Exposição e catálogo remontam trajetória e inspirações ligadas ao desenho da imagem do fotógrafo Luiz Carlos Felizardo

Aos 70 anos, Luiz Carlos Felizardo tem uma vasta obra fotográfica em seu currículo. Desde o seu início na Faculdade de Arquitetura da UFRGS, no final dos anos 1960 e início da década seguinte, à exposição O Percurso de um Olhar, exibida pelo Departamento de Difusão Cultural da UFRGS em 2017, o profissional debateu através de suas fotos o olhar estético sobre as imagens. Criou situações imagéticas nas quais construiu o conceito de desenho na imagem.

A partir desta ideia, o DDC-UFRGS resolveu homenagear o trabalho do fotógrafo-artista.  No dia 28 de novembro, às 20h, haverá, de maneira conjunta, o lançamento de dois trabalhos desenvolvidos pela Coordenadoria de Exposições do DDC. O primeiro deles será a exposição Luiz Carlos Felizardo: O Desenho da Imagem, com curadoria de Alexandre Santos, professor de História da Arte na UFRGS, e parceria com o Museu de Arte Contemporânea do Rio Grande do Sul. Foram selecionadas diversas imagens oriundas do acervo de 84 fotos de Felizardo que foram cedidas ao MAC-RS em 2011.

“A seleção foi feita segundo o critério da variabilidade de temas do fotógrafo em diversos lugares do mundo, considerando os elementos formais das imagens e também a trajetória do artista – dos anos 1980 aos anos 2000. Em princípio, foram selecionadas 52 imagens”, explica Alexandre Santos sobre a mostra que será exibida de 29 de novembro a 30 de janeiro de 2020 no Centro Cultural da UFRGS.

A segunda realização que a Difusão Cultural da UFRGS apresenta ao público no dia 28 será o catálogo de 30 fotos reunidas para a exposição O Percurso de um Olhar, exibida há dois anos na frente da Faculdade de Educação da UFRGS. A obra de mesmo nome da exposição contará com textos escritos por Luiz Carlos Felizardo. Neles, o veterano fotógrafo descreve e conta a história de cada captura feita por sua câmera à época, em uma espécie de mergulho em seu passado e em sua própria criação. A mostra e o lançamento do catálogo são iniciativas desenvolvidas através do projeto Unifoto, do Departamento de Difusão Cultural da UFRGS.

Luiz Carlos Felizardo: a imagem como desenho (por Alexandre Santos, curador)

Em diálogo com a mais alta tradição da fotografia, as imagens de Luiz Carlos Felizardo (Porto Alegre, 1949) apresentam forte densidade de pensamento. Se a fotografia trabalha com a subtração de coisas do mundo retiradas do seu contexto, para o fotógrafo gaúcho as imagens fotográficas são, através do recorte, verdadeiros desenhos. Ele declara que a sua relação com o desenho está em estreita sintonia com a ideia de design da imagem. Neste sentido, sua fotografia é uma construção intelectual que não dispensa a projeção criteriosa daquilo que o olhar preciso e o aparato técnico lhe possibilitam para gerar uma imagem e não uma mera representação.

Etimologicamente a palavra desenho designa algo. O mesmo se pode dizer da etimologia da palavra fotografia, ou seja, uma grafia da luz que também designa ou aponta inexoravelmente para algo que existiu. Ainda que nos limites do recorte tal existência seja sempre lacunar e reticente.

A sólida formação cultural de Felizardo é uma das âncoras da sua sensibilidade criadora. Da experiência de estudante de arquitetura na UFRGS, ele herdou a percepção das filigranas do desenho, assim como deu os primeiros passos de fotógrafo minucioso no registro do patrimônio histórico para o IPHAN. Por outro lado, com o mestre Frederick Sommer (1905-1999), nos Estados Unidos, ele aprendeu que para realizar uma boa imagem fotográfica é preciso olhar para as bordas e não apenas para o centro. Isto explica a sua recorrente relação entre o enquadramento, os jogos de linhas, as texturas e os efeitos tonais sofisticados.

As imagens do acervo do MACRS aqui apresentadas trazem um amplo espectro dos interesses temáticos e formais do artista em seus diferentes registros pelo mundo. Sobretudo o indiscutível poder de síntese que alcançam como formas artísticas que produzem conhecimento e reflexão sobre o mundo.

Alexandre Santos

Professor de história da arte no Instituto de Artes da UFRGS. Coordena o Grupo de Pesquisa do CNPq “Deslocamentos da fotografia na arte”. Entre 2017 e 2018, realizou pesquisa de Pós-Doutorado na Università di Bologna, sob a supervisão de Claudio Marra. Entre outras publicações é autor do livro A fotografia como escrita pessoal: Alair Gomes e a melancolia do corpo outro. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2018.

Serviço

Lançamento do catálogo O Percurso de um Olhar, de Luiz Carlos Felizardo

  • Quando: 28 de novembro
  • Horário: 20h
  • Local: Centro Cultural da UFRGS
  • Entrada livre.

Abertura da exposição Luiz Carlos Felizardo: O desenho da imagem

  • Quando: 28 de novembro
  • Horário: 20h
  • Local: Centro Cultural da UFRGS
  • Entrada livre
  • Visitações: 29 de novembro a 30 de janeiro de 2020 de segunda a sexta-feira das 9h às 19h

Galeria

Deixe uma resposta

X