Lactato

O lactato é um produto intermediário do metabolismo dos glicídeos, sendo o produto final da glicolise anaeróbica. Na presença de oxigênio suficiente e uma moderada taxa de glicólise, o ácido pirúvico entra no ciclo de Krebs, gerando CO2 e H2O. Em condições nas quais o ácido pirúvico seja produzido em uma quantidade maior do que sua utilização, ou quando ocorre uma condição de anaerobiose, o ácido pirúvico é convertido em ácido láctico. Em condições normais, a maioria do lactato é produzida pelos eritrócitos, mas durante exercício ou atividade física intensa, o músculo produz grandes quantidades de lactato, devido à condição de insuficiente oxigenação do músculo nestas situações.

As condições patológicas que resultam no aumento do lactato plasmático são agrupadas em: transtornos do músculo esquelético, cardiomiopatias, diabetes mellitus (onde o lactato e o piruvato estão aumentados), deficiência de tiamina, transtornos hepáticos, doenças genéticas (nas quais ocorrem falha nas enzimas responsáveis pela estocagem do glicogênio), toxemia da gestação, hipoxia, choque e redução da pressão sangüínea e anemia causando redução na capacidade de oxigenação.

Em ruminantes, pode ocorrer, também, aumento do lactato sangüíneo na chamada acidose láctica ou indigestão láctica. Este transtorno é observado em animais que têm mudanças súbitas de dieta de forragem para concentrado, onde há uma rápida fermentação de carboidratos solúveis com alta produção de lactato.

Deixe um comentário