FCE

Destaques

UFRGS aprova ensino remoto e retoma aulas da graduação em 19 de agosto

A sessão do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Cepe) da UFRGS continuou na tarde desta segunda-feira, dia 27 de julho, com a parte final da votação das diretrizes do Ensino Remoto Emergencial (ERE) para os cursos de graduação da Universidade. Além da regulamentação da modalidade de ensino não presencial, foi aprovado o calendário de atividades, que definiu o reinício das aulas do semestre 2020/1, de forma remota, a partir de 19 de agosto. Desse modo, o semestre, iniciado em março e interrompido pela pandemia do novo coronavírus, deve ser concluído no dia 2 de dezembro.

Docentes, departamentos e comissões de graduação têm entre 29 de julho e 18 de agosto para avaliação da viabilidade das atividades e preparação das adaptações necessárias nos planos de ensino, bem como os registros, tendo em vista a aplicação das atividades no formato de ensino remoto. No calendário geral que será disponibilizado em breve pelo Cepe, há os prazos específicos para cada procedimento. A orientação é que docentes devem reorganizar os planos para a aplicação na condição emergencial, cumprindo as exigências mantidas nas diretrizes do ensino remoto. Entre as considerações, as atividades avaliativas de forma síncrona têm a previsão de reposição específica para os estudantes que tiverem problemas de ordem técnica ou pessoal relativos às questões da crise sanitária.

Foi aprovado que, excepcionalmente, durante o período de Ensino Remoto Emergencial não será aplicada a atribuição de conceito FF (Falta de Frequência), sendo incluída a atribuição NI (Não Informado) no campo de conceito do sistema acadêmico, junto com a justificativa do período de excepcionalidade. Os casos de não informação de conceito deverão ser resolvidos até o término do segundo período letivo após o fim da pandemia. Anteriormente, já havia sido aprovada a matrícula em uma atividade de zero crédito e sem carga horária, denominada “Vínculo Acadêmico – ERE 2020/1”, com o objetivo de manter o vínculo ativo, mesmo sem atividades acadêmicas. Durante o período emergencial, a regulamentação reforçou que as bolsas de monitoria serão mantidas, revisando, no que couber, as instruções normativas que regem a operacionalização. As atividades de monitoria deverão seguir os planos específicos dos setores responsáveis, de acordo com as recomendações da Pró-Reitoria de Graduação (Prograd).

Comissão de Acompanhamento

As diretrizes aprovadas também instituem uma Comissão de Acompanhamento do Ensino Remoto Emergencial (Comissão-ERE), formada por 22 membros, sendo dois representantes de cada um dos seguintes órgãos ou segmentos: Pró-Reitoria de Graduação (Prograd), Câmara de Graduação, Secretaria de Educação a Distância (Sead), Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis (Prae), Coordenadoria de Ações Afirmativas (Caf), Centro de Processamento de Dados (CPD), Fórum de Graduação, Departamentos, Representação Docente, Representação Técnico-Administrativa e Representação Discente.

Em breve, o documento das diretrizes do Ensino Remoto Emergencial será assinado em sua redação final e divulgado pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão.

*Informações do Portal UFRGS