Ciclo de cinema do PET Psicologia promove debates sobre temas fundamentais

Cinema | “PET Psicocine-debate: olhares decoloniais” valoriza vivências e saberes múltiplos sobre assuntos relevantes às sociedades, como raça, saúde e gênero

Foto: Cena do filme Ex-Pajé, de 2018, dirigido por Luis Bolognesi (Foto: Gullane/Reprodução)

Você já ouviu falar em questões de gênero? Discussões sobre raça fazem parte do seu cotidiano? O que você entende como saúde? É com o objetivo de propor um “deslocamento de olhares” sobre tais temas a partir da arte cinematográfica que o Programa de Educação Tutorial (PET) em Psicologia da UFRGS realiza o “PET Psicocine-debate: olhares decoloniais”. A ação de extensão ocorre em quatro encontros virtuais durante os meses de outubro e novembro, sempre às 19h, com a participação de convidados em cada reunião. Os eventos são abertos a todos os públicos e as inscrições podem ser realizadas neste formulário até o próximo domingo (17/10).

No “Psicocine”, os participantes integram discussões sobre importantes assuntos a partir da exibição de filmes diversos. O primeiro encontro do projeto ocorreu em 4/10, ocasião em que foi exibido o documentário Quilombo dos Machado: a flor que rompe o asfalto (Brasil, 2020), de Tainá Suppi Pinto, egressa do curso de Saúde Coletiva da UFRGS. Na próxima segunda (18/10), a atividade apresenta Madame Satã (Brasil, 2002), de Karim Aïnouz. Em novembro, a primeira reunião do projeto no mês acontece no dia 8, com a projeção de Ex-Pajé (Brasil, 2018), de Luiz Bolognesi. Duas semanas depois, em 22/11, a ação realiza o seu último encontro, com reprodução de película a ser escolhida pelos integrantes da atividade.

Segundo Guilherme Parentes, aluno no curso de Psicologia da UFRGS e integrante do grupo coordenador da ação, o intuito com o projeto é a criação de espaços que promovam o debate de perspectivas não hegemônicas sobre temas diversos a partir do cinema. O estudante e participante do PET afirma que o “deslocamento do olhar” em relação à realidade permite a valorização dos saberes de outras culturas e de distintas maneiras de experienciar a vida. “A colonialidade suprime outras formas de viver”, diz Guilherme. “Olhares decoloniais são olhares que não estão padronizados na nossa subjetividade.”

Para Pietro Fogaça, estudante de Psicologia e membro da equipe do projeto, a importância do olhar decolonial à sociedade é a possibilidade de construir comunidades mais igualitárias a partir de saberes que não promovem o apagamento de outras vivências. “O conhecimento eurocêntrico é a base do colégio. Quando a gente inicia a faculdade, o saber continua focado nesse ser humano universal branco. Toda essa construção, que diz tanto a respeito de nós, é um conhecimento importado, que vem de fora”, opina.

“Um olhar decolonial é um olhar para outras formas de conhecimento. É algo plural”

Pietro Fogaça

Roberto Medeiros, docente na Escola de Enfermagem e tutor do PET Psicologia, afirma que a promoção de perspectivas diversas é também benéfica à formação em saúde na Universidade. Para o professor, é preciso refletir os fenômenos sociais e psíquicos também a partir de saberes produzidos localmente. “Nos cursos de saúde, sempre há uma certa racionalidade médica por trás deles. Os currículos, as aulas e os autores desses cursos acabam sendo construídos dentro do que a gente chama de medicalização da formação”, explica Roberto. “O decolonial trata sobre deslocar saberes, ver as coisas sob um outro ponto de vista. Um ponto de vista, por exemplo, sul-americano ou brasileiro.”

Para mais informações, acompanhe o PET Psicologia da UFRGS nas redes sociais ou contate o grupo pelo e-mail petpsicoufrgs@gmail.com.

Serviço

PET Psicocine-debate: olhares decoloniais
Equipe – Carolina Remussi, Guilherme Parentes, Pietro Fogaça e Roberto Medeiros

Madame Satã (Brasil, 2002)
Realização em 18 de outubro, às 19h
Com Carlos Eduardo da Silva Ribeiro e equipe do PET Psicologia

Ex-Pajé (Brasil, 2018)
Realização em 8 de novembro, às 19h
Com Tainara Moreira Claudino e equipe do PET Psicologia

Filme a ser definido pelos participantes do projeto
Realização em 22 de novembro, às 19h
Com a equipe do PET Psicologia