Diretor teatral Zeca Ligiéro lança livro sobre performances afro-ameríndias no Centro Cultural

Em 23 de setembro, o Centro Cultural da UFRGS recebe palestra e lançamento do livro Teatro das Origens: Estudos das Performances Afro-Ameríndias, de Zeca Ligiéro. O encontro com o diretor teatral, escritor e artista visual acontece às 15h, aberto ao público e sem necessidade de inscrição prévia.

Com diversos livros publicados, o diretor carioca tem um trabalho de destaque na área de Estudos das Performances, principalmente sobre as manifestações afro-ameríndias. A visita do autor à universidade é resultado da parceria entre o Centro Cultural da UFRGS, a professora e coordenadora do Programa de Pós Graduação em Artes Cênicas da UFRGS, Inês Marocco, e os alunos do Instituto de Artes.

Sobre Zeca Ligiéro
Autor, diretor e artista visual, com mestrado e doutorado na NYU e Pós-Doc na Yale Universty e na Paris VIII. Atua principalmente nas linhas: estudos da performance afro-brasileira e teatro experimental. Entre seus livros, estão: Divine Inspiration from Benin to Bahia (EUA, 1993), Iniciación al Candomblé (Colômbia, 1993), Malandro Divino: a vida e a lenda de Zé Pelintra, típico malandro da Lapa Carioca (2004),  Carmen Miranda: uma performance afro-brasileira (2005), Teatro e Dança como experiência comunitária (2008) e Corpo a Corpo: estudos das performances brasileiras (2011) e organizador de Performance e Antropologia de Richard Schechner (2012). É professor do Departamento de Direção e do Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas – PPGAC-UNIRIO e coordenador do NEPAA – Núcleo de Estudos das Performances Afro-Ameríndias  da UNIRIO. Entre seus trabalhos recentes se destaca o vídeo Dona Mariana, princesa turca da Amazônia (75.000 espectadores), realizado em Belém e em Soure e o espetáculo Sociedade Secreta de Palhaços Sagrados Sucupira em cartaz em diversos espaços do Rio de Janeiro e municípios vizinhos.

Sobre a obra
A partir das suas pesquisas sobre as performances culturais (rituais, brinquedos e celebrações) africanas, afro-brasileiras e ameríndias Zeca Ligiéro desenvolve o conceito de Teatro das Origens. Desta forma, ele procura ampliar a noção de teatro do estrito senso da tradição eurocêntrica, abraçando os encantos das inúmeras manifestações populares que, ao utilizar o inseparável quarteto batucar/dançar/cantar/contar evocam cosmogonias e ancestralidades mesclando mitos antigos com as batalhas contemporâneas da luta diária das comunidades e das periferias tão longe das casas do espetáculo teatral conhecido.

Deixe uma resposta

X