Cinema exibe clássico de Chaplin e sessão sobre movimento da Legalidade com foco em Brizola

Finalizando o mês de novembro, a Sala Redenção recebe na próxima semana a mostra que trará, através dos olhares de grandes cineastas chilenos, problemáticas sociais, políticas e de gênero. O projeto “Semana do Cinema Chileno em Porto Alegre 2019” contempla filmes com direção de Andrés Wood,  Sebastián Lelio e Pepa San Martín, em longas-metragens que abordam histórias de diferentes mulheres e as suas lutas particulares e, ao mesmo tempo, coletivas. O machismo, em Violeta foi para o céu (2011), a transfobia, em Uma Mulher Fantástica (2017), e a homofobia, em Rara (2017), sensibilizam o público disposto a discutir e refletir sobre os temas. 

Para aqueles que gostam de reviver clássicos da cinegrafia, a Sessão Especial dessa semana viaja para a década de 30. Numa imersão à Nova York industrializada, Tempos Modernos (1936) critica fortemente e com humor a lógica capitalista e imperialista, bem como as condições insalubres dos trabalhadores urbanos, desde a Revolução Industrial. Já para a audiência interessada em arte e em assuntos culturais do mundo hodierno, entre os dias 27 e 30 de novembro, o Cinema Universitário sedia parte da programação do Colóquio Internacional Apagamentos da Memória na Arte, com a exibição de um longa brasileiro e três curtas franceses. 

Voltando as telas para as últimas produções nacionais, a Sala Redenção, em ação conjunta com o Grupo de Pesquisa Identidade e Território da UFRGS, apresenta a mostra Espaços (Sub)traídos. A edição conta com a exibição da obra de Zeca Brito, Legalidade (2019), a trama que relata o quadro político brasileiro pré regime civil-militar traz cores e sons ao movimento da Legalidade, liderado pelo então governador do Estado, Leonel Brizola. Após a sessão, haverá debate com integrantes do projeto e convidados. Para verificar a programação completa da próxima semana, veja a lista abaixo. 

14h: Estrangeiro

Dir. Edgar Lemos Akatoy | 2018 | 115min | Paraíba

Uma viagem sensorial e poética nas memórias de Elisabete (Cecilia Retamoza), uma jovem mulher que viveu sua infância na paradisíaca praia de Tabatinga, no nordeste do Brasil. Devido a um misterioso trauma, Elisabete abandonou seu lar e nunca mais permaneceu em um só lugar. Aos trinta anos, Elisabete anseia por uma identidade. Ela não se sente confortável em sua própria pele, uma estrangeira em seu mundo.

________________________________________________________

16h: Violeta foi para o céu | Semana do Cinema Chileno 

Dir. Andrés Wood | Chile | Drama | 2011 | 105 min | 12 anos | Legendado

Intratável, terna, boêmia, áspera, contundente, frágil e indomável. Violeta Parra foi uma das artistas mais emblemáticas do Chile – e ainda assim, profundamente ignorada por décadas de uma cultura controlada pela ditadura de Pinochet.

_________________________________________________

19h: Uma Mulher Fantástica | Semana do Cinema Chileno 

Dir. Sebastián Lelio | Chile | Drama | 2017 | 104 min | 14 anos | Legendado

Marina é uma mulher trans. Quando seu parceiro morre, ela se vê diante da raiva e do preconceito da família dele. Ela luta por seu direito de sofrer – com a mesma energia ininterrupta que ela exibiu quando lutou para viver como uma mulher.

9h: Tempos Modernos | Sessão Especial 

Dir. Charlie Chaplin | EUA | Comédia | 1936 | 87 min | Legendado | Livre

Um operário de uma linha de montagem, que testou uma “máquina revolucionária” para evitar a hora do almoço, é levado à loucura pela “monotonia frenética” do seu trabalho. Após um longo período em um sanatório ele fica curado de sua crise nervosa, mas desempregado. Ele deixa o hospital para começar sua nova vida, mas encontra uma crise generalizada e equivocadamente é preso como um agitador comunista, que liderava uma marcha de operários em protesto. Simultaneamente uma jovem rouba comida para salvar suas irmãs famintas, que ainda são bem garotas. Mas o pior ainda está por vir.

________________________________________________________

16h: Uma Mulher Fantástica | Semana do Cinema Chileno 

Dir. Sebastián Lelio | Chile | Drama | 2017 | 104 min | 14 anos | Legendado

Marina é uma mulher trans. Quando seu parceiro morre, ela se vê diante da raiva e do preconceito da família dele. Ela luta por seu direito de sofrer – com a mesma energia ininterrupta que ela exibiu quando lutou para viver como uma mulher.

