Entre os dias 07 e 18 de Dezembro, a Sala Redenção – Cinema Universitário apresenta a mostra Observadoras Dinâmicas das Vibrações: Músicas Indígenas entre Videoclipes, com a curadoria de Karina das Oliveiras, mostrando um panorama da produção audiovisual indígena no gênero dos video-clipes.

Observadoras Dinâmicas das Vibrações: Músicas Indígenas entre Videoclipes

Quando as vozes rompem o silêncio as imagens se movimentam. Os sons desenham imaginários. O vento atravessa os tempos guiando sonoras vibrações. Há histórias transmitidas pelo ar. Há memórias recriando imagens. Há palavras perpassando o tempo. As produções dos Videoclipes na contemporaneidade global expõe repertórios inventivos e reinterpretam as relações entre imagem e som. Com a profusão da Internet, enquanto plataforma de exibição e de circulação de conteúdos audiovisuais, percebemos nos últimos anos as expansões dos acessos às linguagens múltiplas do Videoclipe. E com isso acompanhamos multidões de histórias e vozes dimensionarem novas telas.

Desde as projeções de imagens acompanhadas da música ao vivo, os vídeos musicais televisivos com caráter publicitário e as híbridas e transtemporais montagens dos Videoclipes encontramos estéticas que desafiam as linhas fronteiriças entre linguagens e meios. Videoálbum, Álbumvisual, Videoclipes curtos, longos, interativos, documentais e ficcionais nos possibilitam a imaginação de diferentes realidades e desconstruções sensoriais das imagens paralisadas.

As musicalidades e sonoridades indígenas são forças ancestrais transmitidas pelos cantos, instrumentos, línguas, rituais e o ar no peito vivo. Com plurais e complexas funções entre as sociedades nativas, os sons carregam o poder de evocar, expressar e manter cosmovisões e modos de ser ao longo dos tempos. Na atualidade, as relações entre tradição e contemporaneidade elaboram cenários criativos e inovadores entre artistas indígenas e suas vibrações. No espectro das produções audiovisuais, as poéticas e estratégias de lutas se presentificam nas imagens que contam histórias e nos sons que guardam e transformam as memórias.

Sendo o canto uma fundamental impulsionadora dos sons das línguas, as produções de Videoclipes se inserem também como arquivos digitais que resguardam e visibilizam línguas originárias. A mostra apresenta músicas em diferente idiomas como Guarani, Guajajara, Haxta Kuin, Kichwa, Quiché, Tikuna e Yaathe. Assim como a comunicação nas línguas impostas pela violência da invasão colonial, Português e Espanhol. Sendo a memória a morada das histórias e forte realizadora dos mundos, os Videoclipes ocupam espaços de recriação das identidades, estéticas, afirmações e resistências.

A Mostra Online Observadoras Dinâmicas das Vibrações: Músicas Indígenas entre Videoclipes propõe o reverberar dos sons e imagens em movimento. Nesta edição adentramos ao universo do Videoclipe com músicas de artistas indígenas e seus espaços criativos de histórias, memórias e sons. São produções entre 2015 e 2020 com diferentes enredos, contextos e imagéticas. Criações coletivas com os mais diversos orçamentos, fundamentos e alianças. Inovando entre montagens, beats, movimentos políticos, cantos sagrados, uso de arquivo, versatilidades entre gêneros musicais e novos olhares acerca da situação contemporânea dos povos indígenas, sua lutas e suas artes no mundo.

A sala redenção convida o público para a Mostra Online nos dias 7 a 18 de dezembro de 2020 que traz vibrantemente Asas (Wiramiri) (2020) de Kaê Guajajara, Fique Viva (2019) de Brisa Flow, Xondaro Ka’aguy Reguá (2019) de Mc Kunumin, A Todo Povo de Luta (2015) da Comissão Guarani Yvyrupa CGY, Rikchari(Despierta) (2019) de Apak Otavalo, Retomada (2020) dos Brôs Mc, Mayan Rap (2016) de Grupo Pajch’uj Tzij e Poesia Loca, Yube Dewe (2019) do Coletivo Kayatibu e Mi Mawai, Que Siga el Baile (2020) de Mujeres del Viento Florido, A Floresta Cura (2020) de Djuena Tikuna, Owa Sewaxto Owke Setsotwa Iha (2019) de Cafurnas Fulniô.

Texto: Karina das Oliveiras, curadora da Mostra.

PROGRAMAÇÃO

ASAS (WIRAMIRI)

Kaê Guajajara feat. Nelson D

(Dir. Abimael Salinas | 2020 | 5 min – Brasil) 

Assista: https://www.youtube.com/watch?v=DEmRh4Jo7fU

FIQUE VIVA

Brisa Flow

(Dir: Talita Brito | 2019 | 4 min – Brasil )

Assista: https://www.youtube.com/watch?v=wRUzUsTdW0o

XONDARO KA’AGUY REGUÁ

Kunumi Mc

(Dir. ANGRY | 2019 | 3 mim – Brasil)

Assista: https://www.youtube.com/watch?v=cT7ZXxAMetY

A TODO POVO DE LUTA

Comissão Guarani Yvyrupa CGY

(Dir. Luiza Mandetta Xaka Poty, Vinicius Toro Vera Mirĩ, Ruka Karai Xondaro, Coletivo de vídeo Tenonde Porã | 2015 | 4 min – Brasil)

Assista: https://www.youtube.com/watch?v=uUvS8Gnbkwk

RIKCHARI (DESPIERTA)

Apak Otalavo- Associação de produtores audiovisuais Kichwas

(Dir. Valeria Rivilla, Carlos Abreo, Hugo Llumiquinga | 2019 | 4 mim – Equador)

Los Nin, Inmortal Kultura, La MafiAndina, Don Gatto, Runa Rap, Humazapas, AfroImbaya, Danilo Arroyo, Ear Worm Studio, Ave de Altura.

Assista: https://www.youtube.com/watch?v=JdbZNeQ-Apo

RETOMADA

Brôs Mc’s

(Dir. Higor Lobo | 2020 | 3 min – Brasil)

Assista: https://www.youtube.com/watch?v=2BOzVntagzo

MAYAN RAP

Grupo Pajch’uj Tzij e Poesia Loca

(Dir. Mauricio Menéndez | 2016 | 4 min – Guatemala)

Assista: https://www.youtube.com/watch?v=PZ03RsMgKl0

YUBE DEWE

Grupo Kayatibu_Ni Ishanai ~ Floresta Futuro

(Dir. Kayatibu e Mi Mawai | 2019 | 2 min – Brasil)

Assista: https://www.youtube.com/watch?v=hjVTNMBaJvc

QUE SIGA EL BAILE!

Mujeres del Viento Florido, Banda Femenil Regional

(2020 | 15 min – México)

Assista: https://www.youtube.com/watch?v=IDXz8HBGcH8

A FLORESTA CURA

Djuena Tikuna

(Programa Convida, IMS | 2020 | 7 min – Brasil)

Assista: https://www.youtube.com/watch?v=MjUoBY6EHAA

OWA SEWAXTO OWKE SETSOTWA IHA

Cafurnas Fulni-ô

(Dir. Tâmara Jacinto e Tiago de Aragão | 2019 | 5 min – Brasil)

Assista: https://www.youtube.com/watch?v=9n0BxslbEac

Deixe uma resposta

X