UFRGS recebe a Final Nacional do Festival da Canção Aliança Francesa

O Salão de Atos da UFRGS recebe, depois de sediar a etapa regional do Festival da Canção Aliança Francesa 2019, a esperada final nacional concurso. Os três vencedores serão conhecidos no sábado, 30 de novembro, às 20h, no espetáculo realizado pela Aliança Francesa Porto Alegre, em coprodução com o Departamento de Difusão Cultural da UFRGS. 

O primeiro e segundo lugar da etapa regional do Rio Grande do Sul, Juliano Barreto e Fernanda Copatti, representam o estado e concorrem a uma viagem à França com outros cinco candidatos de todo o Brasil, vindos de Aracaju, Belo Horizonte, Curitiba, São Paulo e Rio de Janeiro. A entrada é franca, com doação de um quilo de alimento não perecível. As portas abrem às 19h e a entrada será por ordem de chegada.

Felipe Abbas (Belo Horizonte), Fernanda Copatti (Porto Alegre), Flávia Melo (Rio de Janeiro), Juliano Barreto (Porto Alegre), Lucas Fortunato (Curitiba), Nalini Menezes (Aracaju) e Nídia Linhares (São Paulo) são os selecionadas para estarem no palco no dia 30. Durante o espetáculo, os sete vencedores das etapas regionais apresentarão canções clássicas e contemporâneas da música francófona, interpretando nomes como Édith Piaf, Ben l’Oncle Soul e Stromae.

A banda que acompanha os candidatos no dia da final é composta por Otávio Moura (bateria), Bruno Vargas (baixo), Angelo Primon (violão) e Jackson Spindler (piano).

Show do intervalo

O show do intervalo da final Nacional do Festival da Canção Aliança Francesa 2019 será um espetáculo à parte. Enquanto os jurados deliberam e escolhem os três primeiros colocados, o público poderá apreciar as apresentações de Camila Orsatto (3º lugar na final regional do RS em 2018) e Daniel Debiagi (1º lugar na final regional do RS em 2015). Os cantores, que prepararam um repertório diverso e emocionante, serão acompanhados pela banda de apoio do Festival.

O Festival da Canção Aliança Francesa

Em 2019, uma das novidades é a adoção de um novo nome para o evento, que passa a se chamar Festival da Canção Aliança Francesa. A ideia por trás dessa mudança é valorizar a diversidade cultural existente por trás da língua francesa, integrando músicas de países francófonos da África, da América e da Europa.

O Festival surgiu em 2008, por iniciativa da Aliança Francesa Porto Alegre. Devido ao seu grande sucesso, o evento tornou-se uma referência em matéria de música contemporânea francesa e francófona no país e passou a acontecer em escala nacional. Adotado pela rede de Alianças Francesas de todo o Brasil, o Festival conta com semifinais regionais e uma grande final sediada em uma cidade diferente a cada ano. 

*Crédito da foto: Fábio Alt

Sobre os participantes

Felipe Abbas | Belo Horizonte (MG)

Engenheiro e músico, Felipe estudou na École Nationale Superieure de Géologie, em Nancy (França). Cultiva desde então seu lado artístico e se aventura a compor em outras línguas, sendo o francês um de seus idiomas preferidos. Felipe apresentará a composição própria Lune.

Fernanda Copatti | Porto Alegre (RS)

Fernanda Copatti é uma artista múltipla, cantora, compositora, atriz, produtora, jornalista e agitadora cultural. Praticou nove anos de canto lírico, mas como forma de estudo, sua verve é totalmente MPB. O amor pela música francesa surgiu ainda na segunda infância, com Bibi Ferreira cantando Piaf, num vinil que rodava dia e noite na vitrola. Foi pensando nessa menina e nessa paixão, que Fernanda escolheu a canção que vai defender no Festival da Canção Aliança Francesa: Milord, de Édith Piafhttps://youtu.be/vwe3CzWZ4Bg

Flávia Melo | Rio de Janeiro (RJ)

Flávia Melo é carioca, capricorniana e musicista. Filha de nordestinos, cresceu na Rocinha e teve contato com a diversidade da música popular brasileira no fervo cultural da favela, mas a sua principal influência é seu pai, autodidata em violão e cavaquinho. Com formação na Escola de Música da Rocinha, na UNIRIO e na Aliança Francesa,  destacam-se dentre os seus trabalhos o de atriz na Companhia de Teatro francesa Image Aiguë (1999), e a turnê na Alemanha como flautista da BandaCapo (2003). Atualmente concilia seu trabalho de professora de música com o de cantora e flautista. Na final nacional de 2019, interpreta Comme Dab, de Vitaa e Stromae:  https://youtu.be/farijgvvBAs

Juliano Barreto | Porto Alegre (RS)

Juliano começou cedo sua trajetória musical, cantando em corais e gravando jingles publicitários desde 1989, quando tinha quatro anos. Protagonizou o espetáculo Lupi, o Musical, sobre a vida do compositor gaúcho e recentemente foi semifinalista do programa The Voice Brasil, pelo time de Ivete Sangalo. Hoje, Juliano cursa teatro na UFRGS e é artista atuante na cena musical. Sempre foi um amante da língua e cultura francesas, principalmente em função do cinema e da música. Nesse ano, se apresentará no Festival da Canção Aliança Francesa com a música Elle me dit, de Ben l’Oncle Soulhttps://youtu.be/16tm4pM9vEU    

