O LAÇADOR – Monumento de POA


Digitalização 3D do monumento símbolo de Porto Alegre e do RS.

 

Descrição:

A Estátua do Laçador é um monumento histórico de Porto Alegre que representa o gaúcho pilchado (em trajes típicos). A obra é de autoria do escultor gaúcho Antônio Caringi (1905-1981) que venceu diversos concursos e produziu diversos monumentos, em geral, ligados à história e à cultura gaúcha.

A obra “O Laçador” foi criada em gesso, em 1954, como resultado de um concurso vencido por Caringi para executar uma escultura que identificasse o homem riograndense na Exposição do IV Centenário de Fundação de São Paulo. Como modelo de indumentária, o artista utilizou Paixão Côrtes, um dos fundadores do Movimento Tradicionalista Gaúcho. Em 1958, a escultura foi adquirida pela Prefeitura Municipal de Porto Alegre e foi, então, a partir da matriz em gesso, fundida em bronze e transportada para ser instalada sobre um pedestal no antigo Largo do Bombeiro. Em 2007, em função da construção do Viaduto Leonel Brizola, a estátua foi transferida para o Sítio do Laçador, em frente ao primeiro terminal do Aeroporto Internacional Salgado Filho, onde permanece nos dias atuais.

Em 1992, a Câmara Municipal de Porto Alegre aprovou a Lei Complementar nº 279, instituindo, oficialmente, o Monumento do Laçador como símbolo oficial da cidade. Em 2008, a Lei Estadual nº 12.992, declara a Estátua do Laçador integrante do patrimônio histórico e cultural e escultura-símbolo do Estado do Rio Grande do Sul.

A digitalização 3D da Estátua do Laçador foi realizada pela equipe do Laboratório de Design e Seleção de Materiais (LDSM/UFRGS) em 10 de agosto de 2011 e contou com o apoio da Coordenação da Memória Cultural, órgão da Secretaria da Cultura de Porto Alegre. Devido à altura da estátua (4,4 m), do pedestal (2,2 m) e da coxilha do Sítio do Laçador (5 m), além da distância imposta pela mureta que circunda a coxilha, fez-se necessário um caminhão-cesto com braço telescópico de 25 m, permitindo posicionar o scanner 3D a cerca de 1 m da estátua. Em 07 de setembro de 2011, foi realizada uma nova etapa de digitalização, com o uso de um tripé, visando complementar a parte inferior da estátua. Ao todo, foram 12 horas de aquisição, gerando 207 nuvens de pontos (resultado de 207 digitalizações), capturando cerca de 30 milhões de pontos.

Após a filtragem dos dados, cerca de 6,5 milhões pontos foram unidos três a três e convertidos em uma malha com 13 milhões de triângulos. Para manipulação dos arquivos no hardware disponível em 2011, a malha original foi reduzida para 7 milhões de triângulos, resultando em uma resolução (espaçamento entre os pontos dos vértices) de 3,8 mm. Infelizmente, o laço original da estátua em bronze foi furtado. Para evitar novos furtos, foi confeccionado um novo laço em aço que recebeu o devido acabamento para imitar o bronze. A partir dos dados da digitalização, o novo laço foi modelado no software 3D Studio Max e agregado ao modelo 3D. A digitalização foi realizada sem captura de cores. No modelo disponível online, foram aplicados mapas de texturas imitando o bronze e a coloração da superfície estátua, apenas para efeito de visualização.

O modelo 3D original permite realizar medições na estátua de dimensões totais de aproximadamente 2,0 x 1,2 x 4,4 m (largura x profundidade x altura). Por exemplo, o corpo masculino sobre a base de bronze possui altura de 4,1 m e largura entre ombros de 1,2 m. Na lateral da base, ao lado do pé esquerdo, é possível observar a assinatura do artista e o ano da obra, com inscrição em baixo relevo “A. Caringi” e logo abaixo “1954”. A partir do modelo 3D também é possível observar a obra por diferentes ângulos, difíceis de se conseguir na estátua original. Por exemplo, pode ser percebido o cuidado de Caringi com a perspectiva do ponto de vista do observador. O artista aumentou a parte superior do corpo da escultura, uma vez que esta deve ser vista de baixo para cima e sobre o seu pedestal.

Cabe ainda salientar que o modelo 3D virtual, bem como um protótipo em escala reduzida da Estátua do Laçador foram disponibilizados à Coordenação da Memória Cultural de Porto Alegre, com a qual estabeleceu-se importante parceria para a continuidade e o desdobramento de pesquisas referentes à preservação do patrimônio histórico e cultural da cidade.

 

Galeria de Fotos:

 

Dados técnicos:

modelo em baixa resolução
(visualização online)
modelo em alta resolução
(arquivo original)
N° de vértices 27.782 3.682.415
Tipo de faces triângulos triângulos
N° de faces 55.447 7.364.830
Tamanho da malha 4,2 MB (.obj) 351 MB (.stl)
Mapa de textura/cor 0,5 MB (4k)
Mapa de normais 0,7 MB (4k)
Outros Mapas
(especular/ambiente)
1,5 MB

método de aquisição: Scanner 3D a laser Vivid 9i.