Radiodocumentário lembra queda do Muro de Berlim, que completa 30 anos em novembro; ouça

Acontecimento que marcou o Século 20; representou o fim da Guerra Fria, entre EUA e União
Soviética, é abordado pelos estudantes de Radiojornalismo II.

Fabico + Humanista

Há 30 anos o mundo vivia a expectativa do fim da barreira que o separava entre socialismo e capitalismo, representados pela extinta União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS) e os Estados Unidos da América (EUA), respectivamente. Isso porque, em 9 de novembro de 1989 começava a cair o Muro de Berlim, que durante 28 anos dividiu a Alemanha ao meio. De um lado, a República Democrática Alemã (oriental, ligada à URSS); de outro, a República Federal da Alemanha (ocidental, de orientação capitalista).

A passagem do trigésimo aniversário do acontecimento que marcou o Século 20 é objeto do radiodocumentário produzido por estudantes da disciplina Radiojornalismo II, que compõe a quarta etapa do currículo do curso de Jornalismo da Fabico/UFRGS, sob a orientação da professora Cida Golin.

Intitulado “Muros da Intolerância: 30 anos da Queda do Muro de Berlim”, o radiodocumentário busca retratar diferentes aspectos do acontecimento. Além de entender as causas que levaram à construção do muro e os impactos sobre a população da época, situação que também reflete sobre os muros atuais, frutos da intolerância crescente de governos de orientação conservadora pelo mundo. Ouça!



Guerra Fria

O Muro de Berlim representava, acima de tudo, a cisão entre Alemanha socialista e capitalista e era o reflexo do mundo polarizado da Guerra Fria, pós Segunda Guerra Mundial, quando União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS) e Estados Unidos da América (EUA) disputavam a hegemonia do projeto econômico que orientaria o mundo ocidental. A saída de quase três milhões de pessoas da Alemanha oriental e socialista para Berlim Ocidental é o que motivou a construção do muro, que só deixaria de existir em 1989, em um dos eventos históricos contemporâneos mais lembrados da história.


FOTO DE CAPA: emkanicepic/pixabay

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *