ufrgs.png
  Ramiro Barcelos, 2400 Santa Cecília Porto Alegre, RS

Atividades do Curso de Medicina

O curso de Medicina UFRGS possui um currículo mínimo composto por 12 etapas/semestres, totalizando uma carga horária de 8.820h e 588 créditos em atividades obrigatórias. As três primeiras etapas seguem o calendário da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), porém, da quarta à décima-segunda etapas, há um calendário específico às atividades do curso.

As atividades do curso de Medicina se realizam em três campii distintos, sendo prevalentes as atividades no campus Centro até a terceira etapa, e no campus saúde da quarta à décima-segunda etapas.

Os três tipos referenciais de atividades de ensino do currículo são os seguintes:

  1. Disciplinas que obedecem ao calendário geral da UFRGS ou ao calendário específico da Faculdade de Medicina (FAMED) com 15 (quinze) a 19 (dezenove) semanas de duração;
  2. Estágios com duração de 19 (dezenove) a 20 (vinte) semanas;
  3. Internatos com duração de um a três meses, dependendo da área, e em tempo integral, consoante legislação específica do Conselho Nacional de Educação (CNE) e em conformidade com as Diretrizes Curriculares Nacionais.

A metodologia das diferentes atividades do curso está profundamente comprometida com a interdisciplinaridade, com a articulação ensino-assistência-promoção da saúde, com o desenvolvimento do espírito científico e com a formação de sujeitos autônomos e cidadãos. As atividades referenciais são distribuídas de maneira a ensejar o desenvolvimento de habilidades e a assimilação de conteúdo mediante quatro modelos sequenciais de ensino. O primeiro é utilizado no ensino básico (anatomia, biofísica, histologia, bioquímica, fisiologia, microbiologia, imunologia, parasitologia, farmacologia e patologia) e se faz predominantemente em salas de aula com grandes grupos e laboratórios. Nesta forma predominam as aulas expositivas e as práticas orientadas em laboratórios biomédicos, com problematização de temas e cenários de expressão real de problemas em saúde. As disciplinas têm avaliações centradas no conteúdo e o instrumento fundamental é a prova de questões para avaliação cognitiva. Há laboratórios com utilização de tecnologias avançadas, como do de visão virtual tridimensional na disciplina Anatomia. O ensino das ciências básicas está concentrado nas etapas iniciais, mas distribui-se ao longo do currículo médico, até o 8° semestre. Desde a primeira etapa os alunos atuam em distintos cenários de prática, uma vez que já na disciplina Introdução à Atenção Primária (na primeira etapa) os alunos desenvolvem atividades acadêmicas de observação nos Postos de Saúde do distrito assistencial Glória-Cruzeiro-Cristal.

O segundo modelo é o da integração de disciplinas do ensino básico com disciplinas do ensino clínico. Entre estas estão as associações da Farmacologia I, II e III com Introdução à Clínica Médica e Clínica Médica I e II; da Patologia Aplicada I e II com a Clínica Médica I e II, da Patologia Cirúrgica com Cirurgia e Técnica Operatória Estágio, Patologia Ginecológica com Ginecologia e Obstetrícia Estágio. Além disso, nas oito primeiras etapas, há disciplinas que promovem integração de conteúdos. Nas quatro primeiras etapas estão as disciplinas Atividades de Integração Básico Clínica I, II, III e IV, Promoção e Proteção à Saúde da Mulher, Promoção e Proteção à Saúde da Criança e do Adolescente, Promoção e Proteção à Saúde do Adulto e do Idoso, Introdução à atenção primária, Psicologia Médica e Epidemiologia. Da sexta à oitava etapas estão as disciplinas de Saúde e Sociedade, Introdução ao Raciocínio Clínico-Epidemiológico, Epidemiologia II, Administração e Planejamento de Saúde e Saúde do Trabalhador. Ainda são oferecidas em caráter adicional Introdução à Bioética Médica e Práticas Integradas em Saúde I (que faz integração com outros cursos da área da saúde como Odontologia, Enfermagem, Psicologia, entre outros). Essas disciplinas utilizam predominantemente como cenários de ensino ambientes extra-hospitalares, quais sejam salas de aula, escolas, creches, instituições de longa permanência e postos de saúde. Nelas utiliza-se metodologias ativas de ensino, como a team based learning (TBL) na disciplina Atividades de Integração Básico-Clínica II e a problem based learning (PBL) na disciplina Atividades de Integração Básico-Clínica III.

