junho 6th, 2014

Contrapiso com isolamento acústico

O isolamento acústico entre ambientes pode ser obtido através do forro, das paredes ou do piso. Neste caso, optou-se pelo emprego de um isolante acústico sobre a laje, construindo-se um contrapiso flutuante, ou seja, sem contato direto com elementos estruturais contínuos ou de vedação, eliminando a transmissão de ruídos através destes.

Para execução do isolamento acústico entre o contrapiso e a laje, esta deve ter uma regularidade mínima, obtida na concretagem. Neste trabalho foi utilizada uma manta acústica de material plástico amortecedor, com cerca de 5 mm de espessura, apresentada em rolos com largura de 50 cm.

As mantas foram dispostas com um transpasse de 5 cm entre elas e um excedente que subiu nas laterais das paredes. Sobre esta cobertura foi colocada uma tela metálica, para diminuir riscos de fissuras devidas à trabalhabilidade do material do contrapiso ou de choques mecânicos.

Após a colocação da manta e da tela metálica, ambas foram cobertas pelo contrapiso, elaborado com argamassa de cimento e areia de textura seca. Após a regularização e secagem do contrapiso, as rebarbas da manta que ficaram sobrando junto às bordas foram cortadas com estilete.

1_Tela metálica aplicada sobre a manta de isolamento. 2_Argamassa do contrapiso sendo aplicada sobre a tela. 3_Manta de isolamento para receber acabamento no encontro dos ambientes.

4_Contrapiso alisado e finalizado. 5_Sobras de manta de isolamento nos encontros com as paredes que serão removidas com estilete.

Matéria elaborada a partir de pesquisa e imagens do aluno Pedro Ivo Pan.
outubro 28th, 2013

Porcelanato de Grandes Dimensões: assentamento da primeira linha

As placas cerâmicas de grandes dimensões apresentam algumas particularidades e dificuldades em seu assentamento. Como o material é pouco poroso, a argamassa de assentamento necessita ser especial para esse tipo de piso. Especialmente no caso do porcelanato de grandes dimensões se indica a utilização de argamassa industrializada de classificação AC III (NBR 14081). Além disso, o perfeito nivelamento do contrapiso é muito importante para que se atinja um bom resultado final.

Abaixo segue o passo a passo observado na aplicação de peças de porcelanato na dimensão de 1×1 metro em um edifício residencial.

– Marcação do alinhamento da primeira fila de placas com utilização de fio de nylon;

– Limpeza e umidificação do contrapiso, a fim de impedir que a poeira prejudique o desempenho da argamassa;

– Aplicação da argamassa no piso utilizando  a colher de pedreiro;

– Com a desempenadeira dentada faz-se sulcos e cordões na argamassa espalhada no piso;

– Aplicação argamassa colante no verso das peças de porcelanato, formando uma dupla camada (piso e peça);

– Aplicação das peças, que são pressionadas e batidas com martelo de borracha até o amassamento dos cordões;

– São utilizados espaçadores plásticos de piso (cruzeta) para deixar a distância do rejunte regular entre as peças.

Matéria elaborada a partir de pesquisa e imagens da aluna Priscila Schwengber e, ainda,
TCC de Daniela Andrade de Souza.
(http://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/28559/000769509.pdf?sequence=1).

				
julho 5th, 2013

Deck de madeira

As áreas externas em residências necessitam de um piso que tenha características específicas para uma boa funcionalidade, como ser antiderrapante, ter durabilidade e boa resistência a mudanças climáticas. O mais comum sempre foi utilizar a pedra nestes ambientes mais suscetíveis a intempéries, porém, há alguns anos que a madeira vem sendo incorporada a pisos externos, sendo geralmente utilizadas as de tipo mais nobres, previamente tratadas, resistentes ao apodrecimento e à pragas. A escolha da madeira a ser utilizada no deck depende de alguns fatores, como a área de instalação, a finalidade do espaço, o fluxo de usuários e a insolação que o material receberá. Os tipos de madeira mais utilizados são ipê, cumaru, canelão e itaúba.
Na obra em análise, foi feito um deck ao redor de uma piscina, utilizando madeira ipê, sendo suas ripas previamente tratadas com verniz preservativo.

Instalação:
– o primeiro passo é limpar o contrapiso que receberá o deck, sendo que este já possui um caimento, direcionado para as bordas externas;
– são posicionadas as réguas de madeira a cada 40 cm, já com a pintura impermeabilizante, e, com o auxílio de uma furadeira, é feita a furação simultânea das réguas e do contrapiso, para que estas aberturas coincidam;
– as réguas são removidas para colocação de buchas, e então finalmente fixadas ao contrapiso com parafusos tipo parabolt;
– o nivelamento das réguas é realizado com a utilização de cunhas, deixando o deck no nível desejado;
– as ripas de ipê são fixadas nas réguas, pregadas individualmente;
– no encontro com a borda da piscina é feito o recorte de ajuste, utilizando-se serra elétrica manual;
-finalmente, com as ripas já colocadas, é realizada uma nova limpeza e passada uma camada de verniz.

Observa-se que, ainda que os serviços tenham sido realizados em uma edificação existente, houve negligência do pessoal em relação aos EPIs, pois a situação envolvia os riscos potenciais inerentes a toda obra, decorrentes das restrições à livre circulação e do uso de ferramentas.

Matéria elaborada a partir de pesquisa e imagens da aluna Patrícia Lemos

This work is licensed under GPL - 2009 | Powered by Wordpress using the theme aav1