_________________________________________________

19h: Rara | Semana do Cinema Chileno            

Dir. Pepa San Martín | Chile | Drama | 2017 | 86 min | 12 anos | Legendado

Sara (Julia Lübbert) é uma menina prestes a completar 13 anos. Depois da separação, sua mãe Paula (Mariana Loyola) agora mora com a nova esposa, Lia (Agustina Muñoz). O cotidiano é como o de qualquer outra família: tem problemas, mas muito amor. Victor (Daniel Muñoz), o pai das meninas, desaprova o novo relacionamento da ex-esposa e passa a interferir de maneira mais agressiva na vida das filhas, abalando a harmonia entre Sara e sua mãe.

12h às 14h: Exibição de Filmes | Colóquio Apagamentos da Memória na Arte 

  • Foules  Dir. Robert Lapoujade, 1960, 8min
  • J’ai huit ans  Dir. Yann Le Masson et Olga Poliakoff, 1961, 9min
  • La distribution du pain  Dir. Cécile Decugis, 1957-2011, 14min
  • Xadalu e o Jaguaretê  Dir. Tiago Bortolini e Kuarai Poty ( Ariel Ortega) 80min

_________________________________________________

16h: Rara | Semana do Cinema Chileno         

Dir. Pepa San Martín | Chile | Drama | 2017 | 86 min | 12 anos | Legendado

Sara (Julia Lübbert) é uma menina prestes a completar 13 anos. Depois da separação, sua mãe Paula (Mariana Loyola) agora mora com a nova esposa, Lia (Agustina Muñoz). O cotidiano é como o de qualquer outra família: tem problemas, mas muito amor. Victor (Daniel Muñoz), o pai das meninas, desaprova o novo relacionamento da ex-esposa e passa a interferir de maneira mais agressiva na vida das filhas, abalando a harmonia entre Sara e sua mãe.

_________________________________________________

19h: Legalidade | Espaço Sub(traídos)  

Dir. Zeca Brito | Brasil | Drama | 2019 | 122 min | 14 anos

Brasil, 1961. Quando Jânio Quadros renuncia à presidência do Brasil, o vice-presidente João Goulart torna-se o sucessor natural ao cargo. No entanto setores da sociedade, liderados pelos militares, clamavam pelo impedimento da posse de Jango, temerosos de suas posições de esquerda. Liderado por Leonel Brizola (Leonardo Machado), o movimento Legalidade é criado para garantir a posse do vice-presidente, colocando grande parte do Rio Grande do Sul contra o núcleo do exército. Em meio à turbulência política e social, um triângulo amoroso é formado entre Cecília (Cleo Pires), Luis Carlos (Fernando Alves Pinto) e Tonho (José Henrique Ligabue).

Após a sessão haverá debate com integrantes do projeto e convidados.

14h: Nascer nas Prisões: Impacto Social | Cinedebate Primeira Infância Melhor (PIM)

Dir. Bia Fioretti | Brasil | Documentário | 2017 | 29 min |

O documentário Nascer Nas Prisões, produzido pela Fiocruz, em 2017, e dirigido por Bia Fioretti, traça um inédito perfil da população feminina encarcerada que vive com seus filhos em unidades prisionais femininas das capitais e regiões do Brasil. Com falas de profissionais e de mulheres privadas de liberdade, a obra aborda as características e as práticas relacionadas à atenção, à gestação e ao parto durante o encarceramento.

Roda de conversa com:

Sandra Correia- Psicóloga do Presídio Feminino Madre Pelletier. Especialista em Segurança Pública e Cidadania, Mestranda do PPG em Psicologia Social e Institucional/UFRGS.

Tatiane Bernardes –  enfermeira, gestora – Especialista em Saúde da Família e Primeira Infância -Coordenadora do PIM-PIA-  Programa Primeira Infância Melhor Porto Infância Alegre – do município de Porto Alegre

Medição: Renata Dotta – Coordenadora da Política Estadual de Atenção Básica à Saúde das Pessoas Privadas de Liberdade no Sistema Prisional da Secretaria Estadual da Saúde

_______________________________________________________

16h: Violeta foi para o céu | Semana do Cinema Chileno 

Dir. Andrés Wood | Chile | Drama | 2011 | 105 min | 12 anos | Legendado

Intratável, terna, boêmia, áspera, contundente, frágil e indomável. Violeta Parra foi uma das artistas mais emblemáticas do Chile – e ainda assim, profundamente ignorada por décadas de uma cultura controlada pela ditadura de Pinochet.

