LIXO NÃO É LIXO | RECICLANDO PRÁTICAS E IDEIAS

A pandemia de COVID-19 alterou profundamente nossos modos de vida e a forma como nos relacionamos com as pessoas e com o mundo. O conceito de distanciamento social inaugura um paradoxo caro à vida coletiva e suas inúmeras relações. O Centro Cultural da UFRGS é um espaço que vive justamente na proximidade de pessoas, de ideias e de variadas expressões artísticas. A crise sanitária nos impõe não somente um esforço no sentido de buscar novos meios de produção cultural, mas também nos conduz a uma constante reflexão sobre os fundamentos e o alcance das nossas ações culturais. 

É nessa perspectiva que surge o projeto Lixo não é lixo: reciclando práticas e ideias, conjunto de atividades com o propósito de colocar em diálogo distintas possibilidades de pensar e produzir cultura, ancoradas na solidariedade, na sustentabilidade e na responsabilidade. A produção e o destino de resíduos sólidos e não sólidos e seus impactos no mundo serão o tema central das ações propostas, e o Centro Cultural da UFRGS deseja se somar à pluralidade de sujeitos “ambientais” no enfrentamento à geração infinita de lixo.

A programação será desenvolvida ao longo dos próximos meses, e foi concebida por Claudia Zanatta, professora do Instituto de Artes da UFRGS; Cristiano Sant’Anna, fotógrafo e doutorando no Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais da UFRGS; Lígia Petrucci, diretora do Departamento de Difusão Cultural e Centro Cultural; e Santa Julia da Silva, coordenadora do Núcleo Educativo do DDC/Centro Cultural. 

PROGRAMAÇÃO

Espetáculo infantil E se o oceano… 

Em parceria com a Aliança Francesa Porto Alegre, o projeto “Lixo não é lixo” apresenta o espetáculo de fantoches “E se o oceano…” (“Et si l’océan…”), da companhia francesa La Fabrique des Petites Utopies.

Em cena, Julie Pierron (titereira) e Alphonse Atacolodjou (ator) se preparam para dar vida a Adèle. Aos poucos, Adèle se torna uma linda marionete. Adèle ganha vida e dá a Julie o desejo de contar a história do mar, os mistérios dos oceanos. Juntos, eles inventam para nós as origens míticas dos oceanos, a magia da água e dos animais marinhos. Eles também compartilham seus medos, a degradação que observam, os males de que sofrem os nossos oceanos. Entre histórias e memórias de infância, este espetáculo é uma viagem iniciática para enfrentar os nossos medos, para sonharmos juntos em nos tornarmos, também nós, sereias… Uma ode poética e ecológica pelos oceanos.

O espetáculo foi criado em março de 2021. A companhia La Fabrique des Petites Utopies foi convidada pela rede das Alianças Francesas Brasil como parte do projeto de criação artística intercultural devido ao seu trabalho multidisciplinar, que é reconhecido há muitos anos em solo francês. Este projeto conta com o apoio da cidade de Grenoble.

Dia 23 de março, quarta-feira, às 10h30 e às 15h
No pátio do campus central da UFRGS
Entrada franca

Apoio: Departamento de Arte Dramática do Instituto de Artes

23/03/22

30/10/21

Oficina Toninha Reciclada 

Ministrantes:

Laura Fagundes (Porto Alegre/RS, 1999)  é artista visual e trabalha principalmente com escultura têxtil em feltro, desenho, colagem e instalação. Através de sua obra ela procura explorar um universo imaginário de fauna e flora, bem como o contraste entre suas texturas e cores e os signos ali representados.

Lilian Maus (Salvador/BA, 1983) é artista e professora do Departamento de Artes Visuais do Instituto de Artes/UFRGS. Vive entre as cidades de Porto Alegre e Osório/RS. É Doutora em Poéticas Visuais e Mestre em História, Teoria e Crítica da Arte – PPGAV/Instituto de Artes da UFRGS. Graduou-se no Bacharelado em Artes Plásticas e na Licenciatura em Artes Visuais pelo mesmo instituto. Entre as principais publicações se destacam os livros: “Mar de Brincar” (2021), “A Palavra está com elas: diálogos sobre a inserção da mulher nas artes visuais” (2013), “Atelier Subterrânea” (2010) e o livro de artista “Estudos sobre a terra”, (2017).

Oficina Toninha Reciclada 

Na oficina Toninha Reciclada, ministrada por Laura Fagundes sob orientação da Profa. Lilian Maus, você aprenderá a modelar e montar, a partir de papelão reciclado e tintas a base de água e pigmentos naturais, uma toninha, o golfinho mais ameaçado de nossa costa litorânea, para onde muitos dos resíduos são lançados após o descarte de embalagens industrializadas. Com a oficina pretendemos conscientizar sobre a importância da preservação ambiental dos nossos mares.

