Podcast analisa decreto do porte de armas e a relação com a imprensa; ouça

Especialista em Polícia, Renato Dornelles é o convidado do quarto episódio do #ConversaHumanista, que debate a repercussão da medida anunciada em maio pelo Governo Bolsonaro.

#ConversaHumanista

São mais de 30 anos atuando como repórter de Polícia. Situações de risco, portanto, fazem parte da rotina de trabalho do jornalista Renato Dornelles, de GaúchaZH, convidado do quarto episódio do #ConversaHumanista. Renatinho, como é conhecido nas redações por onde passou, é radicalmente contra o decreto assinado a 7 de maio – e publicado no dia seguinte – pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL), ampliando as condições para brasileiros portarem armas (leia o decreto na íntegra). A medida permite, por exemplo, que jornalistas que atuam em coberturas policiais andem armados sob a justificativa do risco iminente da profissão.

O decreto inicial prevê a posse e o porte de pistolas 9 milímetros e .40, que, até então, eram permitidas apenas para policiais civis, militares e federais. Na última segunda-feira, 20, o Jornal Nacional, da Rede Globo, revelou que o documento também permitia o porte de armas semi-automáticas, como o fuzil T4, até então de uso restrito do Exército. Fruto da repercussão negativa na imprensa e também nas redes sociais digitais – que contou com a manifestação de 14 governadores contrários à medida -, Bolsonaro assinou um novo decreto na terça, 21, logo depois da gravação do podcast do portal Humanista, restringindo novamente o acesso a esse tipo de armamento (leia na íntegra).

Ouça!

Ao lado dos repórteres Arthur Ruschel e Giulia Secco, do Humanista, e Ásafe Bueno (que compôs a redação do portal no semestre 2018/2), Renato Dornelles, também co-diretor do documentário Central: o poder das facções no maior presídio do país, fala sobre a cadeia pública gaúcha e os bastidores da cobertura policial, revelando detalhes do cotidiano da profissão que contribuem para a educação do público para a leitura do jornalismo, um dos propósitos do #ConversaHumanista.

O podcast é produzido quinzenalmente por estudantes da disciplina de Laboratório de Jornalismo Convergente da Fabico/UFRGS, com técnica de Neudimar da Rocha. Nos primeiros episódios os temas foram os 55 anos do Golpe Civil-Militar de 1964, o tabu sobre o noticiamento do suicídio e a crise na Venezuela; todos ficam disponíveis também no SoundCloud e no Spotify.


FOTO: Janaína Kalsing/Humanista

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *