Podcast analisa erotização da infância na mídia; ouça 

#ConversaHumanista recebe a professora Thais Furtado, que estuda a relação entre infância e mídia, para analisar casos recentes envolvendo Sílvio Santos.

#Conversa Humanista

Sexo, poder ou dinheiro? Se você achou a pergunta agressiva, imagine quando ela é dirigida a uma criança de 7 anos, em rede nacional de televisão. É o que acontece em vídeo que voltou a circular recentemente nas redes sociais, no qual Sílvio Santos, folclórico apresentador e dono do canal de televisão aberta SBT, faz a pergunta a uma menina, ao vivo. 

O caso ocorrido em 2016, somado a novas manifestações do magnata da comunicação brasileira, são objetos do terceiro episódio da atual temporada do #ConversaHumanista, com a presença da professora Thais Furtado, especialista na relação entre mídia e infância.  

Apresentador Sílvio Santos promove polêmico concurso de miss infantil

Em setembro, Sílvio Santos voltou a violar a proteção a crianças e adolescentes em rede nacional ao promover um concurso de miss infantil em que meninas de 7 a 10 anos desfilaram com fantasias, maiôs e trajes de gala. Durante o desfile, o apresentador instruiu a plateia a votar em quem tivesse “as pernas mais bonitas, o colo mais bonito, o rosto mais bonito e o conjunto mais bonito”. 

Para Thais Furtado, que discute o tema em sua tese de doutorado, é fundamental que a mídia represente crianças justamente como crianças, oferecendo mais espaços para que elas se expressem como tal, e não como adultos. A professora analisa a erotização da infância ao lado de Caroline Silveira, Gabriela Plentz e Júlia Costa, repórteres do Humanista. Ouça



O podcast

O #ConversaHumanista é produzido quinzenalmente por estudantes da disciplina de Laboratório de Jornalismo Convergente da Fabico/UFRGS, com técnica de Neudimar da Rocha, sob a supervisão do professor Felipe Moura de Oliveira. Na estreia da segunda temporada, o tema foi a credibilidade no jornalismo e o segundo episódio se dedicou a analisar a segurança pública no Brasil, no contexto de mortes praticadas por policiais. Todos os episódios ficam disponíveis no SoundCloud e também no Spotify.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *