Luis Fernando Verissimo recebe o 1º Prêmio Centro Cultural da UFRGS em meio a aplausos, risos e apresentações artísticas

“Para que não digam que sou lacônico, vou tentar falar um pouco mais. Só posso agradecer a todos, sem citar nomes, para não esquecer de ninguém. Obrigado a todos!”. Com essas palavras, Luis Fernando Verissimo agradeceu o público que lotou o Auditório Ipê e Espaço Figueira do Centro Cultural para prestar um justo tributo a um dos maiores cronistas da história do país, com uma produção que envolveu ensaios, dramaturgia, música, charges e outros tipos de textos. Luis Fernando recebeu na noite desta terça, 12 de novembro, o 1º Prêmio Centro Cultural da UFRGS das mãos da vice-reitora da UFRGS, Jane Tutikian.

A distinção teve a participação de diversos artistas e convidados para celebrar a carreira do escritor. Ras Vicente, ao piano, e o trompetista Luiz Fernando Rocha tocaram diversas composições no estilo preferido de Verissimo: o jazz. Rocha, inclusive, era uma figura conhecida na vida artística do homenageado. Foi membro do grupo Jazz 6, do qual Luis Fernando fez parte durante muitos anos com o seu sax alto.

Ao fim da performance da talentosa dupla, que emocionou o público, a cerimônia continuou no Auditório Ipê, onde o flautista Pedrinho Figueiredo convidou os presentes a entrarem no local com um solo de sax soprano. Já perfilados nos bancos de madeira dispostos no palco do auditório, os atores Anderson Vieira, Mirna Spritzer e Ilana Kaplan, ao lado do cineasta Jorge Furtado, leram diversos textos escritos por Luis Fernando Verissimo e escolhidos pelo professor Giba Assis Brasil.

Em meio aos risos provocados pelos diálogos conduzidos pela dupla Ilana e Anderson ao texto do célebre diálogo da crônica O Lixo, Mirna preparava a leitura do texto de outra famosa crônica de Verissimo: O Ovo. A comparação entre sexo e a delícia que é molhar a gema do ovo no arroz, após comer toda a clara para deixar o melhor para o final, arrancou gargalhadas e levou Luis Fernando Verissimo a abrir um discreto sorriso. Os textos selecionados preencheram a maior parte da carreira de Luis Fernando Verissimo, de 1973 a 2019. A leitura dos textos Simples e um sobre a ditadura militar brasileira também proporcionaram ao público momentos inesquecíveis, onde todos puderam lembrar de suas primeiras conexões com a obra de Luis Fernando Verissimo.

A noite de homenagens encerrou com a entrega da escultura feita pelo artista visual Mauro Fuke, encomendada especialmente para o Prêmio Centro Cultural da UFRGS. O trabalho, feito em madeira, foi baseado nas espécies florestais que nomeiam as salas do Centro Cultural. A justa premiação foi entregue pela vice-reitora e levantada ao público para ser mostrada pelo filho de Luis Fernando, Pedro Verissimo. Uma noite inesquecível. A primeira premiação da história do Centro Cultural. A primeira de muitas. 

 

Sobre o Prêmio Centro Cultural da UFRGS

Criado em 2019 sob a administração da diretora do Centro Cultural, Claudia Boettcher, o Prêmio Centro Cultural busca agraciar com a distinção personalidades que se distinguam pelo fazer artístico de forma geral, especialmente levando em conta a difusão e a promoção da arte e da cultura no país. É um prêmio que busca trazer ao ambiente universitário a justa homenagem a pessoas que contribuíram com a sociedade de maneira única, alcançando públicos dos mais diversos, como é o caso dos agentes ligados à cultura. O prêmio-escultura terá como base a madeira e fará alusão às espécies de árvores nativas do Brasil cujos nomes designam todas as salas do Centro Cultural da UFRGS.

O mais novo espaço cultural da UFRGS foi inaugurado em setembro de 2018 com o objetivo de estimular, preservar e valorizar a cultura e a arte nas suas mais diversificadas manifestações. Desde então, vem se dedicando a oferecer programações que promovam a circulação de conhecimentos e o debate de ideias, além de criar oportunidades de convívio entre a sociedade e a universidade.  A diversidade de ações artísticas e culturais buscam fomentar a apreciação da arte, o questionamento, a dúvida e o encontro, preservando a memória e, ao mesmo tempo, abrindo-se para o novo em um movimento constante de interação com a comunidade local. Desta forma, nada mais justo que propor a criação do 1º Prêmio Centro Cultural da UFRGS com o intuito de reverenciarmos pessoas tão importantes na construção da identidade do gaúcho e do brasileiro, de maneira geral.

Deixe uma resposta

X