ufrgs.png
  Ramiro Barcelos, 2400 Santa Cecília Porto Alegre, RS

Em comemoração ao Dia do Nutricionista (31/08), a Biblioteca FAMED/HCPA promove o evento “Conversas em Nutrição”. A temática das conversas serão as múltiplas possibilidades de atuação do Nutricionista dentro da Universidade, com a participação de profissionais de diversos setores da UFRGS relatando suas experiências.
Data: 30.08.2018, quinta-feira
Horário: 13h
Local: Biblioteca FAMED/HCPA – Rua Ramiro Barcelos, n. 2400, 3. andar, Bairro Santa Cecília, Porto Alegre/RS
Participantes:
Ana Luiza Sander Scarparo, CECANE/UFRGS
Divair Doneda, Laboratório de Técnica Dietética - FAMED/UFRGS
Fabiana Hitomi Tanabe, Refeitório Universitário - Campus Litoral Norte/UFRGS
Gilvane Souza dos Santos, Restaurante Universitário - PRAE/UFRGS
Juliana Rombaldi Bernardi, Comissão de Graduação em Nutrição - UFRGS
Mariana Dihl Schiffner, Laboratório de Avaliação Nutricional - FAMED/UFRGS
saiba mais

A FAMED participa pela terceira vez no teste do progresso. Este teste, realizado em um consórcio de escolas (UFRGS, USCSPA, PUC, ULBRA, UCPel, FURG, UCS, UNISC, UPF, IMED, UFFS, UFN, UNIVATES) é um teste longitudinal que avalia os conhecimentos dos estudantes de graduação em Medicina do 2º ao 11º. semestres. É composto por 120 questões de múltipla escolha, divididas em 7 áreas do conhecimento: ciências básicas, ética médica, saúde coletiva, clínica geral, pediatria, tocoginecologia e cirurgia, mas independente da área a maioria das questões é montada como pequenos casos clínicos. A ideia é saber se estamos preparando os alunos para resolver os problemas que surgem diariamente.
O teste representa um esforço conjunto das escolas de medicina em aprimorarem os seus cursos. Os alunos podem conhecer mais detalhes e se inscrever gratuitamente no site da fundação. A prova será dia 12/9/2018 às 14 horas. Acesse aqui.

O livro traz um resgate histórico do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia da Famed-UFRGS, fruto de um amplo esforço de recuperação de fotos, documentos e da trajetória de profissionais, cuja biografia está intrinsecamente ligada à do departamento.  Os trabalhos foram coordenados pelo professor Carlos Henrique Menke, que valorizou a memória viva do DGO. “Tem muita coisa para contar, muito investimento humano e material. Foi isso que tentamos condensar nesse livro”. A comissão organizadora foi composta, ainda, por Arnaldo Kunde, Fernando Freitas, Heitor Hentschel e Waldemar Augusto Rivoire.
O projeto foi organizado pelo chefe do DGO, Edison Capp.
Interessados na obra podem entrar em contato pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..
Fonte: HCPA

O documento  lançado nesta terça-feira,14 de agosto de 2018. durante a III Conferência Nacional de Ética Médica, realizada em Brasília (DF) - tem foco nos acadêmicos que se preparam para exercer futuramente a Medicina. O CEEM brasileiro preenche lacuna, em nível nacional, e se inspira em experiências de códigos semelhantes editados em outros países, como Inglaterra, Estados Unidos e Canadá. Anteriormente, no Brasil, algumas instituições de ensino e Conselhos Regionais de Medicina haviam elaborado textos com o mesmo objetivo, mas com abrangência local.

Diferentes eixos - O Código de Ética do Estudante de Medicina contém 45 artigos organizados em seis diferentes eixos, os quais ressaltam atitudes, práticas e princípios morais e éticos. O trabalho de elaboração desse texto teve início há dois anos e foi concluído durante fórum específico, organizado pelo CFM e que contou com a participação de representantes de várias entidades que mantém interface com o tema.

Além dessas representações institucionais, durante o processo de elaboração do CEEM médicos, estudantes, academias e outras entidades da sociedade civil também puderam contribuir com a formulações, encaminhando suas sugestões por meio de uma plataforma eletrônica criada especificamente com esse objetivo. Ao todo foram recebidas 272 contribuições.

O CEEM funciona como orientação não somente aos alunos, mas também para os professores e responsáveis pelas instituições de ensino, encarregados da formação do profissional. “A formação dos futuros médicos na graduação deve proporcionar aos estudantes o incentivo ao aperfeiçoamento da capacidade de lidar com problemas nos campos da moral e da ética em sinergia com as atividades relacionadas ao ensino e à prática profissional”, afirmou o presidente do CFM e coordenador da Comissão Nacional de Elaboração do Código de Ética do Estudante de Medicina, Carlos Vital.

Principais pontos do Código de Ética Médica do Estudante


Sigilo médico
Orienta o estudante a guardar sigilo a respeito das informações obtidas a partir da relação com os pacientes e com os serviços de saúde. E veda ao acadêmico a quebra do sigilo.

Assédio moral
Orienta o estudante a se posicionar contra qualquer tipo de assédio moral ou relação abusiva de poder entre internos, residentes e preceptores.

Trotes
Compreende como um direito o estudante participar da recepção dos ingressantes, mas em um ambiente saudável. Também destaca como dever a denúncia de qualquer prática de violência física, psíquica, sexual ou dano moral e patrimonial.

Exercício ilegal
Proíbe o acadêmico identificar-se como médico, podendo qualquer ato por ele praticado nessa situação ser caracterizado como exercício ilegal da medicina.

Remuneração
O estudante de medicina não pode receber honorários ou salário pelo exercício de sua atividade acadêmica institucional, com exceção de bolsas regulamentadas.

Relação com cadáver
Destaca o respeito com o cadáver, incluindo qualquer peça anatômica utilizados com finalidade de aprendizado.

Supervisão obrigatória
Instrui que a realização de atendimento por acadêmico deverá obrigatoriamente ter supervisão médica.

Respeito pelo paciente
Orienta o estudante a demonstrar empatia e respeito pelo paciente.

Respeito no atendimento e aparelhos eletrônicos
Destaca como dever do estudante dedicar sua atenção ao atendimento ministrado, evitando distrações com aparelhos eletrônicos e conversas alheias à atividade.

Privacidade
Garante o respeito a privacidade, que contempla, entre outros aspectos, a intimidade e o pudor dos pacientes.

Mensagens whatsapp
Permite o uso de plataformas de mensagens instantâneas para comunicação entre médicos e estudantes de medicina, em caráter privativo, para enviar dados ou tirar dúvidas sobre pacientes.

Equipe multidisciplinar
Orienta os estudantes a se relacionarem de maneira respeitosa e a respeitarem a atuação de cada profissional da saúde.

Acesse aqui a íntegra do documento

 



Página 1 de 24

 

 

Ramiro Barcelos, 2400 -Bairro: Santa Cecília | Porto Alegre, RS