Quanto vale um professor?

Por Prof. Guilherme F Marques, professor do IPH/UFRGS e coordenador do Núcleo de Pesquisa em Planejamento e Gestão de Recursos Hídricos.

Hoje em dia sabemos o custo de tudo. O curso de inglês custa caro, manter uma escola fundamental tem um custo, manter uma universidade então, com todos aqueles laboratórios.

Por outro lado, sabemos o quanto vale tudo isso?

. . .

O professor é o elemento na estrutura do sistema de ensino que, quando não transfere diretamente o conhecimento aos alunos, os orienta e os guia no processo.

Podemos olhar para a parte tangível desse valor (aquela que pode ser medida em termos monetários) em duas etapas. A primeira vem do valor que o ensino transmitido pelo professor agrega diretamente ao valor das habilidades do aluno. Se você aprendeu a fazer algo que não sabia, agora pode prestar um serviço de maior valor, e receber mais por isso, durante toda a sua carreira. Agora imagine, por exemplo, 4 turmas de 30 alunos por semestre. São 240 alunos por ano, e  7200 alunos em um intervalo de 30 anos. Agora imagine a diferença nos salários recebidos por cada um desses 7200 alunos, ao saltarem do ensino básico para o médio ou técnico, ou ainda do ensino médio para o superior. Depois multiplique essa diferença pelo tempo de carreira de cada aluno (30 ou 40 anos).

Esse é o valor direto, agregado às habilidades de cada aluno. Porém é apenas o começo da conversa. Um segundo valor surge quando essas habilidades abrem as portas para outras, no processo de educação contínuo onde o próprio aluno é o protagonista. As novas habilidades também agregam valor, porém dependem da base de ensinamento que o aluno recebeu na escola.

Essa cadeia de valor tem uma segunda parte tangível. As externalidades positivas.

Externalidade positiva é quando o benefício marginal (adicional) privado de uma ação feita por um indivíduo é inferior ao benefício que essa mesma ação produz para a sociedade em seu entorno. O Benefício individual (privado) nós calculamos no parágrafo anterior. A diferença entre o ganho para a sociedade e esse benefício privado é a externalidade positiva.

O ensino transmitido ao aluno pelo professor gera uma externalidade positiva enorme. Imagine um novo processo desenvolvido pelas habilidades de um cidadão. Calcule a economia proporcionada por este mesmo processo por um usuário, depois multiplique pelos demais usuários que farão uso do processo regularmente e depois pelo tempo de uso ao longo da vida de cada uma dessas pessoas. Se você mora no interior e não precisa se deslocar até a capital para consultar com um médico ou contratar outros serviços especializados, porque os mesmos estão disponíveis na sua cidade, a sua economia faz parte dessa externalidade. Não apenas a você, mas também a todos os moradores da sua cidade. Destaco que serviços especializados são prestados por profissionais de níveis diversos, do técnico ao superior. Temos no Brasil um grande número de cursos técnicos de excelente qualidade, cujos egressos contribuem decisivamente para diversas demandas da sociedade.

Somando agora o valor econômico das externalidades positivas com o valor do benefício privado direto aos cidadãos que tiveram as suas habilidades melhoradas graças ao que aprenderam com um professor, percebemos que o custo desse professor é uma pequena parcela dessa equação.

Finalmente, tudo colocado até esse ponto descreveu valores econômicos tangíveis. A educação, e o trabalho do professor são indispensáveis para a formação de uma sociedade mais produtiva e mais capaz de resolver seus problemas e de encontrar soluções para os desafios futuros. Temos hoje diversos desafios à nossa porta, relacionados com o uso dos recursos naturais e seus impactos, mitigação e adaptação às mudanças climáticas e criação de novas tecnologias para a produção de energia, água e alimento para melhorar as nossas vidas e tornar a sociedade mais igualitária e justa.

As soluções para muitos desses desafios ainda estão dormentes, escondidas na cabeças criativas de crianças, adolescentes e adultos. Apenas o processo de educação e formação dessas pessoas, que depende do trabalho do professor como regente, irá transformar essas soluções em realidade.

Essa parte da conta tem um valor incomensurável!

Fonte: https://www.ufrgs.br/warp