Podcast reflete sobre relações de gênero e sexualidade no jornalismo; ouça

Repórteres recebem Ricardo Pont, chefe de reportagem da rádio Guaíba, e Pâmela Stocker, doutora em Comunicação e especialista no tema, para uma #ConversaHumanista.

#ConversaHumanista

Uma notícia escrita por um jornalista homem pode representar bem (no sentido ético do adjetivo) um caso de abuso contra uma mulher? Ou, um repórter heterossexual, um caso de homofobia? Refletir sobre essas questões é parte do propósito do nono episódio do #ConversaHumanista, que recebe a jornalista Pâmela Stocker, doutora em Comunicação com tese que discute as relações entre gênero e jornalismo, e Ricardo Pont, chefe de reportagem da rádio Guaíba.

Ricardo Pont é gay e fala também sobre o cotidiano de pessoas LGBTQI+ no jornalismo, com base em experiências de homofobia que presenciou na carreira. Pesquisa informal do Sindicato dos Jornalistas de São Paulo revelava, em setembro de 2017, que 40% dos profissionais que responderam a enquete já tinham sofrido preconceito. Outro levantamento sintomático é do portal Comunique-se e indica que apenas 36% do mercado é ocupado por mulheres jornalistas. O Humanista utiliza o Minimanual de Jornalismo Humanizado oferecido pela ONG Think Olga para abordar questões de gênero e sexualidade.

O podcast conta também com as repórteres Thuanny Judes e Liz Ribeiro, que compôs a redação do Humanista em 2018 e defendeu, no início de julho desse ano, Trabalho de Conclusão de Curso que discute os avanços na representação da mulher no jornalismo com os movimentos feministas em redes digitais. Ouça!



O podcast

O #ConversaHumanista é produzido quinzenalmente por estudantes da disciplina de Laboratório de Jornalismo Convergente da Fabico/UFRGS, com técnica de Neudimar da Rocha, sob a supervisão do professor Felipe Moura de Oliveira e da estagiária de docência Janaína Kalsing, jornalista e pesquisadora de doutorado.

Nos episódios anteriores, os temas foram: a Reforma da Previdência. a série de reportagens da #VazaJato; a relação entre mulheres e futebol, no contexto da Copa do Mundo feminina;  jornalismo ambiental; os decretos do porte de armas; crise na Venezuela; o tabu sobre o noticiamento do suicídio; e os 55 anos do Golpe Civil-Militar de 1964. Todos ficam disponíveis também no SoundCloud e no Spotify.


 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *