ESEFID - Escola de Educação Física, Fisioterapia e Dança - UFRGS
Português | English
 
 
 ESEFID NEWS :: Notícia
Espetáculo Um corpo bem de perto
Publicada em 20/11/2019 às 17:17:36 | Atualizada em 20/11/2019 às 17:17:38
Trabalho solo de Luciana Paludo

Nome do espetáculo: Um corpo bem de perto
Trabalho solo de Luciana Paludo
Local: Teatro de Arena
Data: 22, 23 e 24/11/2019.
Hora: 20h
Indicativo de faixa etária: 12 anos
Duração do espetáculo: 45 minutos
Ficha técnica:
Coreografia, dança e textos: Luciana Paludo
Trilha sonora: Carolina Paludo Sulczinski e Luciana Paludo.
Figurino: Laura Bauermann
Ensaiadora: Rossana Scorza
Iluminação: Luka Ibarra
Operação de som: Anne Plein
Produção: Luciana Paludo e Luka Ibarra

1. Sinopse:

Um corpo bem de perto é um trabalho solo, de criação e execução de Luciana Paludo. Inspira-se em questões a respeito do tempo transcorrido no corpo. O corpo, matéria carregada de memória, comporta índices que denotam sua história, seu estar no mundo; seu modo de mover. Esse trabalho é uma ode à existência, permeada pelos movimentos da dança.

O espetáculo iniciou seu processo dentro da Casa Bild (2006), projeto que propunha um espaço para o desenvolvimento de linguagens autorais em dança, proposto por Jussara Miranda (e executado pelos recursos do Prêmio Funarte Klauss Vianna). Na Casa Bild, cada criador/a tinha um “olheiro”; o olheiro de Um corpo bem de perto foi Airton Tomazzoni.

O trabalho estreou em 2006 no Teatro de Arena; nesse ano recebeu prêmio Açorianos de Dança de melhor bailarina, coreografia e trilha sonora. Em 2007 realizou turnê nacional, através do Prêmio Caravana Funarte de Circulação Nacional – Dança. Foi apresentado em diversas cidades do País e do RS, em eventos das artes cênicas e específicos da dança: Porto Alegre em Cena, Dança Alegre Alegrete, I Encontro Nacional de Dança-Teatro (em Viçosa), entre outros. Em 2016, junto a trechos de outros trabalhos solo de Luciana, foi levado ao palco da Sala Agrippina Vaganova, em Joinville, para compor um espetáculo, no formato de conferência dançada, o qual agregava trechos de diversas coreografias, compostas entre 2000 e 2016.

Em 2019 volta à cena de Porto Alegre, para que as questões se atualizem no corpo e na cena contemporânea da dança porto-alegrense.


   

A obra traz à cena um certo impacto visual, causado pelas evidências da estrutura do corpo em movimento e o uso de luz e sombras. Foto Antonio Carlos Cardoso



Luciana Paludo tem uma trajetória como solista e como artista que trabalha em colaboração com outros artistas. Em 2019, a bailarina volta à cena sozinha, depois de alguns anos trabalhando apenas em grupo e em criações coletivas.

[Entre essas criações coletivas, destaca a performance Manchas Urbanas, com a Eduardo Severino Cia. de Dança; o espetáculo Vestido como parece, com a Anima cia de dança, dirigida por Eva Schul; o espetáculo Das tripas sentimento 2018, dirigido por June Machado e outras produções com o Mimese cia de dança-coisa (grupo que dirige): Ensaio sobre o tempo (2016 e 2017), A utopia do corpo sensível (2018, 2019). Também apostou em trabalhos em colaboração, como foi o caso do Projeto Luciana Paludo Convida, pelo qual recebeu Prêmio Açorianos de Difusão e Formação em Dança em 2016, realizando e atuando em 8 espetáculos com artistas convidados.]

Então, voltar a um espetáculo solo é algo esperado pelo público que acompanha o seu trabalho.

6.1 Link para trecho de Um corpo bem de perto: Confira aqui

6.2 Link para visualizar algumas fotos: Confira aqui

6.3 Numa entrevista que concedi, há um tempo atrás, a repórter perguntou um momento que eu destacaria em minha carreira, respondi:

Quando compus “Um corpo bem de perto”, em 2006. Foi um divisor de águas, no bom sentido. Aprendi muita coisa, tendo que levar um espetáculo sozinha.

Inicialmente comecei o trabalho com o Airton Tomazzoni de “olheiro” – espécie de provocador -, dentro do projeto Casa Bild (Prêmio Klauss Vianna 2006, de Jussara Miranda). Depois disso, o espetáculo ganhou vida própria; dancei em vários Estados e eventos de dança. Foi neste momento de minha vida que percebi/senti a questão da “fragilidade” e efemeridade na dança (o que já sabia teoricamente); na ocasião, passei a compreender isso “na carne”. Havia um poema lindo, que iniciava a cena e trazia “o ser (fr)ágil e potente” para a ação.

*Disponível no site: Confira aqui

(acessado em 07/05/2019).

6.4 Registro da apresentação em Viçosa (MG): Confira aqui

7. SERVIÇO:

Ingressos no local, uma hora antes: R$ 30,00 e 15,00 (meia entrada para estudantes, classe artística e pessoas acima de 60 anos)

Ingressos antecipados no Espaço N: R$ 20,00 e 10,00 (meia entrada)

Confira mais fotos


   

    

    













Está acontecendo na ESEFID
Notícias da Universidade
Links Importantes

 




 UFRGS | ESEFID MOODLE INSTITUCIONAL |  ROODA |  NAVI  
© Copyright - Escola de Educação Física  - UFRGS - Todos os Direitos Reservados.