________________________________________________________

19h: Travessia | Histórias Praieiras 

Dir. Lilian Maus e Muriel Paraboni

Travessia é resultado da parceria entre os artistas Muriel Paraboni e Lilian Maus, cuja pesquisa em torno das lagoas de Osório, envolvendo mitos, relatos, personagens fictícios e reais, inspira a concepção do roteiro. O filme foi criado a partir da performance da própria Lilian Maus e do pescador José Ricardo de Queiróz, em um ano de captações na região. O filme conta a história de um pescador se lança em águas incógnitas, onde os peixes há muito se foram, envoltos por silencioso mistério. Nesta viagem sem volta a paisagem faz às vezes do outro e o outro logo se revela o avesso ou espelho de si na inelutável solidão do horizonte. Travessia é livremente inspirado na lenda da noiva da Lagoa dos Barros, que remonta a inúmeros relatos populares observados desde o período colonial e que chega ao século XX com a morte da jovem Maria Luiza Häussler pelo noivo, Heinz Werner João Schmeling, que ocultou o corpo na Lagoa dos Barros, em Osório, Rio Grande do Sul, em agosto de 1940.

+

Sombra do Tempo

Dir. Naiana Magalhães

Durante o ano de 2016, Naiana Magalhães (CE) acompanhou a pesca artesanal no estado do Ceará. Sob a pergunta norteadora: “E depois que a jangada sai, o que acontece?”. A artista lançou-se ao alto mar acompanhando os pescadores, mas à medida que adentrava o mundo da pesca, também adentrava os conflitos com o modo capitalista e gentrificador de ser da cidade litorânea. O filme é um registro sensível desta experiência.

 

*Sobre o livro “A Dança do Corpo Seco”, de Maria Helena Bernardes*:

Maria Helena Bernardes fará a leitura de contos que fundem as paisagens costeiras do Sul e Nordeste brasileiros, onde a autora viveu. Segundo a autora: “há histórias pinçadas da mitologia urbana brasileira e alguns recortes de nossa demonologia popular. Há também, reminiscências pessoais: a infância passada no Cerrado e a paixão precoce pelo Cosmos; as paisagens do Sul e do Nordeste brasileiros alternadas na adolescência; o espetáculo da loucura entre quatro paredes e fragmentos de sonhos labirínticos que se recusam ao apagamento”.

16h: Mostra Recam

Antonieta

Dir. Flavia Person | Brasil | 2016 | 15 min

Aborda a história da filha de uma escrava libertada, ícone do movimento das mulheres negras no Brasil.

+

La mar estaba serena

Dir. Pablo Schulkin | Uruguai | 2015 | 08 min

Alejandro é um garoto de 5 anos de idade, uma jovem de trinta e poucos anos que mora com sua tia Mariana.Alejandro e Mariana têm um ritual conhecido, escutam e gravam cassetes para os pais que estão fora do país. Um segredo cobre a vida desses dois personagens, vítimas inocentes de conflitos estrangeiros.

+

Maracanazo

Dir. Alejandro Zambianchi | Argentina | 2016 | 15 min

Com uma história de intensidade de futebol, Marcelo entrará no mundo de Candela para conquistar seu coração.A magia da ousadia, o exaltado anti-herói pronto para lutar e uma história que merece ser lembrada, enchem a manhã de um bar perdido em Buenos Aires com misticismo.

+

Tigre

Dir. João Borges | Brasil | 2013 | 16min

Após a morte de Arnaldo Tigre, sua vida é reconstruída por um sobrinho através fotos, cartas e outras memórias.

_______________________________

19h: Infiltrados na Klan 

Dir. Spike Lee | USA | Drama | 2018 | 128 min | 14 anos | Legendado

Em 1978, Ron Stallworth, um policial negro do Colorado, conseguiu se infiltrar na Ku Klux Klan local. Ele se comunicava com os outros membros do grupo através de telefonemas e cartas, quando precisava estar fisicamente presente enviava um outro policial branco no seu lugar. Depois de meses de investigação, Ron se tornou o líder da seita, sendo responsável por sabotar uma série de linchamentos e outros crimes de ódio orquestrados pelos racistas.

16h às 22h: Exibição de Filmes | Colóquio Internacional Apagamentos da Memória na Arte

  • Foules  Dir. Robert Lapoujade, 1960, 8min
  • J’ai huit ans  Dir. Yann Le Masson et Olga Poliakoff, 1961, 9min
  • La distribution du pain  Dir. Cécile Decugis, 1957-2011, 14min
  • Xadalu e o Jaguaretê  Dir. Tiago Bortolini e Kuarai Poty ( Ariel Ortega) 80min

Deixe uma resposta

X