Apresentação

O Grupo de Pesquisa Identidade e Território (GPIT), da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), foi criado em fevereiro de 2008 com a intenção de integrar ensino de graduação e pós-graduação, pesquisa e extensão, no estudo de questões identitárias e territoriais.

O GPIT integra pesquisadores em diferentes níveis de formação, vinculados ou não diretamente à UFRGS, cujos temas de pesquisa trazem em comum questões identitárias e territoriais. O grupo conta atualmente com doutores, mestres e estudantes em fase de realização de doutorado, mestrado ou graduação, vinculados ao grupo por atividades de Iniciação Científica.

O GPIT é fundador da Rede Latino Americana Imagem e Identidade e Território (Rede LAIIT) juntamente com outros grupos de pesquisa no Brasil, no Equador e na Argentina. O grupo também desenvolve a pesquisa “Transformações Comunitárias Participativas: experiências de inovação e sustentabilidade em Porto Alegre”, em cooperação com Center for the Studies of Brooklyn (CSB), coordenado pelo Prof. Michael Menser, do Brooklyn College da City University of New York (CUNY).

Linhas de pesquisa

Os estudos se dão segundo duas linhas de pesquisa. Uma de cunho epistemológico que trabalha formas discursivas imagéticas como objeto de estudo. A outra investiga a relação entre classe e território, em especial da segregação espacial das classes pobres e da gentrificação de áreas centrais e ocupação de áreas de preservação ambiental pela classe média.

Classe e território

Investigar as relações entre território e classes, articulando a questão da classe, definida em sentido sociológico, às dinâmicas de ocupação do espaço em escala metropolitana. Desvelar o processo de segregação sócio-espacial, tanto da classe popular como da classe média. Contribuir para a qualificação do debates sobre gentrificação, habitação social e ocupação de áreas de preservação ambiental.

Imagem e Identidade e Território

Investigar imagens relativas a questões identitárias e territoriais (QTIs) no contexto latino-americano. As interpretações buscarão essencialmente compreender os sentidos configurados pelo significado do discurso da imagem do espaço latino-americano. A investigação proposta tem por foco a imagem como discurso legítimo, irredutível a outros discursos literários sobre a cultura latino-americana.

Atividades

Desde a sua criação, o GPIT desenvolve:

1- Trabalhos de pesquisa em suas duas linhas. Saliente-se a pesquisa “Identidade Nacional e Território nas Cinematografias Brasileira e Boliviana”, desenvolvida em rede latino-americana, em conjunto com o Grupo de Pesquisa Modernidade e Cultura (GPMC) da Universidade Federal do Rio de Janeiro e o Observatório Territorial (OT) da Universidad Mayor San Andres, de La Paz, Bolívia;

2- Organização e realização de eventos acadêmicos, como o Simpósio Imagem e Identidade e Território (SIIT), ocorrido em Porto Alegre no mês outubro de 2008, do qual participaram o GPMC e o OT;

3- Atividades artísticas, como a intervenção “Urbanimagem”, realizada pela primeira vez durante o SIIT;

4- Elaboração de periódico eletrônico, cuja primeira edição incluirá trabalhos apresentados no SIIT;

5- Projetos de extensão, como mostra de cinema com debate público dos filmes investigados pelo GPIT no âmbito das pesquisas;

6- Apresentação e publicação de trabalhos individuais ou coletivos, em eventos acadêmicos, pelos participantes do grupo de pesquisa;

7- Defesa de dissertações de mestrado e de teses de doutorado, como resultado dos trabalhos dos estudantes de pós-graduação vinculados ao grupo.