Muro da Mauá é Tema de Workshop Promovido pelo IPH-UFRGS, Senge e Comitê Lago Guaíba

Evento tem por objetivo destacar a importância do muro no sistema de controle das cheias e os desafios da integração do Cais Mauá. O workshop é gratuito e pode ser acompanhado pelos canais do SENGE no Youtube e Facebook.

Evento tem por objetivo destacar a importância do muro no sistema de controle das cheias e os desafios da integração do Cais Mauá. O workshop é gratuito e pode ser acompanhado pelos canais do SENGE no Youtube e Facebook.

O Comitê de Gerenciamento da Bacia Hidrográfica do Lago Guaíba, o Instituto de Pesquisas Hidráulicas da UFRGS (IPH) e o Sindicato dos Engenheiros (SENGE-RS) promovem na tarde da quarta-feira (14) o workshop “Muro da Mauá: os desafios da integração com a cidade”.

Gratuito e acessível a todos os interessados através do Facebook e do Youtube do Sindicato, o evento tem como objetivo destacar a importância fundamental do muro, erguido nos anos 60 para o complexo e extenso sistema de proteção contra cheias de mais de 60 quilômetros de extensão.

As entidades organizadoras entendem que a simples remoção da estrutura em favor da integração do Cais Mauá à paisagem urbana da Capital manteria a cidade absolutamente vulnerável às inundações. Nesse sentido, exigem que a questão seja inicialmente tratada pela Engenharia a partir de projetos e visões que priorizem a segurança e não a mera especulação e uso político que envolve a ideia de demolição.

O sistema de proteção contra as cheias e o muro em si, foram erguidos a partir dos significativos prejuízos causados pela grande e histórica enchente de 1941. O muro é apenas uma parte deste sistema, composto por diques que iniciam na divisa com Cachoeirinha e Gravataí, incluindo a própria Freeway, e que seguem em direção do Centro Histórico pela Avenida da Legalidade. Após o cais do porto, segue pelas avenidas Beira-rio e Diário de Notícias.

Segundo o engenheiro e presidente do Comitê Lago Guaíba, Valery Pugacht, se o muro for simplesmente removido será como romper um elo de uma corrente. “O que desejamos é manter o sistema de proteção íntegro”, destaca.

O workshop consiste em dois painéis técnicos. O primeiro, apresentado pelo engenheiro e diretor do IPH Joel Goldenfum tem como título “A Importância da manutenção do sistema de proteção contra inundações da Região Metropolitana de Porto Alegre”. Já o segundo, conduzido pelo arquiteto Oscar Escher, irá tratar da “Integração do Cais Mauá com o aspecto paisagístico da cidade sem prejuízo do grau de proteção contra cheias”.

A programação inicia às 14h e prevê a participação de diversas entidades como a ABES-RS, ABRH-RS, CAU-RS, CMV-POA, CREA-RS, CRH-RS, DMAE, DRHS, IAB-RS, MPRS, Prefeitura de Porto Alegre, SEMA-RS, SAERGS, SERGS, SMP-POA, entre outras. O prefeito Sebastião Melo e o secretário de Planejamento e Gestão Cezar Schirmer, foram convidados, mas ainda não confirmaram presença.

O evento encerra com a leitura da Carta de Porto Alegre no qual as entidades formalizarão um posicionamento unificado a ser encaminhado ao prefeito Sebastião Melo, ao governador Eduardo Leite, aos presidentes e parlamentares da Assembleia Legislativa e Câmara dos Vereadores, secretários e à imprensa.

Confira a programação e participe:

Quarta-feira
14/04/2021

14h Abertura

Representantes do Comitê Lago Guaíba – Eng. Valery Pugatch, Bióloga Ana Elizabeth Carara
Representantes do IPH-UFRGS – Eng. Joel Goldenfum, Eng. Alfonso Risso
Representantes do SENGE-RS – Eng. Cezar Ferreira, Eng. José Luiz Azambuja

14h10 Painel Principal:

“A Importância da manutenção do sistema de proteção contra inundações da região metropolitana de porto alegre” – Eng. Joel Goldenfum – IPH UFRGS

15h Painel 02:

“Integração do Cais Mauá com o aspecto paisagístico da cidade sem prejuízo do grau de proteção contra cheias” – Arqº Oscar Escher

15h30 Mesa Redonda

16h40 Leitura da Carta do Evento

17h Encerramento

(Fonte: https://www.sengers.org.br)