O ar que respiramos

O oxigênio está presente no nosso dia a dia e, sem ele, não teríamos a vida como é hoje. Porém, mesmo parecendo benéfico 100% do tempo, ele pode causar grandes danos. Percebemos eles todos os dias, por exemplo, quando uma maçã cortada começa a se tornar amarela. Veremos que esses problemas tomam uma escala muito maior na indústria do que a doméstica, e o controle desse gás se torna indispensável.

Bebidas
Em bebidas, principalmente as fermentadas, como a cerveja e o vinho, o seu excesso leva a oxidação de compostos formados durante a fermentação, o que ocasiona a aparição de compostos aromáticos indesejados e, no caso dos vinhos, uma mudança de coloração, transformando o vinho de amarelo palha para amarelo escuro, por exemplo.
A oxidação acontece em condições proporcionadas por vida de prateleira: incidência de luz e temperaturas ambiente. Isso é um problema, pois diminui as possibilidades de venda nesses locais, já que o produto, após alguns meses, não terá apelo visual, no caso dos vinhos, e pode esconder um sabor desagradável e manter um cliente insatisfeito.
Assim, as empresas que pretendem abranger mercado nacional investem no controle da sua entrada nos processos industriais.

Peixes
A quantidade de oxigênio dissolvido em água é característica importante para conhecer a qualidade do meio aquático. Nos ambientes que possuem grande quantidade de matéria orgânica, a parcela de oxigênio é mínima. Nesses locais, a criação de espécies aquáticas é dificultada, pois há grande incidência de doenças e mortes dos animais.
Além disso, em lagos e em locais fechados, a quantidade de oxigênio decresce a noite, já que não há fotossíntese, causando mortandade de peixes.
Então, o controle da variação do oxigênio é de fundamental importância para acionamento de aeradores ou sopradores, diminuindo a quantidade de perdas.

Estações de tratamento de água
Para a decomposição da matéria orgânicas são necessárias bactérias que são afetadas diretamente pela variação da quantia de oxigênio no meio. Uma concentração abaixo do normal causa inativação do processo e, em concentrações altas, um excesso de energia é demandado na decomposição.
Também, existem concentrações padronizadas pelo Agência Nacional de Águas para definir uma água de qualidade, medidas interessantes para serem seguidas pela indústria.

Caldeiras
As caldeiras alimentadas pelo vapor em altas temperaturas devem possuir quantidades mínimas de oxigênio, pois a temperatura elevada facilita o processo de corrosão das caldeiras, um enorme prejuízo a longo prazo.

E como a Enfitec Júnior atua nesse meio?

A Enfitec Júnior desenvolve sensores personalizados para cada cliente. Nessa área, estamos desenvolvendo um sensor óptico que possa medir até ppb da concentração de oxigênio dissolvido em diversos ambientes.
Ficou interessado no assunto e quer saber mais sobre a medição de O2? Ou ainda, gostaria de desenvolver um para tornar-se cada vez mais competitivo nesse mercado? Entre em contato conosco

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *