Coleta de Amostras

 

COLETA DE SANGUE

Para as análises hematológicas as amostras devem ser de sangue completo (tratado com anticoagulante EDTA), armazenado por um período máximo de 6 horas a temperatura ambiente ou 24 horas na geladeira (4°C). Estas amostras nunca devem ser congeladas e o volume ideal de sangue é aquele indicado no frasco de coleta.

As dosagens bioquímicas podem ser realizadas no soro ou no plasma (obtido com heparina). Tanto o soro quanto o plasma podem ser refrigerados por até 3 dias ou congelados por 30 dias até a sua análise, sem prejuízo no resultado. Em bioquímica sanguínea é preferível trabalhar com sangue heparinizado do que com sangue coagulado, pois facilita a manipulação e conservação, além de diminuir o risco de hemólise. No caso de utilização do soro, é necessário um período de 30 a 90 minutos para a formação do coágulo e a completa obtenção do soro. A única diferença analítica entre soro e plasma é que o primeiro não contém fibrinogênio. Do ponto de vista de dosagem de proteínas totais, este valor é tão pequeno que pode ser desconsiderado. Prefere-se a coleta com sistema fechado (a vácuo) por produzir uma amostra de qualidade, em volume proporcional a capacidade do tubo e livre de artefatos em decorrência do manuseio de seringas na coleta. Todos os materiais devem ser descartáveis.

Em situações em que mais de um tipo de exame é solicitado, recomenda-se a coleta a vácuo na seguinte sequência:

  1. Tubo com citrato de sódio
  2. Tubo com ativador de coágulo
  3.  Tubo com heparina
  4. Tubo com EDTA
  5. Tubo com fluoreto

 

PRINCIPAIS ANTICOAGULANTES UTILIZADOS

  • EDTA K2 (ácido etilenodiamino tetra-acético dipotássico): é o mais recomendado para análises hematológicas, pois preserva a integridade celular. Atua como quelante do cálcio, impedindo a coagulação. Tubo com tampa roxa.
  • Heparina: é um anticoagulante natural, sendo o mais recomendado para análises bioquímicas, pois não interfere com os reagentes usados na maioria dos testes. Atua interferindo na conversão de protrombina em trombina. Pode ser usado para contagem eritrocítica, mas não é recomendado para análises leucocitárias, pois pode causar agregação dos leucócitos, alterando a sua morfologia e dificultando a contagem. A heparina de lítio (não de sódio) é o anticoagulante recomendado para análise gasométrica e para hematologia em amostras de répteis e quelônios. Tubo com tampa verde.
  • Citrato de sódio tamponado: pouco recomendado para hematologia por não preservar de maneira adequada a morfologia celular. Atua quelando o cálcio e impedindo o processo de coagulação. É o anticoagulante recomendado para os testes de coagulação na proporção de 1:9 partes de sangue. Tubo com tampa azul.
  • Fluoreto de sódio: similar ao citrato, sendo recomendado especificamente para a dosagem de glicose e/ou lactato, pois inibe o processo de glicólise que ocorre nas hemácias, mantendo os níveis in vitro destes metabólitos por mais tempo. Tubo com tampa cinza.

Para a obtenção do soro, recomenda-se a utilização de tubos sem anticoagulantes (tampa vermelha) ou com ativador do coágulo e gel separador (tubo com tampa amarela).

 

COLETA DE URINA

Deve-se dar preferência a primeira urina da manhã coletada em frascos estéreis em um volume igual ou superior a 10 mL. Os métodos aplicados são:

Micção natural: ideal para cães machos e grandes animais. Apresenta um elevado grau de contaminação da amostra.

Cateterismo vesical: com cateter vesical estéril e sob sedação para algumas espécies.

Cistocentese: indicada para pequenos animais com sedação a critério do médico veterinário. É a amostra mais recomendada para urocultura.

Tempo para o processamento: imediato

Armazenamento: sob refrigeração por no máximo 12 horas.

 

COLETA DE LÍQUIDOS CAVITÁRIOS

As amostras obtidas de líquidos formados nas cavidades abdominal e torácica devem ser acondicionadas em tubos sem anticoagulante (análises químicas) e com anticoagulante (EDTA) para as contagens celulares e determinação da avaliação citológica. A mesma recomendação é aplicada as amostras de líquido cefalorraquidiano e articular.

Tempo para o processamento: imediato

Armazenamento: sob refrigeração por até 6 horas da coleta

 

COLETA DE AMOSTRAS PARA CITOLOGIA

As amostras de aspirado devem ser coletadas com seringa estéril (com capacidade para 10 a 20 mL) e depositadas em lâminas de vidro para microscopia. Após, deve ser realizado um esfregaço com o material obtido. As amostras devem ser identificadas com o nome do paciente, data da coleta e local. Na requisição deve constar os dados referentes ao tempo de surgimento da massa, tamanho, cor, aspecto, tempo de evolução e exames adicionais, quando for o caso.

 

COLETA DE AMOSTRAS PARA HEMOGASOMETRIA

Coleta de sangue venoso ou arterial que pode ser imediatamente processado. Para amostras enviadas para o laboratório, recomenda-se o uso de seringa heparinizada (lítio).

Tempo para o processamento: 10 minutos para sangue heparinizado.

Maiores informações sobre as técnicas, tubos e prazos contate a nossa equipe.

 

Deixe uma resposta