Qual a diferença entre medicamentos de referência, genérico e similar?

Por Ana Paula Herrmann e Lorenzo Moreira


Se você ainda não entende a diferença entre medicamentos de referência, genérico e similar, não está sozinho. Para esclarecer essa dúvida, o farmacoLÓGICA preparou um infográfico resumindo tudo. E fique ligado, pois a internet está cheia de informações pouco precisas e desatualizadas sobre o assunto.

O medicamento de referência é aquele que foi desenvolvido por um laboratório após anos de pesquisa e muito dinheiro investido. Para ter sua comercialização autorizada pelo órgão de vigilância de cada país, o laboratório precisa apresentar estudos clínicos comprovando a eficácia e a segurança do medicamento. Em geral, após um novo medicamento ser lançado no mercado, somente o laboratório criador tem o direito de comercialização. Essa exclusividade termina quando expira o prazo da patente, que dura de 10 a 20 anos na maioria dos casos.

Depois desse tempo, outros laboratórios podem usar o mesmo princípio ativo e fazer cópias do medicamento de referência. Essas cópias são os medicamentos genéricos e os similares, que são mais baratos pois os laboratórios não tiveram que gastar tempo e dinheiro na descoberta e desenvolvimento do fármaco. O genérico é aquele com a tarja amarela e o G de genérico, e não tem nome de marca, ao contrário dos medicamentos de referência e dos similares. Para garantir que a cópia possa ser usada no lugar do medicamento de referência, é preciso realizar alguns testes que comprovem essa intercambialidade.

No passado, genéricos e similares precisavam passar pelo teste de equivalência farmacêutica, mas somente os genéricos precisavam passar pelo teste de bioequivalência. Hoje no Brasil, tanto os genéricos quanto os similares precisam passar pelos mesmos testes para mostrar que são cópias fiéis do medicamento de referência. Entretanto, a ANVISA ainda não analisou todos os documentos apresentados pelos laboratórios que fabricam similares, mas é possível consultar uma lista com aqueles que já são considerados equivalentes com seus respectivos medicamentos de referência. Essa lista está disponível no site da ANVISA, e o atendente da farmácia também pode consultá-la pra tirar a dúvida na hora da compra.

Uma informação importante: genéricos e similares (quando for o caso) são intercambiáveis somente com o medicamento de referência, mas genérico não é intercambiável com similar, e vice-versa.

Agora que você está por dentro do assunto, compartilhe essa matéria com seus amigos e familiares para que eles também fiquem informados na hora de escolher qual medicamento comprar.

13 comentário em “Qual a diferença entre medicamentos de referência, genérico e similar?

    1. Olá, Elen! O efeito de primeira passagem acontece com os fármacos absorvidos no esômago e intestino, portanto a via com maior probabilidade desse efeito é a via oral. Mas também pode acontecer se o fármaco for administrado por sonda nasogástrica, por exemplo. Já pela via retal, uma parte do fármaco absorvido “consegue desviar” do caminho para o fígado e, portanto, minimizar o efeito de primeira passagem. ;p

    2. Olá!! Metabolismo de primeira passagem são exclusivos para via de administração oral, entendendo que via parenteral (endovenosa ou intramuscular) não sofrem esse metabolismos, bem como a via sublingual.

    1. Olá, Ivone! O Viagra é um medicamento de referência. O princípio ativo dele (fármaco) é a sildenafila, e tem medicamento genérico, e vários similares também! Não é um fitoterápico, nem homeopático. 😉

    1. Oi, Alexandra! O Tylenol, por exemplo, é o medicamento de referência do paracetamol; a Novalgina é o medicamento de referência da dipirona; e a Aspirina é o medicamento de referência do ácido acetilsalicílico. Referência é o medicamento de marca que foi o pioneiro no mercado. Qualquer outra dúvida, é só perguntar! ;p

  1. Ok,
    Vou aproveitar que o Espaço Fala Dobre Medicamentos e vou Fazer uma pergunta que não queen CALAR:
    QUERO SABER SE MAIS ALGUEM AQUI JA TOMOU ALGUM MEDICAMENTO QUE NÃO FEZ EFEITO NENHUM, EM OUTRA OCASIÃO COMPROU DE NOVO O MESMO REMEDIO PRO MESMO PROBLEMA,E DESTA VEZ FEZ EGEITO?
    Gente,ja passei Tanta raiva com isto que voces nem imagina!!!
    Conclusão::no mesmo Lote do mesmo mesmo medicamento,Uns São de Verdade,e outros são de Mentira.
    O mesmo medicamento,voce Tira sorted,e leva um Falso out um Verdadeiro.
    Pode uma COSA dessa?
    COME TEM AI POR FAVOR A SUA EXPERIENCIA SOBRE O ASUNTO.

    1. Olá Maria
      Nunca acontecu comigo usar um genérico em lugar do de referência e ter problema.
      Eu acho que uma farmácia não vai vender um remédio que ora tem eficácia e ora não.
      As vezes pode ser que um genérico atua normalmente e, devido algum problema do organismo
      da pessoa ele não atue como antes. São casos absolutamente normais isso acontecer.
      Abraços.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.