Mostra de teatro estreia com curta-metragem sobre a construção de futuros

Teatro | “Será que fica pronto a tempo?” é a atração de abertura da 19.ª Mostra Anual Universitária de Teatro e aborda a urgência em transformar anseios em realidade

Foto: Douglas Rist/Divulgação

A possibilidade de reflexão sobre a condição humana propiciada pelas Artes Cênicas retorna às quartas-feiras com o início da 19.ª Mostra Anual Universitária de Teatro, do Projeto Teatro, Pesquisa e Extensão (TPE). A partir de agosto de 2021, a mostra exibe, de maneira virtual, sete espetáculos produzidos por graduandos e diplomados do Departamento de Arte Dramática (DAD/UFRGS). Cada produção permanece em cartaz por um mês – à exceção de dezembro e janeiro -, com sessões às quartas-feiras, às 12h30 e às 19h30. Os ingressos para cada sessão são gratuitos e estão disponíveis na plataforma Sympla.

O espetáculo que abre o evento é “Será que fica pronto a tempo?”, em exibição até 25 de agosto. Em formato de curta-metragem, a peça é uma produção de jovens negros e negras da região metropolitana de Porto Alegre e versa sobre como lidamos com o futuro e acerca da urgência em transformar palavra em ação. “É sobre a ansiedade pelo futuro. Nesse período pandêmico, em que estamos enclausurados, essa urgência vem à tona”, diz Eslly Ramão, integrante do elenco da peça e do grupo Espiralar Encruza, iniciativa responsável pela realização da obra.

“Cada um dos personagens tem um ponto de vista sobre algo que precisa ficar pronto a tempo. A gente vai falar sobre pão, por exemplo. Tudo sob uma perspectiva de que precisamos pensar sobre as nossas urgências. Se eu tenho necessidades, eu preciso pensar nelas agora”

Eslly Ramão

O ator conta que o espetáculo é resultado de um trabalho de oito meses, o qual surgiu do compartilhamento das vivências dos integrantes do grupo a partir de fotografias, textos e relatos pessoais. Construída por muitas mãos, a obra faz relembrar, em um momento tão propício ao individualismo em razão do isolamento social, o potencial que reside na coletividade. “Nós tivemos que projetar futuros através do meio virtual. Apesar de cada um ter seus sonhos, suas perspectivas próprias, esse projeto permitiu que nos encontrássemos nessa rede de apoio e pensássemos esses sonhos juntos.”

“Para mim, esse espetáculo é sobre sonhos que estão em construção. Um dos sonhos que eu gostaria que ficasse pronto a tempo seria todos estarem vacinados contra a covid-19”

Eslly Ramão
Na imagem de capa, Letícia Guimarães, Vivian Azevedo e Eslly Ramão em cena da peça/curta-metragem; acima, Maya Marqz, Letícia Guimarães e Eslly Ramão em foto de divulgação (Foto: Douglas Rist/Divulgação)
A Mostra

A 19.ª edição da Mostra TPE, como é popularmente conhecido o evento, apresenta sete espetáculos que trazem aos palcos digitais temas como futuro, prevenção ao suicídio, relações de gênero e sexualidade, solidão, sociedade de consumo e destino. Além de abordarem diversos assuntos, os artistas também utilizam diferentes plataformas para criar e apresentar suas obras, a exemplo do audiodrama Dia de Ira, produzido inteiramente em formato sonoro e com audição prevista para março de 2022.

Tendo em vista tanto a variedade dos temas quanto a diversidade dos formatos dos espetáculos, além da maior incidência do meio virtual em nossas vidas, o tema da Mostra em 2021 é Conexões Plurais. Conforme Cristiane Werlang, docente no DAD/UFRGS e integrante da Comissão Coordenadora da Mostra, a temática também reflete as descobertas em teatro surgidas a partir de experimentações com o meio virtual. “Esses espetáculos são produtos de uma exploração do virtual. São trabalhos que exploram conexões disponíveis nesse meio”, diz a professora.

“É tudo muito novo. Há pessoas que acham maravilhosas essas novas possibilidades e há outras que estão, digamos, ressentidas, por não poderem estar cara a cara com o público. O que eu vejo são artistas explorando esse meio com muita coragem”

Cristiane Werlang

Em 18 anos de existência, a Mostra TPE persiste em sua missão de levar ao público as criações do corpo universitário do DAD/UFRGS, produzindo oportunidades de reflexão sobre a realidade capazes de transformar pessoas, segundo Cristiane. “O teatro coloca um ponto de reflexão sobre a vida. Quando vemos algo artístico, aquecemos a alma, mas também a revolucionamos. Uma sociedade que não tem artistas é muito triste, justamente por não possuir essas possibilidades de crítica e de encantamento.”

Serviço
19.ª Mostra Anual Universitária de Teatro – “Será que fica pronto a tempo?”
Quartas de agosto, às 12h30 e às 19h30, no Youtube
Ingressos disponíveis na plataforma Sympla (acesse aqui)
Classificação indicativa: 14 anos
40 minutos