Defesa de dissertação – “Relação entre a adoção das normas contábeis internacionais e o investimento direto estrangeiro” (PPGCONT)


Detalhes do Evento


Título: Relação entre a adoção das normas contábeis internacionais e o investimento direto estrangeiro: uma análise em países membros da Organização Mundial do Comércio
Autor: Carolina Carvalho
Orientador: Romina Batista de Lucena de Souza

Banca Examinadora:
Márcia Bianchi (UFRGS)
Maria Ivanice Vendruscolo (UFRGS)
Simone Letícia Raimundini Sanches (UEM)

Data: 20/05/2019, 13h30min
Local: Sala de Videoconferência – Prédio anexo à FCE (Av. João Pessoa, 52 – Campus Centro)

Resumo:
Os investimentos diretos estrangeiros (IDE) representam uma relação de interesse duradouro do país investidor no país anfitrião dos investimentos. Pela associação desses investimentos com o crescimento econômico, diversas políticas públicas visam atrair IDE, assim como, muitos mercados em expansão buscam vantagens para abrir negócios em economias estrangeiras. As diferenças entre relatórios financeiros tendem a ser uma barreira para a expansão desses investimentos. Sendo assim, estima-se que a adoção das International Financial Reporting Standards (IFRS) impulsione o aumento dos investimentos transfronteiriços pelo ganho de qualidade da informação e gere maior confiança nos investidores. Este estudo tem como objetivo, portanto, analisar o efeito da adoção das IFRS nos fluxos de entradas e saídas de IDE, tendo como amostra os países membros da Organização Mundial do Comércio e período de estudo de 2000 a 2017. Para isso, utilizou-se como técnica de análise de dados dois modelos de regressão com dados em painel, tendo como variáveis dependentes as entradas e saídas de IDE. Para medir os efeitos das IFRS nos fluxos de IDE, foram adicionadas aos modelos três variáveis, conforme os objetivos do estudo, além de outras variáveis que tendem a influenciar as variações de IDE, com base na literatura pesquisada. Os resultados deram indícios de uma relação significativa positiva para adoção obrigatória das IFRS, indicando um aumento de entradas e saídas de IDE no ano que cada país passou a requerer as normas para empresas de capital aberto. Tal efeito não foi percebido nos fluxos de IDE no período anterior a adoção obrigatória, quando as normas eram apenas permitidas ou consideradas. Já o efeito do tempo pós adoção obrigatória das IFRS gerou uma redução significativa nos fluxos de IDE. Além das IFRS, as variáveis referentes a abertura ao comércio exterior e à força das leis apresentaram significância estatística nos modelos, a primeira com sinal negativo e a segunda com sinal positivo. Ainda, as variáveis referentes a percepção da corrupção, PIB per capita e tamanho da população foram relacionadas positivamente para as oscilações dos fluxos de saídas de IDE. Demais resultados indicaram que o tempo médio de adoção obrigatória das IFRS é inferior a 4 anos e que os países desenvolvidos apresentam os maiores fluxos de IDE e, para esses países, a adoção das IFRS foi mais significativa para aumentar tais investimentos. Os resultados reafirmaram a maioria dos estudos anteriores. Com os achados da pesquisa, tem-se a expectativa de contribuir com a literatura sobre fatores que influenciam os fluxos de IDE e sobre adoção das IFRS e seus efeitos institucionais e macroeconômicos.

 

* As defesas de teses e dissertações são realizadas em sessões públicas, isto é, abertas ao público em geral, sem necessidade de inscrições prévias.

Se você encontrou algum erro nesta página, por favor, preencha o formulário abaixo e clique em enviar.