Deslocamento de abomaso

O deslocamento de abomaso (DA) é uma síndrome multifatorial onde a atonia abomasal é um pré-requisito para a sua ocorrência. O gás produzido pela fermentação microbiana distende o abomaso e provoca o seu deslocamento. A alimentação com altos níveis de concentrado para bovinos leiteiros resulta em redução da motilidade e aumento no acúmulo de gás no abomaso. A ocorrência do DA à esquerda ou à direita é comumente observada em bovinos de grande porte e de alta produção leiteira após o parto, sendo que aproximadamente 90% dos casos ocorrem até seis semanas após o parto.

Existe uma relação direta entre o balanço energético negativo no pré-parto e a ocorrência de DA. Valores aumentados de AST e de BHB têm sido associados com aumento da ocorrência de DA. Valores aumentados de lactato em vacas com DA, sugerem um prognóstico desfavorável em comparação com animais com DA e valores menores de lactato. A hipocalcemia também é uma patologia predisponente ao DA, uma vez que os níveis sanguíneos de cálcio afetam diretamente a motilidade do abomaso. Hiperglicemia é frequentemente observada em casos de DA devido à liberação de glicocorticoides. O pH da urina é menor nos animais com DA, o que pode ser consequência da maior lactacidemia nas vacas afetadas. Os valores de lactato encontrados em animais com DA podem ser úteis para definir entre o tratamento do animal ou o seu descarte, uma vez que o aumento é proporcional ao grau de severidade do transtorno. Os níveis de NEFA em vacas com DA são maiores que em vacas sadias, indicando um déficit energético nos animais com DA. Os valores de albumina podem ser menores nas vacas com DA comparado com as vacas controle. Os níveis de ureia apresentam-se aumentados nos animais com DA, sugerindo uma degradação proteica endógena devido à restrição alimentar e à deficiência energética.