PGDR promove curso sobre sistemas agroflorestais

O Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Rural (PGDR) participou da condução do curso de extensão Sistemas Agroflorestais e NEXUS: indicadores participativos e sistematização de experiências, que aconteceu entre 22 e 24 de janeiro. As atividades foram realizadas na Flona de São Francisco de Paula, no Parque Estadual de Tainhas e nos sistemas agrossilvipastoris e agroflorestais com erva-mate da comunidade do Caconde.

O projeto foi realizado com o objetivo de discutir aspectos de segurança hídrica, energética e alimentar a partir do entendimento da ecologia florestal e de seu manejo – por meio de sistemas agroflorestais agroecológicos – e propor um sistema de construção e monitoramento de indicadores a ser aplicado em parceria com agricultores. Participaram da iniciativa agricultores familiares, extensionistas, pesquisadores e estudantes de graduação e pós-graduação.

O trabalho é liderado pela professora da FCE Gabriela Coelho de Souza, que coordena o projeto PANexus – Conservação e sustentabilidade hídrica, energética e alimentar no Bioma Mata Atlântica: produtos, modelos agroflorestais e governança da sociobiodiversidade, do qual o curso faz parte. Para ela, “o curso teve como desafio avançar no fortalecimento dos processos de governança da sociobiodiversidade associados aos ecossistemas Restinga e Floresta Ombrófila Mista, tendo como balizador o modelo de governança do PAN Lagoas do Sul, o qual vem a fortalecer as instâncias colegiadas existentes”.

“Na medida em que a recuperação de ecossistemas e o desenvolvimento de sistemas agroflorestais agroecológicos são ações transversais a diversas ações e objetivos do PAN Lagoas do Sul, o curso veio a contribuir para sua instrumentalização”, destaca Walter Steenbock, analista ambiental do Centro de Pesquisa e Conservação da Biodiversidade Marinha do Sudeste e Sul, que pertence ao Instituto Chico Mendes (ICMBio), e coordenador do PAN. “Neste sentido, o curso e seus encaminhamentos vão também ao encontro do apoio técnico e científico à recuperação de ecossistemas, uma das atribuições do Centro no âmbito do ICMBio”, complementa Walter.

Além do Centro de Pesquisa e Conservação da Biodiversidade Marinha do Sudeste e Sul, do ICMBio, participaram também da condução do curso a Floresta Nacional de São Francisco de Paula, a Câmara Temática de Agroflorestas do Território Rural Campos de Cima da Serra/RS e a Secretaria do Meio Ambiente e Infraestrutura do Rio Grande do Sul, entre outros parceiros.

Para saber mais sobre o projeto, entre em contato com a professora Gabriela Peixoto Coelho de Souza, pelo e-mail gabrielacoelhodesouza@yahoo.com.br.

 

Foto: ICMBio/divulgação

Se você encontrou algum erro nesta página, por favor, preencha o formulário abaixo e clique em enviar.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.