Medição Contínua de umidade na secagem do concreto

 
     Na área de Engenharia Civil, sabe-se que a retração do cimento (processo de redução de volume que ocorre no concreto, ocasionada principalmente pela saída de água por exsudação) influencia diretamente no ocasionamento de fissuras e rachaduras na estrutura. O Laboratório de Ensaios e Modelos Estruturais (LEME) da UFRGS, possui uma linha de pesquisa no âmbito de estudar aditivos ao cimento que permitem com que ele permaneça úmido por mais tempo (processo conhecido como cura do cimento).
     A Enfitec Júnior foi contratada para desenvolver um dispositivo capaz de medir a umidade continuamente in situ durante a secagem do concreto dentro desse contexto. A partir disso, desenvolvemos um método pioneiro capaz de medir a umidade durante dezenas de dias, obtendo estatísticas extremamente úteis para o estudo da Retração Autógena do concreto.
     Basicamente, o método consistiu em gerar um microclima para o sensor dentro do ensaio de prova com uma instrumentação capaz de suportar semanas naquele ambiente extremamente agressivo com umidade saturada.
Figura 1: ensaios de prova com sistema de medição sendo instalados
     Podemos ver na figura abaixo a temperatura e umidade medidos in situ durante a secagem do cimento. Nos testes com aditivos conhecidos a curva de secagem foi exatamente no tempo previsto pela literatura.
Figura 2: estatística obtida do sensor
     O consultor Lucas Maximiliano Oliveira foi o gerente desse projeto, que gerou resultados muito interessantes e inovadores na área.
Lucas Oliveira