Ariranha (Pteronura brasiliensis)

Foto:Eric Gaba (Sting – fr:Sting) [CC BY-SA 3.0], via Wikimedia Commons

Grau de Ameaça: IUCN – EN /  RS – RE
Habitat: Margens e cursos d’água doce (rios, lagos e lagoas, várzeas de rios e florestas inundadas na época de cheia).
Distribuição: Possivelmente extinta – Há mais de 30 anos sem ser registrada no Estado do Rio Grande do Sul.  Mapa de distribuição conforme a IUCN.
Habito de vida: Hábito semiaquático, diurno e social.

Características gerais : É a maior lontra do mundo. Medem em média cerca de 180 cm e pesando aproximadamente 26 kg. Possuem o corpo alongado, com cauda comprida e achatada bem como membranas interdigitais nas patas para facilitar a natação. Sua pelagem é curta, densa e amarronzada com manchas bege claras na região do pescoço que funcionam como impressões digitais do indivíduo. Alimentam-se basicamente de peixe, moluscos, crustáceos e pequenos vertebrados. As principais ameaças a espécie são a degradação e fragmentação ambiental, a caça e o impacto de empreendimentos hidrelétricos.

Palavras-chave: Ariranha, Pteronura brasiliensis, Lontra gigante, Giant otter, Giant brazilian otter, Classe Mammalia, Ordem Carnivora, Família Mustelidae.​

Referências Bibliográficas:

DE ALMEIDA RODRIGUES, Lívia; LEUCHTENBERGER, Caroline; DA SILVA, Vania Carolina Fonseca. Avaliação do risco de extinção da ariranha Pteronura brasiliensis (Zimmermann, 1780) no Brasil. Biodiversidade Brasileira, n. 1, p. 228-239, 2013.

GONÇALVES, L. G. et al. Mamíferos do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Pacartes, 2014. 212 p.; il. Color. ISBN 978-85-62689-93-2

MARQUES, A. A. B. et al. Lista de Referência da Fauna Ameaçada de Extinção no Rio Grande do Sul. Decreto no 41.672, de 11 junho de 2002. Porto Alegre: FZB/MCT–PUCRS/PANGEA, 2002. 52p. (Publicações Avulsas FZB, 11)

RIO GRANDE DO SUL. 2014. Decreto Estadual n° 51.797, de 08 de setembro de 2014. Declara as Espécies da Fauna Silvestre Ameaçadas de Extinção do Rio Grande do Sul. Diário Oficial do Estado do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.​

Autor: Filipe Ferreira da Silveira – Revisora Lana Resende – BiMaLab (UFRGS)

3 comentários em “Ariranha (Pteronura brasiliensis)”

  1. Boa noite.

    Há 30 dias atrás observei uma ariranha na barragem do Rio dos Touros em Bom Jesus.
    Acredito que mais de um indivíduo.
    Não sei se está informação é relevante para a pesquisa da universidade.

  2. Em 2015 avistei um exemplar em uma cascata cujo córrego a seguir deságua no rio Toropi, exatamente na divisa entre São Pedro do Sul e Toropi, na localidade do Passo do Mudo.

  3. Boa tarde. Em julho2019, uma ariranha atravessando a BR que liga Pelotas a Cangussu, na altura da estrada que conduz a localidade de Pedreiras, interior de Pelotas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Este projeto procurará proporcionar a todos os cidadãos interessados informações de qualidade referentes as espécies da fauna do Rio Grande do Sul.