História

Criação do IME

O Instituto pode traçar suas origens à instalação da Faculdade de Educação, Ciências e Letras, instalada em 1942, como órgão de ensino da  Universidade de Porto Alegre, predecessora da UFRGS e criada em 1934. Em 1947, a Universidade de Porto Alegre foi redenominada como Universidade do Rio Grande do Sul, incorporando algumas faculdades situadas em Pelotas e em Santa Maria. Em 1950, a URGS foi federalizada, passando a denominar-se Universidade Federal do Rio Grande do Sul, como é conhecida até hoje.

À época da federalização da URGS, já havia a necessidade de se criar instituições destinadas ao desenvolvimento da pesquisa na área de Matemática e afins. No âmbito da UFRGS, em 3 de setembro de 1953 foi criado o Centro de Pesquisas Físicas, no qual se desenvolveram atividades de ensino e pesquisa em Matemática, através de duas de suas Divisões constituintes, a saber: a Divisão de Matemática, criada em 1953, e a Divisão de Ensino, em 1954.

Em 1958, o Ministério da Educação e Cultura instalou a Comissão Supervisora do Plano dos Institutos (COSUPI), no âmbito do Plano de Metas do Governo Juscelino Kubitschek de Oliveira. Essa Comissão tinha a finalidade de criar institutos especializados nas diversas áreas do conhecimento, centralizando em apenas um órgão de cada universidade as atividades de pesquisa e certos setores da ciência e da tecnologia. Tal disposição já havia sido comunicada no ano anterior ao então Reitor da UFRGS, Elyseu Paglioli, por um dos futuros integrantes da COSUPI. Era intenção, então, que fosse instalado na UFRGS um “Instituto de Matemática e Física”.

No entanto, tendo em vista discussões informais já realizadas pela Reitoria da UFRGS, e em função de vários pareceres dados por diretores de unidades universitárias e por uma comissão formada especialmente para tratar do tema, o Reitor encaminhou à COSUPI a solicitação de que fossem criados na UFRGS dois institutos, o de Física e o de Matemática; tal solicitação foi acolhida pela COSUPI, ficando decidida a criação desses dois institutos na UFRGS, mantidos pela COSUPI.

Enquanto isso, a UFRGS já havia tomado suas providências para a implantação do Instituto de Matemática. Em 14 de junho de 1958, o Reitor assinou a Portaria nº 735A, através da qual se constituiu uma comissão, integrada pelos professores Luís Liseigneur de Faria, presidente, Ernesto Bruno Cossi, Ary Nunes Tietböhl e Antônio Rodrigues, incumbida de realizar estudos para a criação do Instituto de Matemática, localização do edifício-sede, programa de trabalho e anteprojeto do respectivo regimento interno. Devido às dificuldades de se obter espaço físico adequado, o Instituto iniciou suas atividades em um apartamento do Edifício Jequitibá, na Av. André da Rocha, nº 20, na esquina com a Av. João Pessoa.

No dia 9 de março de 1959, o Reitor assinou a Portaria nº 116, posteriormente homologada pelo Conselho Universitário, mediante a Decisão nº 15/59, de 02 de abril de 1959, pela qual ficava criado o Instituto de Matemática, órgão de natureza científica, autônomo, diretamente subordinado à Reitoria da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Pelo Regimento Interno, baixado pela Portaria nº 116, o Instituto de Matemática era constituído de três Divisões, assim denominadas: Divisão de Matemática Pura, Divisão de Matemática Aplicada e Divisão de Ensino.

No dia 27 de abril de 1959, o Instituto mudou de sede, quando se transferiu para uma casa à Av. Venâncio Aires, nº 127; possuindo dois pavimentos, era um espaço mais adequado para o desenvolvimento de suas atividades. Finalmente, ainda como entidade predominantemente científica, o Instituto transferiu-se para o Campus Central em março de 1966, localizando-se no último pavimento do prédio situado à Rua Sarmento Leite, nº 425, antiga sede da Escola Técnica Parobé.