O terceiro modelo de referência é o ensino da prática médica, que se faz predominantemente na forma de estágio, com atuação direta do aluno e do professor junto ao paciente, nos cenários de prática. Os grupos de alunos são pequenos, normalmente de 8, permitindo a interação. Utilizam-se técnicas de preceptoria e o ensino baseia-se na solução de problemas clínicos. As avaliações são interativas ou mediante provas cognitivas e práticas. Este ensino é realizado predominantemente no Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA), com exceção da Pediatria que utiliza cenários de atenção primária. Nesta modalidade estão as disciplinas das grandes áreas da prática médica (medicina interna, pediatria, cirurgia, ginecologia e obstetrícia, otorrinolaringologia e oftalmologia, e psiquiatria).

O quarto modelo de referência é constituído pelos internatos, que são os estágios curriculares supervisionados em serviço. Trata-se de treinamento intensivo, contínuo e sob supervisão em instituição de saúde com Residência Médica e Preceptoria. Os internatos são estágios em equipes assistenciais supervisionadas por docente e em contato direto com médicos residentes. Tem duração de 30 a 90 dias geralmente com rodízio obrigatório, nas grandes áreas da Medicina (Medicina de Família, Cirurgia, Clínica Médica, Gineco-Obstetrícia, Pediatria) e suas especialidades, Cardiologia, Dermatologia, Endocrinologia, Gastroenterologia, Hematologia, Infectologia, Nefrologia, Neurologia, Oncologia, Pneumologia, Radiologia, Reumatologia, Urologia, etc. Os estagiários, denominados doutorandos, fazem plantões, acompanhando equipes da Emergência ou atendimento a pacientes internados.

A Faculdade de Medicina ainda possui um Núcleo de Acompanhamento do Aluno (NAA) que tem como finalidade identificar os acadêmicos com dificuldades de aprendizado, através da análise dos históricos escolares; orientar os acadêmicos com dificuldades de aprendizado; orientar os acadêmicos com dificuldades pessoais, que estejam se refletindo no aprendizado ou no comportamento. Os acadêmicos podem chegar ao Núcleo de Acompanhamento do Aluno por busca voluntária, indicação de professores, indicação de colegas ou por solicitação do próprio Núcleo, sendo esse acompanhamento voluntário por parte dos acadêmicos. Atualmente o NAA é composto por 3 professores e por uma Assistente Social. A estrutura da Comissão de Graduação de Medicina (COMGRAD/MED) conta com um técnico em assuntos educacionais que auxilia professores e alunos em questões pedagógicas.

Os calouros ao ingressarem na Faculdade de Medicina recebem no dia de sua recepção um tutorial contendo as informações pertinentes à realização do curso. Neste tutorial se encontram os locais de ensino de cada atividade acadêmica, o currículo do curso, as resoluções, decisões e regulamentações pertinentes ao aluno. A COMGRAD/MED também orienta os discentes que necessitam de informações pertinentes e que não se encontram no tutorial do estudante.

Outro apoio extraclasse importante ao estudante é a monitoria acadêmica. Esta exerce um papel importante tanto para aquele que busca auxílio à compreensão de conteúdos e de atividades práticas, quanto àquele que atua como monitor, uma vez que o demonstrar como fazer a outro estudante, de acordo com a pirâmide de Müller, encontra-se apenas abaixo do próprio fazer, logo é um exercício importante também no aprendizado e na formação do monitor. A monitoria pode ocorrer tanto no momento das aulas, quanto em horários estabelecidos pelo professor orientador.

Os alunos de Medicina contam ainda com o Centro Acadêmico Sarmento Leite (CASL), o mais antigo do Brasil (1912), grande aliado da COMGRAD/MED na divulgação das questões pertinentes aos alunos. O CASL desenvolve uma série de atividades e publica dois periódicos: o jornal “O Bisturi” (veicula matérias de alunos, professores e outros profissionais da área de saúde que sejam do interesse dos seus leitores) e a “Revista Científica do CASL” (publica artigos científicos de acadêmicos e professores) e em conjunto com a FAMED promove a Semana Acadêmica que é um evento anual que reúne diversas atividades, criando um espaço para confraternização, aprendizado e demonstração de habilidades dos acadêmicos.

 

 

Ramiro Barcelos, 2400 -Bairro: Santa Cecília | Porto Alegre, RS