismático filho de médicos. Segundo Achutti, a fotografia é um resgate de seu passado, tirada antes mesmo de ingressar na graduação em Ciências Sociais da UFRGS.

“Essa foto combinou com o tema [do Centro Cultural]. Tirei na época com uma [câmera] Pentax 67 que a minha mãe me deu, após uma viagem dos meus pais à Europa, onde foram participar de um congresso. Foi numa das diversas ‘bandas’ que dava no centro na época. Depois, aprendi com o Carusto [Carusto Camargo, professor do Instituto de Artes da UFRGS] a mexer com fotocerâmica. Usamos um óxido para fazer esse processo que deu um tom marrom à original. É uma foto que já parecia antiga na época que eu tirei. E tem vibração”, explica.

O vínculo de Luiz Eduardo Achutti com a área cultural é antiga. Ator amador na juventude, circula há décadas no mundo cultural de sua natural Porto Alegre. Com o sotaque pesado e recheado de gírias da capital, Achutti conversa entrelaçando momentos do passado e do presente, com alusões aos projetos realizados em parceria com o Departamento de Difusão Cultural da UFRGS. A carreira longeva do fotógrafo foi celebrada no início da década passada com uma exposição e publicação de parte de seu rico acervo no projeto Percurso do Artista. Recentemente, imagens de uma série de encontros que fez com o escultor Xico Stockinger viraram a exposição Ocupação Stockinger, aberta em 2019  e ainda em exibição no Centro Cultural.

Em busca de um modo de reunir toda a sua coleção de fotos realizada desde os primórdios no Cineclube de Fotografia de Porto Alegre aos tempos atuais, Achutti lamenta não compartilhar tanto quanto gostaria com os seus alunos sobre a sua fase de fotojornalista, época em que tirou a foto da obra Menina-Monumento. “A minha vida foi de fotojornalista, não de fotoarte.” Por outro lado, a mudança trouxe mais bagagem ao professor. “Ter estudado antropologia, assim como ter entrado no IA, me fez um fotógrafo mais multidisciplinar”, ressalva.

 

Sobre o artista

Luiz Eduardo Achutti é fotógrafo, pesquisador e professor do Instituto de Artes da UFRGS, tendo ocupado parte de sua produção mais atual junto à investigação de métodos tradicionais da fotografia. 

Sobre a obra Menina-Monumento

Em 2019, o Centro Cultural da UFRGS recebeu do artista a doação da obra “A menina Monumento”, criada a partir da técnica de transferência de fotografia analógica em cerâmica através de processo artesanal. É composta por 12 peças de azulejos de 20 cm x 20 cm, totalizando, quando montada, as dimensões de 60 cm x 80 cm. Será instalada na fachada da entrada principal do Centro Cultural.

Serviço

Instalação da obra “Menina-Monumento”, de Luiz Eduardo Achutti

  • Inauguração: 28 de abril
  • Horário: 18h30min
  • Local: Centro Cultural da UFRGS
Menina-monumento, de Luiz Eduardo Achutti. Porto Alegre, 1977

Deixe uma resposta

X