Em 1968, o Governo Federal institui uma reforma na Universidade Brasileira, mediante o Decreto nº 62997, de 16 de julho de 1968, o que ocasionou uma reestruturação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul nos termos daquele Decreto e uma conseqüente mudança nas finalidades do então existente Instituto de Matemática. A fim de realizar todas as providências para promover a citada mudança, foi, pelo Ministério da Educação, designado, em 1969, coordenador deste Instituto o Professor Herbert Guarini Calhau, integrante do Corpo Docente desta Universidade.

Em decorrência destas determinações, foi criado o Instituto de Matemática, como Instituto Central, mediante a Portaria nº 896, de 19 de outubro de 1970, da Reitoria da Universidade, integrante da área de Ciências Exatas e Tecnologia. No dia seguinte à criação, ocorre a primeira sessão da Congregação do Instituto de Matemática.

No ano seguinte, foram criados seus dois departamentos – de Matemática Pura e Aplicada e de Estatística – e, com essa estrutura, o Instituto passou a ser responsável não só por promover a pesquisa, mas também por ministrar o ensino da Matemática e da Estatística, em todos os níveis, para todos os cursos da Universidade. Um outro fato decorrente de tal mudança na sua finalidade foi a transferência de vários professores, então lotados em diferentes unidades universitárias, para comporem os quadros dos referidos departamentos.

O ensino em nível de pós-graduação tomou impulso em 1977. No dia 6 de dezembro daquele ano, foi criado o Curso de Pós-Graduação em Matemática, através do parecer nº 334/77, da Câmara Especial de Ensino e Pesquisa da Universidade. O Curso foi pré-credenciado em 24 de maio de 1978, pela Comissão Nacional de Pós-Graduação, e recebeu o seu primeiro credenciamento em 28 de agosto de 1980, de acordo com o Parecer nº 859/80. Em 1986, o Curso foi recredenciado.

Em julho de 1985, o Instituto foi transferido para novas instalações no Campus do Vale, bairro Agronomia, ocupando inicialmente três andares dos blocos situados no Setor 1.

O Curso de Bacharelado em Estatística foi criado em 1978, sendo o pioneiro e o único oferecido no Rio Grande do Sul. Foi reconhecido pelo MEC por meio do Parecer n° 173/83 e aprovado em 8 de abril de 1984, tendo formado sua primeira turma em 1981. O ingresso no curso ocorre anualmente por meio do Vestibular com o oferecimento de quarenta vagas que se destinam aos candidatos classificados, os quais ingressam no 1° semestre do ano letivo. Também é autorizado o ingresso no Curso através das modalidades de Transferência Interna, Ingresso Diplomado e Extravestibular.

No ano de 1989, foi criado o Núcleo de Assessoria Estatística, que já prestou mais de 1000 consultorias em Estatística para diversas unidades da UFRGS e de outras universidades brasileiras, bem como a diversos órgãos extrauniversidade, como a Fundação Estadual de Proteção Ambiental, INSS, Petrobrás, EMATER, EMBRAPA e diversos hospitais.

Em 1990, a oferta de cursos de graduação em Matemática foi ampliada, com a criação dos cursos de Licenciatura em Matemática, de Bacharelado em Matemática e de Bacharelado em Matemática Aplicada e Computacional. Posteriormente, o curso de bacharelado em Matemática foi unificado, passando a ter duas ênfases: Matemática e Matemática Aplicada e Computacional.

Em 1995, as atividades de pós-graduação em Matemática foram desmembradas, com a criação do Curso de Pós-Graduação em Matemática Aplicada, a nível de mestrado. Nesse mesmo ano, foi autorizado o funcionamento de estudos a nível de doutorado no Curso de Pós-Graduação em Matemática. Outra alteração importante ocorrida em 1995 foi a abertura do curso de Licenciatura em Matemática, em horário Noturno, atendendo a uma antiga demanda da sociedade.

Em 2001, houve uma reorganização das atividades de pós-graduação; os antigos cursos foram renominados de Programas de Pós-Graduação, abrigando cursos de especialização, mestrado e doutorado. Ainda em 2001, foi autorizado o funcionamento do curso de doutorado no Programa de Pós-Graduação em Matemática Aplicada. Em 2004, foi criado o Programa de Pós-Graduação em Ensino de Matemática, abrigando o curso de mestrado profissionalizante na área.

Em 2015 o nome do Instituto foi alterado para Instituto de Matemática e Estatística  (IME).

Cronologia

Ex-diretores

Professores Eméritos