Núcleo de Extensão

A Escola de Administração conta, atualmente, com um núcleo de extensão com estudos voltados para a Gestão Alternativa: NEGA.

Docentes colaboradores
Ana Mercedes Sarria Icaza
Fábio Bittencourt Meira
Pedro de Almeida Costa

O NEGA (Núcleo de Estudos em  Gestão Alternativa) se ocupa em estudar experiências de trabalho que se distinguem dos modelos organizacionais hegemônicos, apoiando e potencializando essas práticas, através de projetos de pesquisa e de extensão e da inserção dessa temática nas atividades de ensino.

Objetivo Geral
Desenvolver ações de extensão, ensino e pesquisa que permitam conhecer, apoiar e potencializar experiências de Gestão Alternativa, estudar políticas públicas, desenvolver tecnologias sociais e teorias críticas nesse campo.

Objetivos específicos

  • Constituir-se em um espaço para realização de pesquisas, estudos e atividades de extensão em Gestão Alternativa que fomentem o diálogo entre Universidade e Sociedade.
  • Desenvolver tecnologias sociais de gestão para experiências e organizações populares/não hegemônicas.
  • Promover encontros, seminários e outras formas de sistematização e debate sobre o conhecimento em Gestão Alternativa, envolvendo a comunidade acadêmica e os sujeitos populares das experiências, organizações e redes com que o programa se relacione.
  • Elaborar projetos, celebrar convênios, captar recursos, bolsas e outras formas de apoio material e humano para o alcance dos objetivos do Núcleo.

 Público

  • Organizações, empreendimentos, redes e outras experiências que trabalhem e/ou se organizem na perspectiva de gestão alternativa.
  • Discentes de graduação e pós-graduação vinculados a atividades de pesquisa e extensão junto a tais experiências.

 Justificativa

A racionalidade que dá base ao modo de produção capitalista e garante a sua hegemonia, é o fundamento das práticas organizacionais empresariais e a própria Administração enquanto ciência. Entretanto, essa racionalidade não alcança todos os espaços e ações humanas que giram em torno do trabalho e da produção (e reprodução) material. Outras racionalidades e práticas organizativas estão presentes em diferentes experiências que podem ser chamadas de não capitalistas ou não puramente mercantis, e que também podem se configurar, ou não, como ações de resistência cultural. Muitas dessas práticas estão socialmente invisibilizadas e o NEGA propõe-se a estudar e dar visibilidade a tais práticas, reconhecendo-as como propostas e dinâmicas sociais que semeiam a pluralidade e a diversidade dos modos de viver e trabalhar, o que tem implicações econômicas, políticas e culturais.

Métodos

O desenvolvimento do Programa NEGA está baseado na organização de ações permanentes de pesquisa e extensão que são, por um lado, demandas que já se apresentam atualmente aos docentes e à linha de formação de Administração Púbica e Social. Tais demandas vêm de movimentos sociais, em especial da Economia Solidária, seus empreendimentos e redes, outras organizações não governamentais que prestam apoio e assessoria nesse campo e também de órgãos e secretarias de governos locais e de outras esferas, que mantêm políticas de apoio ao movimento.

De outro lado, os docentes que estão comprometidos com o Programa também mantém ações proativas de pesquisa e extensão em torno da temática da gestão Alternativa, e a essas ações podem se agregar outros docentes e discentes da Escola de Administração e de outras unidades da UFRGS.

Atividades

Desenvolver pesquisas nas linhas de: políticas públicas, teorias críticas e tecnologias sociais.
Desenvolver atividades de assessoria e apoio aos EES a partir de demandas
Específicas de experiências e organizações populares/não hegemônicas
Criar e manter seminário de Estudos e Debates sobre Gestão Alternativa na Escola de Administração
Participar de espaços de articulação, participação e mobilização social, como fóruns, conselhos e conferências.
Sistematização e publicação das experiências, metodologias e instrumental tecnológico desenvolvidos
Participar de redes nacionais e internacionais de pesquisa, ensino e extensão para trocas de experiências

Comentários
O presente programa foi proposto nesse formato para garantir perenidade para as ações e mais agilidade administrativa para demandas pontuais que são trazidas para a Escola de Administração (EA).

O formato de programa também se mostra adequado para institucionalizar e formalizar um espaço para ações de pesquisa e de extensão para a linha de formação em Administração Pública e Social do curso de Administração da EA.

Esse espaço construirá possibilidades de vivência empírica para os discentes dessa linha, assim como para discentes de pós-graduação e docentes que se envolvam direta ou indiretamente com a Gestão Alternativa.