Dia 30 de outubro às 15h
Acompanhe www.instagram.com/ddcufrgs

Visita ao Museu de Resgates

O Museu de Resgates, de Jacson Carboneiro, propõe salvar objetos do lixo em um diálogo entre arte, reciclagem e a situação de catadores autônomos na cidade. A proposta é resultado de 15 anos de trabalho do autor como catador e fotógrafo em Porto Alegre. Para Jacson, o lixo não existe. “Quando dizemos lixo, estamos interrompendo a história das coisas. Meu trabalho é resgatar e dar uma nova história, uma nova caminhada”, afirma. O museu ganhou espaço em 2019, em uma casa na Vila dos Papeleiros, a partir do contexto da lei municipal que proíbe o trabalho de coleta nas ruas pelos autônomos. Além da preservação de peças de arte e antiquário que se perderam, há no museu também uma denúncia sobre a necessidade de resgate desses trabalhadores. Durante a pandemia, as conversas acontecem em ambiente virtual, onde o autor apresenta o museu e conversa com os participantes.

Dia 19 de agosto, quinta-feira, às 19h
Encontro por videochamada (link de acesso). Não é necessário se inscrever. O acesso, para até 100 participantes, será feito por ordem de chegada, a partir de 10 minutos antes do horário.

19/08/21

08/07/21

Mesa redonda | A reciclagem na lei: lixo na rua tem dono?

Convidados:
Annelise Steigleder, promotora de justiça na Promotoria do Meio Ambiente de Porto Alegre, mestre em Direito pela UFPR e doutora em Planejamento Urbano e Regional pelo PROPUR/UFRGS.
Paulo Guarnieri, assessor da Associação de Reciclagem Ecológica da Vila dos Papeleiros, conselheiro da Associação Caminho das Águas e integrante do Fórum do 4º Distrito.
Jorge Fagundes, vice-presidente da Cooperativa de Catadoras e Catadores das Ilhas. Natural de Curitiba, começou a trabalhar aos nove anos, e já fez de tudo nessa vida. Ajudou o pai como camelô, foi funcionário de uma fábrica de botões, teve uma criação de porcos e, desde que iniciou na reciclagem, utilizou carrinhos de tração humana, carroça, Kombi e hoje tem um caminhão que coleta em dez condomínios.
Mediação: Cristiano Sant’Anna, doutorando em Artes Visuais pela UFRGS. Seus trabalhos envolvem arte colaborativa, fotografia e ação social. Entre 2017 e 2019, trabalhou em colaboração com Jacson Carboneiro, um catador em Porto Alegre. Nessa ação, eles trocam de papéis entre fotógrafo e catador para produzir uma poética colaborativa na Virada Sustentável 2019.

Videoarte de abertura:
“Caçamba” – Eduardo Srur
Intervenção realizada no Ceagesp – maior central de distribuição de alimentos da América Latina – para questionar o modelo de produção e desperdício de comida. O Brasil perde 60% dos alimentos desde sua origem no campo até a mesa do consumidor. A escultura trata da representação de uma caçamba de entulho utilizada para remover resíduos das ruas da cidade. Construída com linhas de metal no espaço, subverte a função do objeto e revela uma verdade: o lixo não desaparece, ele muda de lugar.

Dia 8 de julho, quinta-feira, às 19h
Transmissão ao vivo em youtube.com/ddcufrgs

Mesa de abertura | O que parece lixo transforma: universidade, cidade e reciclagem

Convidados:
Fernando Fuão, professor titular da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da UFRGS e pesquisador do CNPq. É autor do “Manual construir e reformar um galpão de reciclagem” (UFRGS, 2015), e da Coleção “Inscritos no Lixo” (PROREXT UFRGS, 2015).
Francisco Milanez, presidente da Associação Gaúcha de Proteção ao Ambiente Natural (AGAPAN).  Licenciado em Biologia (UFRGS), bacharel em Arquitetura e Urbanismo (UFRGS), especialista em Análise de Impactos Ambientais pela Universidade Federal do Amazonas, mestre e doutor pelo Instituto de Ciências Básicas da Saúde (UFRGS).
Rejane Tubino, professora titular do Departamento de Metalurgia da UFRGS, com graduação em Engenharia Civil (PUCRS), mestrado em Construção Civil (UFRGS) e doutorado em Engenharia Metalúrgica (UFRGS). Possui experiência na área de Engenharia Civil e Engenharia Metalúrgica, atuando em temas como reciclagem e reaproveitamento de resíduos sólidos e gestão ambiental. 
Mediação: Claudia Zanatta, professora do Departamento e do Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais do Instituto de Artes da UFRGS. É líder do Grupo de Pesquisa CNPq “Arte pública participativa: articulação entre poética e cidadania”, onde desenvolve a pesquisa Poéticas da Participação.

Dia 1º de julho, quinta-feira, às 19h10
Transmissão ao vivo em youtube.com/ddcufrgs (assistir à gravação)

01/07/21

01/07/21

Edital Design e sustentabilidade – 1º Concurso de Design do Centro Cultural da UFRGS

O concurso aberto a estudantes da UFRGS prevê a apresentação de projetos de design para a confecção de coletores de resíduos recicláveis e não recicláveis a serem incorporados ao mobiliário do Centro Cultural e seu entorno.

As inscrições estão abertas até o dia 30 de setembro. O resultados serão divulgados no dia 1º de outubro de 2021.

Live de lançamento: 01/07, quinta-feira, às 19h
Transmissão ao vivo em youtube.com/ddcufrgs