Lucas Boufleur Fortunato | Curitiba (PR)

Lucas trabalha como engenheiro ambiental e mora atualmente em Joinville (SC). Canta em casamentos com o grupo Del Chiaro e com a banda Blackout em casas de show em Florianópolis. Vai interpretar a música Petite Soeur, de Ben L’Oncle Soul:  https://youtu.be/tFPSeCeMqOU

 

Nalini Menezes | Aracaju (SE)

Nalini Menezes é bacharel em Música – Canto Lírico pela Universidade Estadual Paulista. Apresentou-se nos mais importantes teatros da cidade de São Paulo, integrou o Coro Acadêmico da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, Coro da OSESP, em 2013.   Desde 2010, Nalini Menezes atua como orientadora vocal e regente coral, tendo regido o Coro da Reitoria da UNESP e o coro do Projeto Orquestra Jovem de Sergipe. Atualmente, é professora de Canto Lírico no Conservatório de Música de Sergipe. Atua como produtora musical, tendo produzido e idealizado o Musical Fuxico de Seda e o Show De Mares a Montes: Nalini Menezes canta Marisa Monte. Em sua vida profissional já cantou sob a regência de Yan Pascal Tortelier e Nathalie Stutzmann (França), Rafael Frühbeck de Burgos (Espanha), Osmo Vänskä (Finlândia), Isaac Karabtchevsky, Guilherme Mannis, Daniel Nery, Abel Rocha e Celso Antunes (Brasil). Nalini vai interpretar S.O.S. D’Un Terrien En Detresse, de Michel Berger: https://youtu.be/0tcuEuQZAQo

Nídia Linhares | São Paulo (SP)

Apaixonada por arte e por Paris, morou em Paris por dois anos e, hoje, é professora de francês. Adora cantar e dançar desde que nasceu, e são essas expressões que lhe trazem felicidade. Usa a música como caminho de aprendizado do francês e a dança como terapia da alma. A candidata de São Paulo interpretará a música Les Plaisirs Démodés, de Charles Aznavourhttps://youtu.be/SLET5TlsAXU

Sobre a banda de apoio

A banda que vai preparar os candidatos nos ensaios e acompanhá-los no dia da final é dirigida por Otávio Moura. Músico profissional, multi-instrumentista, compositor e produtor musical há 20 anos, além de proprietário do Estúdio Musitek, Otávio acompanhou o artista George Isreal (Kid Abelha) em shows pelo estado e participou durante dez anos da Banda Dublê. Dentre seus diversos trabalhos, destacam-se os discos do artista Oly Jr. e do francês Emmanuel Tugny, que lhe renderam três indicações ao Prêmio Açorianos, sendo uma indicação individual como Melhor Instrumentista. Em 2009, venceu o Prêmio de Melhor Disco do Ano com Milonga Blues, de Oly Jr. Em 2013, foi indicado ao Prêmio Açorianos na Categoria Especial de Melhor Produtor do Ano, e foi curador de música do Projeto Colab da Prefeitura de Porto Alegre. Com experiência internacional, Otávio também produziu discos na França e ministra cursos técnicos de áudio em Angola. Na banda de apoio do Festival, toca bateria.

Bruno Vargas é o baixista da banda do Festival da Canção Francesa há oito edições. É integrante do Quarto Sensorial, trio de música instrumental, desde sua formação em 2007. Também faz parte da Orkestra do Kaos, banda que acompanha o músico Arthur de Faria, desde 2015.  Em 2018, ingressou na banda de Bibiana Petek, cantora porto-alegrense. Ao lado da artista, participou dos festivais EDP Live Bands (São Paulo) e NOS Alive (Lisboa/Portugal).

 

No piano, Jackson Spindler, pianista com formação clássica e bacharel em piano pela UFRGS. Atualmente, estuda piano jazz e improvisação com Rafael Vernet. Jackson é professor de música e integra vários projetos musicais, como Rock Lovers, Cine Floyd e Guilherme Zanini Quarteto.

 

Angelo Primon integra a banda do Festival nas guitarras e violão.  Com 30 anos de carreira, o compositor, instrumentista e produtor porto-alegrense já atuou com artistas de vários estilos: Nei Lisboa, Gilberto Gil, Richard Serraria, Adriana Deffenti e Lúcia Helena são exemplos. Foi vencedor do Troféu Açorianos como Melhor Instrumentista categoria MPB nos anos de 2006, 2008 e 2017; em 2011 e 2017 na categoria de Melhor Arranjador MPB.

Serviço

Final Nacional Festival da Canção Francesa 2019 

Quando: 30 de novembro, sábado, às 20h

Onde: Salão de Atos da UFRGS: Av. Paulo Gama, 110 – Bom Fim, Porto Alegre 

Ingresso: Entrada franca, por ordem de chegada, mediante doação de 1 quilo de alimento não perecível

Deixe uma resposta

X