Exposição retrata a dualidade entre natureza e artificialidade

Destaque | Nosso Lugar ao Sol apresenta ensaios fotográficos que lidam com o feminino, o natural e o cultural

Imagem que integra a exposição Nosso Lugar ao Sol, de Rochele Zandavalli

Com inauguração marcada para o dia 28 de novembro, a exposição Nosso Lugar ao Sol, de Rochele Zandavalli, reúne fotografias que tratam da força feminina e das forças da natureza. A exibição faz parte das comemorações dos 85 anos da UFRGS e conta com imagens inéditas e séries já exibidas ao público. De acordo com a curadora da exposição, Paula Ramos, os ensaios são marcados por duas pautas: o feminino, discutindo valores, estereótipos e apagamentos, presente nas séries A primeira a sumir, Nosso Lugar ao Sol e Freethenipple; e a ideia de pertencimento e de comunhão com a natureza, nas séries Todos Esses Novos Adoradores do Sol, Oculto e Morangos Mofam.

A parceria entre a artista visual e a curadora, para chegar ao refinamento das temáticas que estariam em exibição, vem desde o final de 2018.  “A Rochele foi me dizendo o que a estava mobilizando atualmente, o que e como ela estava discutindo, e fomos afinando o eixo curatorial da exposição”, conta Paula. Segundo Rochele, o título da exposição, que se desdobra em duas séries, faz referência ao pertencimento: “Está relacionado com oportunidades e reconhecimento. O que eu encontrei aqui na UFRGS, o meu lugar ao sol”, conta.

“A minha trajetória artística inteira está vinculada à UFRGS”,

Rochele Zandavalli

Uma das séries destaque da exposição, Todos Esses Novos Adoradores do Sol, desenvolvida desde 2013, trata de uma narrativa de imagens de um jovem em meio à natureza com uma lupa que faz uma metáfora com a câmera fotográfica.

Um segundo segmento de destaque gira em torno do feminino e dos valores atribuídos à mulher ao longo do tempo, com apropriação de imagens antigas e uma sequência de modificações – como cortes e bordados. Esse percurso chega até as redes sociais, com o vídeo Freethenipple, que traz uma reflexão sobre a censura dos mamilos femininos em fotografias compartilhadas nas redes.

A abertura da exposição acontece no dia 28 de novembro, quinta-feira, às 19h, no Centro Cultural da UFRGS, e segue em cartaz até fevereiro de 2020. A visitação ocorre de segunda a sexta-feira, das 9h às 19h, e aos sábados, das 9h às 17h.

Karoline Costa

Estudante de Jornalismo na UFRGS