Cobra-coral (Micrurus corallinus)

Foto: Ricardo J. Sawaya [CC0], via Wikimedia Commons

Habitat: Possuem preferências por florestas densas.

Distribuição: Ocorrem em vários estados do Brasil assim como noroeste da Argentina e no Paraguai. ( The Reptile-Database)

Hábito de vida:Diurno e noturno, terrestre e subterrâneo, ativa sob o solo e folhiço.

Características gerais : Possui um anel preto com bordas brancas, entre anéis vermelhos. É muito venenosa, porém ela não pica (não dá bote). Ela morde, e, como sua boca e dentes são pequenos, acabam segurando suas presas que geralmente são outras espécies de cobras. Além disso, os dentes situam-se na parte da frente (anterior) da boca impossibilitando a cobra de injetar esse veneno nas partes grossas (na perna, por exemplo). Por isso, embora a cobra-coral tenha um veneno muito potente, acidentes são raros. Os acidentes só ocorrem se alguém tentar capturá-la (ela tem medo das pessoas) ou for pisoteada, mas sua cor muito vistosa a faz ser facilmente notada.

Palavras-chave: Coral-verdadeira, Micrurus corallinus, coral, cobra-coral, coral-snake; Classe Reptilia, Ordem Squamata, Família Elapidae.

Referências Bibliográficas:

MELGAREJO, A. R. Serpentes Peçonhentas do Brasil.

CARDOSO, João Luiz Costa et al. Animais peçonhentos no brasil: Biologia, Clínica e Terapêutica dos Acidentes. 2. ed. São Paulo: Sarvier, 2009. p. 42-68.

Autora: Eduardo Trusz
Revisor: Filipe Ferreira

Este projeto procurará proporcionar a todos os cidadãos interessados informações de qualidade referentes as espécies da fauna do Rio Grande do Sul.