Seminário discente dialoga sobre narrativas diversas nas Artes Cênicas

Cultura | Atividade visa abordar temas relevantes para a sociedade artística, como feminismos, raça e acessibilidade

*Foto: Regina Peduzzi Protskof/Divulgação

Discussões sobre gênero, raça e inclusão social sempre estiveram presentes no âmbito das artes. É com o objetivo de abordar tais temas, a partir de trocas de experiências com diversos artistas e pesquisadores que fazem parte do campo artístico, que o Programa de Pós-graduação em Artes Cênicas (PPGAC) do Instituto de Artes da UFRGS realiza, de forma online e gratuita, o II Seminário Discente “Narrativas Diversas nas Artes Cênicas”. A ação de extensão ocorre em cinco encontros virtuais, de 6 a 10 de dezembro, e pode ser assistida, de forma gratuita, pelo YouTube e pelas redes sociais do Instituto de Artes.

Com a participação de diferentes artistas e pesquisadores em cada encontro, a atividade visa disseminar as pesquisas feitas pelos discentes da pós-graduação e ampliar a rede de comunicação na comunidade artística, não só com acadêmicos, mas também com artistas que estão atuando na cena. Para Andréa Moraes, coordenadora do evento, o formato remoto da atividade possibilitou múltiplas conexões. “A gente não pôde fazer esse evento de forma presencial por causa da pandemia”, afirma. “Mas, por outro lado, tivemos a oportunidade de nos vincularmos a pesquisadores de todo o país, algo para o qual, fosse presencial, não se teria de forma alguma verba”. 

A atividade também tem a intenção de oferecer um espaço de liberdade e protagonismo aos discentes, possibilitando que escolham os temas que tenham mais interesse em disseminar em suas pesquisas. A intenção de divulgar os trabalhos acarretou a ideia de produzir um e-book gratuito, com lançamento previsto para o ano que vem e que torna as pesquisas ainda mais acessíveis para o público. 

“A gente pôde nesse seminário, por essa via de acesso digital, tornar esse acesso às nossas pesquisas um pouco mais democrático, divulgando pelo Instagram e deixando esse acesso livre a todos”

Andréa Moraes

Todas as temáticas escolhidas são ligadas ao perfil do programa, que é justamente contemplar todas as narrativas diversas existentes nas Artes Cênicas, além da proposta de pensar a arte como um agente de transformação social. A ação busca dialogar e refletir sobre vozes de mulheres negras, inclusão social no âmbito artístico, racismo, branquitude, decolonialidade, a cena queer, entre outras questões políticas que envolvem produzir e sobreviver de arte nos dias de hoje.

Para Andréa, todo artista se constitui de maneira política, e o que comprova isso é o interesse dos discentes em buscarem uma compreensão mais aprofundada sobre a complexidade que é trabalhar com arte. De acordo com ela, esse trabalho envolve questões políticas, uma compreensão da cultura, da sociedade – temas que realmente precisam de um aprofundamento maior.

“Eu acho que essa é uma grande contribuição para a gente pensar sobre o que estamos fazendo. Estamos fazendo e produzindo arte no contexto que temos, porque uma coisa é produzir arte em um país em que a arte é valorizada e que os artistas são valorizados, outra coisa é fazer arte aqui”

Andréa Moraes

A pesquisadora destaca ainda que tendemos a admirar as produções externas e esquecemos, muitas vezes, de prestigiar as que são feitas aqui. Os nossos textos acadêmicos, as nossas performances e as nossas criações, contudo, não ficam para trás em relação ao que é feito em outros países ou em outros contextos melhores. 

Diante disso, Andréa aponta a importância de valorizar o conhecimento produzido na Universidade pública. “Nós estamos produzindo arte para nós, a partir das nossas vivências, é uma arte brasileira”, relata. “Isso realmente precisa ser valorizado, não só pelos nossos pares, mas pelo público em geral.”

O evento oferecerá certificado de participação ao público, que poderá interagir com os artistas e pesquisadores durante a transmissão pelo YouTube. As inscrições podem ser realizadas gratuitamente até 10 de dezembro. Para mais informações sobre a atividade, acompanhe o Programa de Pós-graduação em Artes Cênicas (PPGAC) da UFRGS nas redes sociais

:: Serviço

PROGRAMAÇÃO COMPLETA

Segunda-feira (06/12)
13h45 – Abertura
14h – Orientalismo e decolonialidade na dança: da pesquisa à prática docente
16h Mulheres-tambor: rupturas no tempo

Terça-feira (07/12)
14h – Dança na escola: abordagens artísticas, inclusivas e diversas
16h – Caindo de paraquedas na pedagogia das artes cênicas e sem acessibilidade

Quarta-feira (08/12)
14h Questões queer e a cena
16h – Aquilombamento de forças para pensar a mulher negra

Quinta-feira (09/12)
14h – Tese-criação: incidências metodológicas
Mestrandos (15 min cada)

Sexta-feira (10/12)
14hDanças negras e diáspora: visibilidades epistêmicas
16h – Imaginação radical e produção de futuros