Livro sobre a intensa trajetória de Teresa Poester tem lançamento em live

Cultura | Publicação examina a carreira da artista visual e ex-professora do Instituto de Artes, além de inaugurar o selo editorial do Departamento de Difusão Cultural na Editora da UFRGS

Foto: Teresa Poester por Silvain Palfroy, em 2007 (Foto: DDC/Divulgação)

Em 1964, uma pequena Teresa Poester, então com dez anos, adentrou os domínios do Instituto de Artes da UFRGS (IA) para participar da Escolinha de Arte da Universidade. Quase seis décadas depois, a agora mulher e renomada artista visual tem sua trajetória contada em livro pela instituição que transformou sua vida. “Percurso do Artista – Teresa Poester – Até que meus dedos sangrem” é uma publicação do Departamento de Difusão Cultural (DDC), a qual estreia o selo editorial da unidade na Editora da UFRGS. O lançamento da obra acontece no próximo sábado, 27, às 11h, no canal do DDC no YouTube, com as participações de Teresa e de Eduardo Veras, organizador da obra e professor do IA.

Em 268 páginas em cores, o livro relembra a mostra mais atual de Teresa, ocorrida entre setembro de 2019 e março de 2020, na Sala Fahrion, no prédio da Reitoria. A publicação apresenta ainda um portfólio com imagens de obras produzidas pela artista desde os anos 1980, uma entrevista de Eduardo com Teresa e um artigo dela própria sobre as experiências com o Grupo D43, projeto de pesquisa dedicado a imaginar e praticar novas possibilidades em desenho. A obra encerra com uma cronologia que resgata momentos marcantes da vida da artista, desde o seu nascimento em 1954 na fronteiriça Bagé até o recebimento em 2020 do Prêmio Açorianos por seu percurso artístico.

Bilíngue (português e francês), a publicação reflete sobre a carreira de uma artista cuja vida se entrelaçou com a UFRGS desde tenra idade. Foi a partir das aulas de artes no prédio localizado na Senhor dos Passos, 248, que a menina bageense recém-migrada para a Capital começou a se adaptar à vida na metrópole. Foi quando teve início uma forte conexão a qual ao longo dos anos transformou ambas, Teresa e Universidade, e que hoje é celebrada pela publicação do DDC. Poester é referência na produção contemporânea em artes visuais. Desde a década de 1980, realiza mostras em países como Argentina, Espanha e Bélgica. Foi professora na UFRGS durante 25 anos, até 2018. Atualmente, vive e trabalha na França.

Foto por Silvain Palfroy, em 2007 (DDC/Divulgação)

Para Teresa, a obra representa a celebração de sua trajetória na UFRGS, espaço de acolhimento de toda uma vida. “Eu fui aluna, depois professora da ‘Escolinha’ e então professora no IA. Eu meio que nunca saí de lá. Quando me aposentei, e a Cláudia Boettcher [ex-diretora do DDC] me falou sobre o livro, fiquei supercontente, porque seria uma maneira de eu fazer uma despedida desse lugar que me acolheu pela vida inteira”, diz a artista. “É como se eu fechasse o meu percurso na UFRGS. Mas não é um parêntese. A UFRGS não é um parêntese na minha vida, porque a minha vida inteira foi dedicada à Universidade.”

“É um livro feito com muito cuidado, nos mínimos detalhes. É muito raro um livro de arte como esse”

Teresa Poester

Segundo o coordenador do núcleo de artes visuais do DDC, Rafael Derois, a publicação não pretende ser um relato da vida de Teresa, mas uma reflexão sobre sua potência como pessoa e criadora. “Um dos méritos desse projeto é trazer o lado humano da artista. Não é uma biografia. É procurar, de forma sutil, bonita, coerente, mostrar como existe uma vinculação entre o que o ser humano experencia e o que ele manifesta. Então, é uma relação entre a vida da pessoa e a sua obra”, explica Rafael. Após o lançamento do livro, o link de acesso à obra estará disponível gratuitamente no site do DDC.

A publicação também inaugura o selo editorial “Arte & Cultura_DDC” na Editora da UFRGS, dedicado a publicações relacionadas a ações concebidas e produzidas pelo departamento. De acordo com Rafael, o selo é possibilidade de ampliar o diálogo entre UFRGS e sociedade. “A atuação do DDC possui um forte viés extensionista, de inter-relacionar universidade e sociedade a partir da arte e da cultura. Esse selo entra nessa direção. Nossa vontade é desenvolver um maior diálogo com a sociedade a partir de uma produção de publicações em arte e cultura que não sejam necessariamente acadêmicas.”